Judiciário 7:44

Operação Calvário: mandatário da Cruz Vermelha diz que Mayara pagava “rachadinha” a Estela

Mayara Martins assumiu a Cruz Vermelha na Paraíba e acumulava o cargo de chefe de gabinete de Estela

A delação premiada do comandante da Cruz Vermelha Brasileira, Daniel Gomes da Silva, traz informações muito graves contra a deputada estadual Estela Bezerra. A parlamentar deixou a prisão nesta quarta-feira (18), após atendimento, pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida, relator da operação Calvário no segundo grau, de decisão da Assembleia Legislativa.

Estela foi presa durante a sétima fase da Operação Calvário – Juízo Final, desencadeada na última terça-feira (17). A parlamentar conseguiu que os colegas da Assembleia Legislativa aprovassem o relaxamento da prisão. Com isso, ela vai responder às acusações em liberdade. No áudio divulgado, Daniel Gomes relata que Estela Bezerra e a companheira, a ex-secretária de Saúde do Estado, Cláudia Veras, fizeram indicações para a Cruz Vermelha.

No caso de Estela, ela indicou a chefe de gabinete, Mayara Martins, para ocupar o cargo de presidente da Cruz Vermelha na Paraíba. O detalhe revelado pelo delator foi o de que a dirigente da entidade, na Paraíba, pediu para receber o salário por fora, porque ela teria assumido o compromisso com Estela de repassar integralmente os salários de chefe de gabinete. A prática, comum nos legislativos, é conhecida por “rachadinha”.

Estela e Cláudia Veras foram presas durante a operação.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    rubens figueiredo

    A casa tá caindo para a deputada e cia. Aquela arrogância com o judiciário vai ser lembrada na condenação certa. Na fala da deputada até parece que ela foi inocentada pela AL, acontece que prevaleceu o corporativismo criminoso dos deputados, espero que essas atitudes mesquinhas sejam lembradas em 2022 e que eles tenham mais respeito com o dinheiro do povo.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *