Aníbal Marcolino chega a sete e lidera ranking de vínculos de trabalho com órgãos públicos

Ferramenta premiada no terceiro Hackfest mostra que 4.682 acumulam cargos

Aníbal Marcolino volta para a Assembleia Legislativa através de uma articulação do governador Ricardo Coutinho. Foto: Divulgação/ALPB

O deputado estadual Aníbal Marcolino (PSD) pode se gabar se ser um trabalhador incansável. Empossado na semana passada na vaga aberta com a licença de Jullys Roberto (PMDB), na Assembleia Legislativa, ele acrescenta mais um vínculo ao currículo. Marcolino é o líder absoluto do ranking de servidores públicos com maior número de vínculos com órgãos públicos na Paraíba. Ao todo, são seis como médico e um como deputado. Os dados são revelados pela ferramenta Folha Limpa, uma das vencedoras na terceira edição do Hackfest Contra a Corrupção. A premiação foi entregue na última sexta-feira (18). Confira outras ferramentas.

Aníbal Marcolino aparece nas folhas funcionais de repartições paraibanas declaradas no primeiro semestre deste ano ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). A relação dos vínculos inclui Prefeitura Municipal de João Pessoa, Fundo Municipal de Saúde de Cabedelo, Fundo Municipal de Saúde de Sapé, Fundo Municipal de Saúde de João Pessoa, Prefeitura Municipal de Bayeux e Ipep. Ao todo, contabilizando as declarações de pagamento mensais nos primeiros meses do ano, aparece remuneração acumulada de R$ 21.849. O cargo de deputado estadual, função assumida na última quinta-feira (17), paga salário de R$ 25 mil.

A profissão de médico, por causa dos plantões, é uma das que permitem acumulação de vencimentos. Eventuais abusos, no entanto, deverão ser investigados por Tribunal de Contas do Estado e Ministério Público da Paraíba. Ao todo, de acordo com a ferramenta Folha Limpa, 4.682 servidores acumulam cargos no Estado. A tropa de elite dos que mais acumulam é integrada pelos médicos. Os professores também podem acumular, mas não há registros tão significativos como no caso dos médicos. A Folha Lima tem como base os dados declarados por prefeituras e governo do Estado.

Governista

O deputado estadual Aníbal Marcolino volta à Assembleia depois do insucesso nas eleições de 2014. Ele migra da condição de ferrenho adversário do governador Ricardo Coutinho (PSB) para aliado incondicional. O socialista, inclusive, foi relacionado na articulação para viabilizar a posse dele. Em contraponto, Marcolino abandona a postura de aliado do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD). Ele acusa do colega de partido de tê-lo tratado com indiferença e não tê-lo apoiado nas eleições de 2016, quando ficou apenas com o cargo de quinto suplente de vereador. A postura na Casa será de ataque ao ex-aliado.

 

7 comentários - Aníbal Marcolino chega a sete e lidera ranking de vínculos de trabalho com órgãos públicos

  1. Jose Disse:

    ESTE E UM, EU DISSE, E APENAS UM MODELOS DE POLÍTICOS, QUE NOSSA POBRE PARAIBA TEM A INFELICIDADE. DE TER COMO NOSSO REPRESENTANTE, E O GOVERNADOR DO ESTADO COMO PRESIDENTE EMÉRITO DO PSB O APRESENTA COMO DEPUTADO DOS QUADROS DO PSB.
    QUE VERGONHA, QUANTOS MILHARES DE PARAIBANO PASSAM NECESSIDADES, INCLUSIVE SERVIDORES PÚBLICOS, E ESTE FANTOCHE DE DEPUTADO, QUE SEQUER SE ELEGEU PARA VEREADOR, OSTENTA COLEÇÃO DE EMPREGOS.
    ONDE ESTÁ O TCE, ONDE ESTÁ O MINISTÉRIO PÚBLICO QUE NÃO VÊ ESTÁ DESMORALIZAÇÃO.?……….

  2. Olha meu Caro José. Você apenas coloca o nome de José, ao contrário deste que este comentário subscreve. Sou Edilson Sobral de Morais, Advogado e Servidor Público aposentado. Não devo nenhum favor nem a Ricardo Coutinho e nem tampouco a Aníbal Marcolino, mas, o dileto comentarista que você é deve estar a serviço de alguém, porque de acordo com a nossa carta magna só podem acumular cargos os médicos, professores e quem detenha um cargo técnico com um cargo científico. Não há nenhum demérito em o agora Deputado estar servindo como médico em alguns locais, pois se não dão choque de horário não que se falar mal, Quanto mais nestes tempos em que há uma escassez danada de profissionais médicos por toda parte. Olhe, meu caro, mais uma vez digo a quem quer que seja, não sou bajulador e nem detenho procuração para defender nenhum dos dois citados, mas se pudermos ter mais médicos servindo a população a população carente agradece. Quanto ao Sr. Ricardo Coutinho à frente do Governo, dispensa comentários face a quantidade de obras que tem legado ao povo da Paraíba e a seriedade com que tem cuidado do dinheiro do povo da nossa querida Paraíba. Tem dado inveja a muitos que nada fizeram por este Estado, só falácias e falácias. Obras que é bom nada.

  3. Reinaldo Disse:

    Com tantos empregos, a qualidade da prestação dos serviços fica comprometida, ou seja, de péssima qualidade.

  4. Rômulo Feitosa Navarro Disse:

    Lendo os dois comentários, fica claro quem está a serviço de alguém.

  5. JOSÉ ANTONIO DA CUNHA Disse:

    Como médico não vejo problemas no acumulo de funções.

  6. Luiz Ribeiro Disse:

    Nordestinos adoram serem enganados,na estrada se encontra a trupe criminosa, a Paraíba falida, e o povo cada dia mais tolo, do jeito que vai, breve seremos um país de escravos.

  7. maria rita Disse:

    Sabe de nada de lei este Edilson Sobral: para acumular o cargo de médico no serviço público só pode haver dois vínculos (dois contratos) e o eminente ex-Vereador acumula cinco contratos de médico com prefeituras (isto é contra a lei e anticonstitucional) e o maior agravante é o cargo de servidor do IPEP (instituição em que o governador rasga a constituição e desobedece descaradamente o TJPB só para fazer o mal aos servidores), pois o contrato de ANibal Marcolino no IPEP é de AGENTE ADMINISTRATIVO, aí é que o cancão pia na irregularidade, pois agente administrativo não pode acumular com nenhum cargo público. Pois é… ser “advogado do diabo” tem que fazer estágio no inferno antes de pegar a causa… e se for defender o governo de RC comece pelo JAMPA DIGITAL, DESK, LAGOSTA E MERO DA GRANJA, FUNÇÃO IRREGULAR DO PROCURADOR DO ESTADO NA PGE, ETC… cansei, tem mais crime do que Caligula em ROMA.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *