Aníbal Marcolino rompe com Cartaxo ao definir retorno para a Assembleia

Parlamentar reclama de tratamento dispensado pelo prefeito e vai se desfiliar do partido do prefeito

Aníbal Marcolino volta para a Assembleia Legislativa através de uma articulação do governador Ricardo Coutinho. Foto: Divulgação/ALPB

Acabou a paciência. No mesmo dia em que se tornou oficial o seu retorno para a Assembleia Legislativa na condição de suplente, o deputado Aníbal Marcolino (PSD) engrossou as críticas ao colega de partido, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo. Ele diz não ter merecido atenção do correligionário. Para completar, vai pedir a desfiliação da sigla. Ajuda e apoio, ele diz ter recebido sempre do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB). Os dois prefeitos, vale ressaltar, disputam internamente no bloco oposicionista a indicação para a disputa do governo. A reação de Marcolino, no entanto, é vista no bunker de Cartaxo apenas como reflexo da articulação governista que o levou ao Legislativo.

Marcolino chega ao mandato com a licença anunciada pelo deputado estadual Julis Roberto, atualmente no PMDB. Eles disputaram as eleições de 2014 pelo PEN, junto com o ex-presidente da Casa, Ricardo Marcelo, atualmente também filiado ao PMDB. O parlamentar chega à Casa com as bênçãos da oposição, porém, com uma articulação feita pelo grupo ligado ao governador Ricardo Coutinho (PSB). Isso, na visão dos aliados de Cartaxo, justificaria “o fogo nos olhos” de Marcolino contra o prefeito. O xadrez em relação aos apoios na Assembleia, vale ressaltar, não é de fácil compreensão pelos interesses atrelados.

O líder da oposição, Bruno Cunha Lima (PSDB), chegou a comemorar a decisão do deputado peemedebista, com a decisão de se licenciar. “Tanto Julis Roberto quanto Antônio Mineral chegaram à Assembleia Legislativa por meio de licenças de colegas. Eles sabem da importância desse gesto. Depois do diálogo no nosso bloco, Julis decidiu fazer esse gesto também”, ressaltou. Antes de Marcolino, uma articulação permitiu a posse da vereadora de João Pessoa, Eliza Virgínia (PSDB), na Casa. A articulação foi de Romero Rodrigues, que convidou o deputado Tovar Correia Lima (PSDB) para assumir um cargo na prefeitura. Na época, a promessa foi a de que Marcolino seria o próximo beneficiado por uma articulação similar.

O fato é que Ricardo Coutinho chegou antes e articulou melhor. Isso foi dito pelo próprio Julis Roberto após anunciar a licença. Ele revelou que comunicou a decisão de se licenciar ao governador e ao líder do governo na Assembleia, Hervásio Bezerra (PSB). O socialista dispõe de uma grande base de apoio na Casa. O curioso em todo esse processo era que até o anúncio de hoje, Roberto era visto como oposicionista pelos adversários de Ricardo Coutinho. Não é visto mais. Ele assegurou que Aníbal Marcolino vai votar sob a mesma orientação que ele teria na Casa. Ou seja, de adversário, Marcolino chega à Assembleia como aliado do governador.

comentários - Aníbal Marcolino rompe com Cartaxo ao definir retorno para a Assembleia

  1. maria rita Disse:

    Este governador é mesmo um cara de pau, pois persegue e humilha os servidores do IPEP/IASS afrontando a Justiça paraibana para suprimir os direitos dos servidores, mas fica de “boa” com o Engenheiro João Azevedo que iniciou a vida pública no IPEP. E agora vai abraçar Aníbal Marcolino que é servidor do IPEP e cuja família foi honrosamente presente nos serviços daquela autarquia. Todo o mal por si se destróe, senhor Coutinho.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *