Política 7:04

Não quero que Bolsonaro morra, mas não tenho pena dele! Bolsonaro não tem pena de ninguém!

Tenho formação católica.

Por mais irreligioso que eu seja, a noção de pecado e a culpa cristã – creio – nunca vão me abandonar.

Digo isso pensando na doença do presidente Jair Bolsonaro (Foto: Twitter).

A noção de pecado e a culpa cristã não me liberam para que eu, neste momento, deseje a sua morte, como, em outra ocasião, já o fizeram, na Folha de S. Paulo, Hélio Schwartsman e Ruy Castro.

Desejar a morte de alguém é um sentimento muito ruim, muito negativo – não é?

Mas vou confessar: não tenho pena de Bolsonaro, que usa a doença para fazer política, como nessa imagem postada no Twitter.

Não consigo nutrir pena alguma por Bolsonaro.

Sei que é horrível.

Sei que é o oposto do que aprendi na igreja.

Sei que é o oposto do que aprendi lendo o Novo Testamento.

Mas estou sendo apenas verdadeiro: não tenho nenhuma pena do presidente Jair Bolsonaro.

E sabem o motivo?

Bolsonaro não demonstra ter pena de ninguém.

Ele fez deboche da pandemia.

Ele não colocou seu governo nos caminhos corretos que poderiam ter evitado muitas mortes.

Ele não lamentou, como deveria, as mais de 500 mil mortes que a Covid-19 provocou no Brasil.

Ele fez tudo errado e chegamos muito mais longe do que poderíamos ter chegado.

Vou eu, então, ter pena de Bolsonaro?

Infelizmente, o presidente eleito por quase 58 milhões de brasileiros é um homem mau, perverso.

Ele que acerte suas contas com o Deus no qual diz acreditar.

“Caguei pra CPI”, Bolsonaro disse na sua live de uma semana atrás.

Não direi “bem feito!”, mas enxergarei uma ironia profunda: quem teve uma obstrução intestinal foi ele.