Meus Discos 10:32

Grande álbum ao vivo dos Rolling Stones, Get Yer Ya-ya’s Out! chega inteiro aos 50 anos

Nesta sexta-feira (04), o álbum Get Yer Ya-Ya’s Out!, dos Rolling Stones, completou 50 anos.

Na capa, o baterista Charlie Watts pula com duas guitarras nas mãos, enquanto um burrinho carrega uma guitarra e parte da bateria.

Por isso, muitos diziam “o disco do burrinho” quando se referiam ao LP.

No Brasil, a distribuição foi da Odeon, com sua capa em estilo sanduíche (plástico por dentro e por fora).

Get Yer Ya-Ya’s Out! flagra os Rolling Stones em tunê pela América em 1969.

A maioria das faixas foi gravada no Madison Square Garden, em Nova York, ao mesmo tempo em que os irmãos Maysles filmavam o documentário Gimme Shelter.

Janis Joplin estava na plateia. Leonard Bernstein, também. Reza a lenda que o maestro pulava feito um louco perto do palco.

O repertório de dez faixas é quase todo de músicas então recentes da banda.

Pelo menos cinco – Jumpin’ Jack Flash, Midnight Rambler, Sympathy For The Devil, Honk Tonk Women e Street Fighting Man – permanecem, até hoje, como números obrigatórios nas apresentações do grupo.

O guitarrista Mick Taylor, que entrou no lugar de Brian Jones, faz grandes solos.

Midnight Rambler é uma aula de blues.

Sympathy For The Devil tem dois solos incríveis de guitarra.

O primeiro, mais intuitivo, de Keith Richards. O segundo, mais técnico, de Mick Taylor.

A banda está vigorosíssima, apesar das limitações técnicas da gravação. As restaurações posteriores melhoraram bastante a qualidade do áudio, sobretudo no box de uma década atrás.

Get Yer Ya-Ya’s Out!, para mim, é o melhor disco ao vivo dos Rolling Stones.

E é um dos grandes discos ao vivo do rock.

O álbum chegou inteiríssimo aos 50 anos.