Música 9:26

Caetano e filhos trazem “Ofertório” a João Pessoa em outubro

Caetano Veloso e os filhos Moreno, Zeca e Tom vão se apresentar em João Pessoa.

O show Ofertório será no teatro A Pedra do Reino, do Centro de Convenções, no dia 25 de outubro.

A produção local confirmou o show e em breve dará detalhes sobre preços e venda de ingressos.

Quando vi Ofertório no Recife, em janeiro, escrevi o seguinte:

O show é de uma delicadeza singular.

De uma beleza incomum.

Um pai fazendo música ao vivo com seus filhos.

O caráter familiar não está só no encontro dos quatro, mas também no repertório que apresentam.

Uma canção para Dedé, a mãe de Moreno. Outra para Paula, a mãe de Zeca e Tom. As canções do pai para os filhos. As parcerias do pai com os filhos. A presença da mãe de Caetano. A canção (O Leãozinho) que tantos pais gostam de cantar para os filhos. A lembrança dos avós e dos tios. A religiosidade dos filhos, o pai irreligioso que compôs um Ofertório para ser cantado na missa em Santo Amaro.

Tudo gira em torno desses amores, desses afetos.

São verdadeiros presentes que eles se dão.

E são verdadeiros presentes que eles nos dão.

Chico Buarque conseguiu se desfazer de A Banda. Caetano não conseguiu fazer o mesmo com Alegria, Alegria. Acabou sendo muito bom. Meio século mais tarde, podemos ouvir a canção sem o impacto das guitarras elétricas, mas como a marchinha que ela sempre foi.

Ela e Eu virou samba. O Seu Amor remete a Gil e aos Doces Bárbaros. Dona Canô está em Reconvexo e Genipapo Absoluto. O samba de roda da Bahia está em Boas Vindas e How Beautiful Could a Being Be. Todos estão em Gente.

Gente é pra brilhar, não pra morrer de fome.

Há 40 anos, quando Moreno era uma criança e Zeca e Tom nem eram nascidos, os críticos de Caetano não prestavam atenção nesse verso.

Ele ainda me comove.

Continua belo. Permanece necessário.

Nesse grande artista, tal como ele um dia disse de Tom Jobim, é vivíssimo o amor pela música, pelos homens humanos e pela travessia do Brasil.