Mais Cultura 9:44

Lourdinha Luna viu a História passando ao seu lado

Na infância e na adolescência, fui muito à praia do Cabo Branco.

Costumava ficar na frente da casa de Zé Américo.

De longe, avistava o ministro. Sozinho. Ou conversando com as visitas no alpendre. Algumas vezes, com Lourdinha Luna por perto.

Era a História viva que estava ali. E como testemunha privilegiada, Lourdinha Luna, que nos deixou na noite desta segunda-feira (30).

Lourdinha foi secretária de Zé Américo durante quase duas décadas. Ele morreu com ela ao seu lado, em março de 1980.

Lourdinha acompanhou o outono e o inverno da vida do autor de A Bagaceira.

Depois que ele se foi, viveu mais 38 anos.

Contou histórias que precisavam ser contadas, pois que eram essenciais para a nossa própria história. Mas usou filtros.

Filtros da sua consciência, dos seus limites éticos.

Lourdinha Luna morreu guiada por esses filtros. Foi fiel a eles. Fez como deveria ser feito.