Mais Cultura 7:42

A ditadura militar vem de regiões profundas do ser do Brasil

Creio que a frase – mais ou menos assim – é de Caetano Veloso.

Era pronunciada no início dos anos 1990 durante os shows da turnê Circuladô.

A ditadura militar vem de regiões profundas do ser do Brasil.

Uma definição ontológica para a ditadura, me disse Jomard Muniz de Britto depois de ouvi-la.

A ditadura militar vem de regiões profundas do ser do Brasil.

Não sei se, cientificamente, ela se sustenta, mas gosto muito da frase.

O compartimento da minha memória onde ela está arquivada foi reaberto nos últimos dias.

A ditadura militar vem de regiões profundas do ser do Brasil.

Foi o que vimos nas rodovias bloqueadas, nas conversas com gente de esquerda e de direita e, sobretudo, nas redes sociais.

Uns defendem explicitamente a volta dos militares.

Outros temem, embora não queiram. Mas temem tanto que creem.

Alguns são psicopatas. Basta ver os vídeos e as mensagens de áudio. Não passariam num teste de sanidade mental.

Muitos estabelecem prazos e revelam estratégias. São expostos ao ridículo quando chega a hora da ação, e nada acontece. Felizmente.

No fundo, todos esses parecem confirmar a frase que não sai da minha memória.

A ditadura militar vem de regiões profundas do ser do Brasil.

Fiquemos com a democracia possível.

Frágil, precária. Mas a que temos.

Um governo impopular vive seus estertores.

Haverá eleições daqui a quatro meses.

Os eleitos nos representarão. Bem ou mal, nos representarão. Somos nós que vamos escolhê-los.

Os militares têm um papel constitucional a cumprir.

A ditadura militar vem de regiões profundas do ser do Brasil?

Pode ser que sim.

Que fique bem guardada. Como um desejo que não se tornará realidade outra vez.