Chico César vem inaugurar viaduto e diz que odeia nome popular da obra

Chico César é atração na festa de inauguração do Viaduto do Geisel, ou Viaduto Eduardo Campos, em João Pessoa.

O governo do Estado trouxe o artista para apresentar o show Estado de Poesia, nesta terça-feira (20) às nove da noite.

Uma beleza! O público vai ver de graça o novo show de Chico, que tem o mesmo nome do seu disco mais recente.

Mas o compositor cometeu uma deselegância no Facebook.

Transcrevo:

odeio que chamem viaduto do geisel, odeio que chamem geisel. confesso que nem gosto que chamem eduardo campos. homens, falíveis. mas com alegria vou com minha banda e minha música celebrar na rua a inauguração dessa passagem, abrimento de possibilidades. por ali passem sonhos, não apenas automóveis. 

Qual o problema que chamem Viaduto do Geisel? Vem de Geisel (Chico sabe!), que é como nós, moradores de João Pessoa, pessoenses ou não, chamamos há décadas o conjunto habitacional.

Veja também  Perícia do MPF identifica esgoto doméstico e danos em eixo da transposição do São Francisco, em Monteiro

O problema é o nome do general presidente? Nem foi dos piores. Desempenhou um papel importante no processo de abertura política, no caminho que reconduziu o Brasil à vida democrática, não compactuou com a tortura, combateu a linha dura das forças armadas, etc.

E Eduardo Campos? Morto tragicamente, era a mais importante liderança nacional do PSB, o partido do governador Ricardo Coutinho, cujo governo teve Chico como secretário de Cultura. Ricardo, que convidou Chico para cantar hoje à noite.

Além da deselegância, tem ódio nas palavras de Chico César. Não sou eu que estou dizendo. Está no texto dele. Parece contaminado pela intolerância dos extremos, tão nociva no Brasil de hoje.

É ruim! Não combina com o estado de poesia!