Música 6:44

Estive com a brasileira que gravou com os Beatles e não conversei com ela

Estive com a única brasileira que gravou com os Beatles, cara a cara, e não pude conversar com ela. É Lizzie Bravo. Vocês conhecem a história dela?

Lizzie

Lizzie foi para Londres no início de 1967, com pouco mais de 15 anos. Com uma amiga que já estava lá, passou a dar plantão em frente ao estúdio dos Beatles. A histeria da Beatlemania havia passado, e não havia mais garotas se rasgando por eles nas ruas.

Lizzie passou a ver os Beatles chegando e saindo do estúdio. Cumprimentava, tirava fotos, conversava.

Um ano mais tarde, no começo de 1968, foi abordada por Paul McCartney. “Você é capaz de dar uma nota aguda?”, perguntou Paul. Ou algo assim.

Lizzie e outra garota terminaram no estúdio fazendo vocais na gravação de “Across the Universe”, canção de John Lennon que os Beatles estavam gravando para um projeto do Unicef.

É tudo verdade.

Se formos à “Ultimate Beatles Encyclopedia”, organizada por Bill Harry, a história está lá. “Bravo, Lizzie” é um dos verbetes. A gravação foi no dia quatro de fevereiro de 1968.

Se consultarmos “The Complete Beatles Chronicle”, de Mark Lewison, também temos o registro da participação de Lizzie Bravo em “Across the Universe”.

Voltando ao começo. Estive com Lizzie Bravo, frente a frente, e não pude conversar com ela.

Foi em 1979. Egberto Gismonti fazia show no Projeto Pixinguinha, em João Pessoa. No último dia da temporada, levei minha avó Stella, então com 80 anos, para conhecer Egberto. Ela ficara encantada com a música dele.

Na porta do camarim, fomos recebidos por Lizzie, que era da trupe de Gismonti. Reconheci na hora. Olhei pra ela e disse: “Você é Lizzie, a garota que gravou com os Beatles!”. Ela confirmou e perguntou como eu sabia. Eu respondi: “Ora, sou louco pelos Beatles!”.

Mas não deu para continuar a conversa. A prioridade era levar minha avó para ver Egberto Gismonti.

Valeu a pena. Naquele encontro, nasceu uma belíssima amizade. Mas isso já é uma outra história.