Opinião 11:56

Trauma afasta servidora por cobrança para agilizar cirurgia. Prática vergonhosa, vez por outra, ameaça SUS

Foto: ascom

A direção do Hospital de Trauma de Campina Grande decidiu afastar uma supervisora que, segundo uma denúncia feita à Ouvidoria da unidade, teria cobrado a quantia de R$ 4 mil para agilizar a realização de uma cirurgia. A decisão pelo afastamento preventivo está corretíssima.

O caso foi registrado na Polícia Civil e será apurado. Após as investigações e o fim do processo, claro, é que se saberá se restarão provadas as acusações, ou não.

Mas a postura da direção, em afastar preventivamente, é pedagógica…

“Nenhum atendimento dentro do Trauma é cobrado. Tudo aqui é totalmente SUS”, lembrou o diretor técnico do hospital, Sebastião Viana.

O fato reacende uma luz sobre uma prática vergonhosa, que vez por outra, é denunciada. A cobrança ‘extra’ pela realização de procedimentos custeados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Em Campina, denúncias de cobranças por cirurgias já foram investigadas pelo Ministério Público e punidas pela Justiça – anos atrás.

E é fundamental que a sociedade permaneça de olhos atentos e abertos. O SUS é público e precisa estar protegido disso.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *