Opinião 12:28

Sem previsão no orçamento, PMCG suspende subsídio de R$ 300 mil pago a empresas de ônibus

Foto: arquivo Jornal da Paraíba

O subsídio que garantia uma ‘bonificação’ para passageiros que utilizassem o sistema de transporte público de Campina Grande está suspenso. E o motivo é simples: a lei aprovada ano passado trazia a previsão de que a medida fosse adotada até o fim do ano passado, para salvar as empresas do setor. Como não havia previsão no orçamento para 2021, nada mais óbvio que suspender o benefício.

Na verdade, embora teoricamente os passageiros fossem beneficiados com a bonificação, os destinatários do incentivo são, de fato, as empresas concessionárias do serviço – cuja qualidade está longe de ser a ideal para os usuários.

Por mês, a prefeitura vinha desembolsando algo em torno de R$ 300 mil para custear o ‘bônus’, conforme a STTP. A pergunta que se faz é: até quando o poder público aguentará custear um Sistema que já cobra caro pelo serviço?

Hoje a passagem para quem usa o transporte público em Campina Grande é de R$ 3,90. E, nas ruas, o usuário diz ter motivos de sobra para reclamar do que recebe em termos de transporte público.

A ideia do subsídio foi apoiar as empresas no momento de dificuldade, no auge da pandemia, quando muitas atividades econômicas estavam paralisadas e o fluxo de passageiros era pequeno. Mas e agora, que praticamente todos já voltaram aos seus afazeres, como justificar a continuidade do subsídio?

Não parece fazer sentido algum que o município continue carregando nos braços o Sistema. Até porque, sinceramente, se outros setores igualmente afetados com a pandemia fizerem o mesmo pedido, não haverá ‘cobertor’ para todo mundo.

O Sistema de Transporte Público precisa voltar a ser autossustentável. Como, diante do avanço de novos meios e ferramentas, é o próprio Sistema que terá que dizer.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *