João Paulo Medeiros

Auxílio emergencial: 1,2 mil servidores da PMCG que receberam indevidamente são alvo de sindicância. Confira a lista

Levantamento foi feito pela CGU, a partir de cruzamento de dados. Sindicância atende recomendação do MPF

Foto: Ascom

A prefeitura de Campina Grande instaurou uma sindicância para apurar o recebimento indevido do auxílio emergencial por parte de 1,2 mil servidores do município. O objetivo do procedimento é identificar se houve, ou não, algum tipo de falha no sistema (banco de dados) do programa ou má-fé por parte dos beneficiários – que por terem vínculos com o poder público não deveriam ter recebido os valores.
O procedimento foi instaurado atendendo uma recomendação do Ministério Público Federal (MPF). Os pagamentos indevidos, feitos aos servidores, foram descobertos após o cruzamento de dados feitos pela Controladoria Geral da União (CGU).
No total, quase 3 mil servidores públicos em Campina Grande receberam indevidamente o auxílio do Governo Federal, conforme a CGU. Muitos deles, porém, são lotados em órgãos estaduais, autarquias municipais e na Câmara de Vereadores do município e ficaram de fora da sindicância. Eles deverão ser notificados em outros procedimentos, instaurados pelos órgãos aos quais estão vinculados.
Foto: reprodução

A lista dos servidores que receberam indevidamente o auxílio e os respectivos valores estão disponíveis no Semanário Oficial do município.
Confira aqui a lista completa dos servidores.

Veja também  Concurso da Polícia Civil: publicado resultado final do teste físico e convocação para avaliação psicológica; veja lista