A retomada do setor de beleza

Empresários do ramo da beleza buscam adaptação para o pós-pandemia.

Diva Monteiro Conceito de Beleza Foto: Divulgação

 

Os profissionais de beleza estão entre os trabalhadores  e empresários que mais foram impactados pela COVID-19. As atividades do segmento, exercidas necessariamente de forma presencial, foram proibidas em muitas cidades e a retomada está sendo cheia de cuidados e restrições.

De acordo com um estudo conduzido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a queda média de faturamento em salões de beleza, barbearias e estúdios de maquiagem depois de quatro meses de pandemia chegou a 57%.

Aqui na Paraíba não foi diferente. A empresária Diva Monteiro, dona do Diva Monteiro Conceito de Beleza,  conta que seu salão havia acabado de completar um ano de funcionamento quando a pandemia foi decretada. No período  de fechamento sua equipe se desfez e, quando a reabertura foi autorizada, ela teve que recomeçar praticamente do zero. A empresária aproveitou a oportunidade para reformular equipe e agregar novos serviços .

Reabertura

De acordo com Diva, logo no início da reabertura, o resultado foi muito bom. Depois de tanto tempo sem poderem se cuidar, os clientes correram para os salões. Apesar de a euforia inicial não ter se mantido, ainda é cedo para avaliar como será daqui em diante. Os profissionais que têm fôlego financeiro, buscam se adaptar. “Eu venho tentando me reinventar. Estou estudando as mudanças de comportamento do consumidor para adaptar o salão a essa realidade e passar confiança aos clientes, porque ainda há muito receio”, conta.

Veja também  UBS de João Pessoa sofre interdição ética do CRM por falta de médico e de equipamentos

A empresária já percebeu que o grande desafio do setor neste momento é demonstrar que o ambiente está seguro, por isso, além de atender a todos os protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias, adota outros cuidados, como manter a esterilização dos materiais de unhas no autoclave, o que já era feito anteriormente,  lavar todas as escovas  com água sanitária, álcool 70%  e secá-las ao sol após cada uso. Além disso, todas as toalhas são lavadas e embrulhadas separadamente.

Enquanto a vacina não sai, a solução é conquistar a confiança do cliente e se preparar para um futuro pós-pandemia. No Brasil, salões, lojas e a indústria de produtos cosméticos reúnem cerca de 1,2 milhão de empresas formais e 4 milhões de postos de trabalho formais e informais. Para ajudar na retomada, o Sebrae criou um material com orientações sobre biossegurança para o segmento.