Entre Linhas

Entre Linhas

Rede Paraíba apresenta números da transmissão do Campeonato Paraibano aos clubes

Dirigentes se reuniram em Campina Grande, onde fizeram um balanço da competição

Representantes da Rede Paraíba, dos clubes e da Federação Paraibana de Futebol (FPF) se reuniram na tarde desta segunda-feira em um restaurante de Campina Grande para a última reunião sobre o Campeonato Paraibano de 2021. Na ocasião, foram apresentados os números de audiência e o ranking de assinaturas do estadual. Estiveram presentes no encontro a presidente da FPF, Michelle Ramalho, o gerente comercial da Rede Paraíba de Comunicação, Paulo Eduardo, o coordenador de Esportes da Rede Paraíba, Expedito Madruga, o gestor de conteúdo web, Taiguara Rangel, além dos presidentes de clubes, Aldeone Abrantes, do Sousa, Alexandre Cavalcanti, do Botafogo-PB, Walter Júnior, do Treze, Phelipe Cordeiro, do Campinense, e Jailton Oliveira, da Perilima.

 

Passado aquele clima de competição do estadual, que teve uma decisão bem equilibrada entre Campinense e Sousa – melhor para a Raposa que foi campeã -, o almoço foi de descontração e de muita alegria por conta das marcas alcançadas por todos os envolvidos.

Paulo Eduardo comemorou os resultados

Para o gerente comercial da Rede Paraíba de Comunicação, Paulo Eduardo, o projeto, que levou ao torcedor todos os 34 jogos do torneio de futebol mais importante do estado, foi um sucesso.

 

– A Rede Paraíba de Comunicação acha que o Campeonato Paraibano foi um sucesso e acredita na continuidade da parceria. Tivemos 34 jogos e todos os times foram atendidos. Tivemos transmissão em televisão aberta, em streaming, na CBN. A gente acredita que é possível, sim, com esse formato para o ano que vem – comentou o diretor.

Michelle Ramalho elogiou a iniciativa da Rede Paraíba

A presidente da FPF, Michelle Ramalho, foi outra que comemorou a parceria do futebol paraibano com a Rede Paraíba, que trouxe mais visibilidade ainda ao principal produto de entidade, que voltou a ter sua final transmitida em TV aberta pela Globo após três décadas.

 

– Estou muito feliz e muito agradecida à Rede Paraíba de Comunicação por ter conseguido, num momento tão difícil, ter levado alegria aos torcedores em casa e fazer com que ajudássemos os clubes neste momento dificuldade. Foi muito importante essa parceria, finalizando com a TV aberta, com essa transmissão fantástica. Estou realizada em entregar essa competição com chave de ouro que foi essa parceria com a Rede Paraíba – disse.

Expedito Madruga exaltou a ajuda financeira que os clubes tiveram

O coordenador de Esportes da Rede Paraíba, Expedito Madruga, também falou da importância da transmissão de toda a competição, que ajudou bastante os clubes em um momento histórico complicado.

 

– Saldo muito importante não só para a gente, mas para os clubes e os torcedores, que tiveram a visibilidade dos seus clubes. Todos saíram ganhando com esse projeto. O mais importante foi a semente que ficou plantada para outras parcerias – analisou.

 

Foram vendidos 6995 ingressos virtuais, dos mais diversos pacotes oferecidos pelo Jornal da Paraíba. Os 8 times que disputaram o torneio deste ano receberam nesta segunda-feira suas cotas de transmissão, que no total chegaram à marca de R$ 213 mil, após deduzidos os impostos. O montante foi dividido pelas 8 equipes. De toda a arrecadação, 50% foi dividido de forma igualitária pelos 8 times, enquanto a outra metade foi dividida de acordo com o ranking de assinaturas. Confira abaixo o que disseram os outros dirigentes sobre o projeto.

 

Aldeone Abrantes (presidente do Sousa)

 

O saldo foi muito positivo. Foi a melhor campanha do Sousa nos últimos 10 anos. Conseguimos voltar para a Copa do Brasil depois de oito anos, garantimos calendário pelo segundo consecutivo. O novo formato, com a televisão, foi bom demais na integração do clube com a torcida, que não ficou tão distante. Diminuiu mais a melancolia dos estádios vazios.

Alexandre Cavalcanti (E) e Aldeone Abrantes (D) observam os números da competição

 

Alexandre Cavalcanti (presidente do Botafogo-PB)

Diante das circunstâncias, eu acho que o campeonato enxuto foi a forma mais prudente que a gente tinha, apesar de o Botafogo-PB não ter se sagrado campeão, que é um ponto negativo. A organização está de parabéns. Venceu quem tinha que vencer. O Jornal da Paraíba apoiou em todos os momentos. Acredito que tenha sido exitoso.

 

Phelipe Cordeiro (presidente do Campinense)

O Campeonato Paraibano deu uma guinada muito forte com essa parceria entre a Rede Paraíba, a FPF e os clubes. Nos ajudou a diminuir o déficit de bilheteria que vínhamos encontrando, com a falta do público no estádio. Mas, graças a Deus, a Rede Paraíba chegou para que a gente pudesse diminuir esse déficit e levar para o torcedor o nosso futebol.

 

Walter Júnior (presidente do Treze)

Avaliamos de forma muito positiva. Esperamos que isso possa acontecer nas próximas edições. Deu uma visibilidade muito grande para o nosso futebol. Estávamos discutindo que podemos fazer de uma forma com mais antecedência para que frutos melhores possamos conseguir nos próximos anos. Em conversa de bastidores por aqui, a conversa de primeiro plano é que a gente repita de uma forma bem mais organizada e bem mais estruturada, já que vamos fazer com bastante antecedência

Jailton Oliveira (presidente da Perilima)

Quero parabenizar por essa transmissão, por esse apoio que deram ao futebol paraibano. Vocês (a Rede Paraíba) chegam para marcar um divisor de águas no futebol paraibano que não tinha visibilidade nenhuma. Através desse trabalho, o futebol da Paraíba pôde ser acompanhado do Rio de Janeiro, como eu acompanhei muitas partidas pela internet, ou em qualquer lugar do mundo. A Perilima, apesar de ter sido rebaixada, saiu de cabeça erguida, porque nós jogamos contra os grandes de igual para igual, mesmo tendo cinco atletas titulares de nossa equipe com idade sub-20. É esse o nosso foco: valorizar a base.