Opinião 22:44

Por enquanto, a vacina em JP é para quem tem ou vai de carro

Foto: Jornal da Paraíba

Por LAERTE CERQUEIRA

No JPB 2 desta quinta-feira (18) à noite, na TV Cabo Branco, a fala de uma autoridade de saúde da capital deixou muita gente revoltada. Boquiaberta. Alguns não queriam acreditar. Duvidaram do que ouviram. Em entrevista ao repórter Hebert Araújo, disse que quem não for de carro para vacinação não será imunizado.

É que, segundo ela, ainda não há condições, estrutura para atender quem está de carro e quem estiver a pé, ao mesmo tempo. Foi realista, direta. Talvez por isso assustou. Revelou a falta de agilidade da secretaria de Saúde de JP no planejamento dessa situação.

E completou: “Então, as pessoas que não têm carro, elas precisam ir de alguma forma. Ir de táxi, de uber, ou esperar o drive que a gente está planejando fazer para as pessoas que não têm carro, moto”, explicou.
Oi? Como assim? Que realidade é essa que os gestores da vacinação em JP estão vivendo?

Tem idoso que está pagando a comida da família inteira. Alguns não têm como pedir emprestado porque já estão devendo até a alma no mercadinho da esquina. E quem só tem o dinheiro do ônibus? Já caro. E quem não tem amigo, parente ou aderente que possua carro para dar aquela carona?

Excludente

É excludente, elitista, inadmissível, terrível. Temos uma lista de adjetivos. É preciso encontrar uma maneira de atender quem não tem um veículo, mas precisa ser imunizado. Rapidamente. Porque a vida de quem tem um carro deve valer igual à vida de quem não tem um ou não tem condições de pagar pelo transporte individual até o drive thru.

Os especialistas em Saúde tinham que estar virando a noite pra encontrar uma maneira. Não estamos numa guerra? Se servir de consolo, ficamos sabendo que já estão se organizando pra isso. Talvez o ginásio Ronaldão seja o local escolhido para quem precisa buscar a imunização a pé. Mas especialistas, com atuação nas comunidades, relatam que  só uma ação descentralizada, com equipes organizadas, vai resolver o problema dessa exclusão.

Tomara que alguma alma mais sensível encontre uma solução rápida. Não dá para, praticamente, condicionar a vacinação de um idoso fragilizado financeiramente e emocionalmente a um carro. Um idoso que seja.

Notícia boa
Nesta sexta-feira (19), começa a vacina de quem tem mais de 85 anos (que conseguir ir de carro). E, felizmente, os idosos acamados estão sendo vacinados direitinho.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *