Executivo 8:11

Novo decreto vai manter ‘toque de recolher’ e tomar medidas mais rígidas na Paraíba

Por ANGÉLICA NUNES

 

Foto: Francisco França/Secom-PB

O governador João Azevêdo (Cidadania) confirmou que o novo decreto com medidas restritivas para conter o avanço da pandemia da covid-19 será mais rígido do que o anterior. As novas regras serão divulgadas ainda nesta terça-feira (9) num edição extra do Diário Oficial do Estado e já entra em vigor amanhã (10), data em que o decreto anterior perde o vigor. O novo decreto vai valer até o dia 24 de março.

Como já era esperado, haverá a redução do horário de funcionamento e até o fechamento de alguns setores. “Estamos buscando a proteção à vida. Não há uma única forma que não seja através do isolamento social, a redução da mobilidade urbana, e a vacina, que também estamos enfrentando”, declarou o governador em entrevista à TV Cabo Branco.

Já é certo que o novo decreto vai manter o toque de recolher para manter a limitação da circulação das pessoas das 22h às 5h. Também foi negociado com alguns setores, como o da construção civil, a mudança de horário de trabalho para equilibrar a circulação de pessoas e evitar aglomeração, principalmente no transporte público.

Serviços suspensos

João Azevêdo disse que está trabalhando também para que o serviço público seja totalmente suspenso para reduzir a mobilidade urbana, sobretudo em João Pessoa e Campina Grande, onde está concentrada a maior parte da população. Órgãos como o Detran-PB por exemplo, deve ficar com quase todos os seu serviços remotos. Na polícia civil, que é atividade essencial, haverá redução do expediente nas Delegacias, que funcionarão das 8h às 14h.

Multas

O governador disse que um diferencial desse decreto é que será previsto multa para pessoas que não usarem máscaras. O equipamento de proteção individual é obrigatório para evitar o contágio pela covid-19. No decreto anterior já havia a previsão, mas para estabelecimentos.

Medidas

As medidas mais restritivas, segundo o governador da Paraíba, estão amparadas na nova avaliação do Plano Novo Normal, que classificou 211 municípios na bandeira laranja e oito na vermelha. Outra preocupação é o iminente colapso no sistema de saúde com a superlotação dos leitos para tratamento da covid-19, que está em torno de 90% na região da Grande João Pessoa e no Sertão e de 80% em Campina Grande.

As novas regras, pontuou ele, estão sendo fechadas através do diálogo com os órgãos de controle através de reunião com representantes dos poderes (Ministério Público, Tribunal de Justiça, TCE e Assembleia Legislativa), além de prefeitos.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *