Executivo 10:22

João admite ‘terceira onda’ e planeja decreto com restrições para São João na Paraíba

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA 

 

Foto: divulgação

A regressão dos municípios paraibanos para a bandeira laranja, nesta segunda quinzena, acendeu a luz de alerta no governo do estado. Em entrevista ao Bom Dia Paraíba, da TVs Cabo Branco e Paraíba, o governador João Azevêdo (Cidadania) admitiu que estamos no início de uma ‘terceira onda’ da Covid-19. O efeito disso é a possibilidade de enfrentarmos mais medidas restritivas, principalmente para desestimular as festas juninas.

A partir do dia 2 de junho, quando perde o vigor o atual decreto, será editado um novo ordenamento especialmente voltado para o mês de junho.

“Sabemos da importância da tradição que as festas juninas que tem para nós, entretanto, temos que entender definitivamente que estamos numa pandemia. Essa doença já matou 7.275 paraibanos e muita gente ainda acha que essa doença não chega próximo de seus familiares e amigos”, comentou.

João disse que o mês de junho preocupa muito, mas além dos decretos com medidas restritivas, o estado também tem agido para não colapsar o sistema de saúde.

Dados alarmantes

A preocupação do governo é que o coronavírus voltou a circular com maior taxa de transmissão entre a população. Segundo João Azevêdo, no início de abril ele estava em 0,94. Atualmente já chega a 1,01 (cada 100 contaminados conseguem contaminar outros 110) e em 107 cidades esse índice passa de 1,5.

Outro fator levado em consideração para a adoção de medidas mais restritivas é a aumento da taxa de ocupação dos leitos hospitalares para Covid-19, sobretudo no Sertão paraibano e em Campina Grande que chega, respectivamente, a 90% e 67%.

“Isso faz com que o sinal de alerta surja imediatamente. Em março, tínhamos uma média de 76 internações por dia e hoje estamos com 87 internações por dia e isso gera uma pressão grande”, comentou.

 

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Angélica Nunes
    Marcelo

    Agora temos a 3 onda, por parte do governo, é assim vai prosseguir com medidas para quebrar o comércio em geral para tentar verba junto ao governo federal

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *