Executivo 8:21

Cícero avalia cancelar feriado de São João, mas defende decreto mais flexível em João Pessoa

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA

 

Foto: divulgação/Secom-JP

O novo decreto com medidas restritivas para conter o avanço da Covid-19 em João Pessoa só deve sair no fim da semana. No entanto, o prefeito Cícero Lucena (PP) antecipou ao Bom Dia Paraíba, nesta quarta-feira (16), que planeja cancelar o feriado de São João para tentar reduzir a circulação de pessoas, apesar de defender a flexibilização de alguns setores.

A lógica do prefeito, também defendida ontem pelo secretária de Saúde, Fábio Rocha, é de que a situação dos índices da capital não são tão preocupantes como nas semanas anteriores. Ele afirmou que a taxa de ocupação de leitos caiu, bem como o RT, que é a taxa que mede a transmissibilidade de pessoa a pessoa. Cícero também pontuou o aumento da testagem na população e de pessoas vacinadas na cidade.

Todas essas questões serão levadas à mesa de negociação em uma reunião que deve ser realizada com a equipe do governador até sexta-feira (18).

Para o prefeito, é preciso haver um equilíbrio entre as medidas necessárias de isolamento social para conter a pandemia e a proteção da economia, penalizada com o fechamento por meio de sucessivos decretos. “Vamos conversar com o governo e levar essa posição”, disse.

São João

Apesar da boa situação em relação aos índices, em relação às festas juninas, o prefeito defendeu prudência porque são festejos que, naturalmente, geram aglomeração.

“Estamos discutindo a questão de que vamos deixar sem feriado para não levar o vírus para o interior ou trazer do interior para cá”, antecipou Cícero.

Dentre tantos pontos que podem ser alvo de nova batalha judicial, como abertura de bares e restaurantes, academias e celebrações religiosas, como em outro momento já ocorreu entre governo e prefeitura, o São João deve ser o único consenso. Isso porque o governador João Azevêdo também já defendeu a suspensão das festas juninas para conter o avanço da pandemia.

 

Confira um trecho da entrevista:

 

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *