Covid-19 7:31

Às vésperas do fim do decreto, Paraíba é classificada em ‘alerta crítico’ pela Fiocruz

Por ANGÉLICA NUNES e LAERTE CERQUEIRA

 

O decreto do governo da Paraíba com medidas restritivas para conter o avanço da covid-19 perde o vigor na próximo sexta-feira (26). Os números de mortes em decorrência da doença e, principalmente, a superlotação de leitos de UTI Covid-19 no estado, devem impor medidas ainda mais restritivas por parte do governador João Azevêdo (Cidadania) nos próximos 14 dias.

Esta, inclusive, é a recomendação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em um boletim da entidade divulgado nesta terça-feira (23) após analisar a situação do sistema hospitalar em todo o país. Com exceção para Amazonas e Roraima, todos os estados do Brasil e o Distrito Federal estão na classificação de “alerta crítico”.

O boletim aponta que a Paraíba tem taxa média de ocupação de 83% de leitos de UTI Covid-19 para adultos. Os dados batem com os divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) que apontam, ainda, que na Região Metropolitana de João Pessoa, o índice é de 93%; em Campina Grande, 73%; e no Sertão, 95%. Foram mais de 100 internações em 24 horas.

“Desde o início do mês de março, o país assiste a um quadro que denota o colapso do sistema de saúde no Brasil para o atendimento de pacientes que requerem cuidados complexos para a Covid-19. (…) Este colapso não foi produzido em março de 2021, mas ao longo de vários meses, refletindo os modos de organização para o enfrentamento da pandemia no país, nos estados e nos municípios”, informa o Boletim da Fiocruz.

Além de sugerir a restrição das atividades para buscar a “redução de cerca de 40% da transmissão”, os especialistas pedem o uso obrigatório de máscaras por pelo menos 80% da população.

Mapa da lotação das UTIs nos estados do Brasil — Foto: Reprodução/Fiocruz

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *