Curiosidades históricas ligadas ao Oscar 2016

Muitos pensavam que era certa a vitória de O Regresso na categoria principal do Oscar 2016 neste último domingo (dia 28). Campeão de indicações – lembrado em 12 categorias – o longa de Alejandro González Iñárritu teria uma curiosidade peculiar caso tivesse vencido como Melhor Filme: a ausência da produção na categoria de Melhor Roteiro (no caso, o adaptado).

Da esq. para dir.: fotógrafo Lubezki com DiCaprio e o diretor Iñárritu - Getty Images/Divulgação

Da esq. para dir.: fotógrafo Lubezki com DiCaprio e o diretor Iñárritu – Getty Images/Divulgação

Na história do Oscar, apenas em sete casos isso ocorreu, o que equivale a 92% das 88 edições da premiação. Receberam a estatueta dourada de Melhor Filme e não foram indicados pelos seus roteiros os longas Asas (1927), Melodia na Broadway (1929), Grande Hotel (1932), Cavalgada (1933), Hamlet (1948), A Noviça Rebelde (1965) e mais “recentemente” Titanic (1997). Pelas estatísticas, não era de se estranhar que Spotlight: Segredos Revelados (vencedor também na categoria de Melhor Roteiro Original) ocupasse o lugar mais alto.

Em outra curiosidade, O Regresso e Mad Max: Estrada da Fúria (que ganhou em seis categorias das 10 que concorria) – os que tinha maior número de indicações – não estavam disputando nas seções de roteiro.

Mad Max, inclusive, burlou um quesito sempre criticado pelos figurinistas das produções indicadas, cuja esmagadora vitória pende para as roupas e acessórios de época, ignorando a criatividade e o trabalho dos figurinos contemporâneos (neste caso, os futuristas). Desde 1994 com o australiano Priscilla, A Rainha do Deserto (onde a figurinista Lizzie Gardiner subiu com um vestido feito totalmente com cartões de crédito) não se premiava esse período na categoria.

Não ouve surpresas nas categorias principais na ala dramática. O favoritismo de Leonardo DiCaprio (O Regresso) e Brie Larson (O Quarto de Jack) foram concretizados. Entre os coadjuvantes o britânico Mark Rylance (Ponte dos Espiões) nocauteou o favorito Stallone (Creed) e a novata sueca Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa) foi a melhor.

Complementando as surpresas, a sutileza dos efeitos especiais da ficção científica Ex_Machina: Instinto Artificial superou favoritos como O Regresso, Mad Max e Star Wars.

Brie Larson ('O Quarto de Jack') recebendo o Oscar de Melhor Atriz das mãos de Eddie Redmayne

Brie Larson (‘O Quarto de Jack’) recebendo o Oscar das mãos de Eddie Redmayne – Getty Images/Divulgação

RECORDES

Além de DiCaprio, O Regresso deu a segunda estatueta consecutiva a Alejandro González Iñárritu. O mexicano entrou para o seleto grupo que ganhou duas vezes seguidas, formado pelos norte-americanos John Ford (por Vinhas da Ira e Como Era Verde Meu Vale) e Joseph L. Mankiewicz (por Quem é o Infiel? e A Malvada). Desde 1951 não acontecia uma proeza assim.

Vale frisar que é a terceira vez consecutiva que um realizador do México conquista a estatueta. Ano passado foi o mesmo Iñárritu por Birdman e em 2014 foi a vez de Alfonso Cuarón por Gravidade.

Valendo-se também do green card, o também mexicano Emmanuel Lubezki foi tricampeão seguido pela fotografia desses filmes (Gravidade, Birdman e O Regresso). Além dos planos-sequência, sua marca registrada, em O Regresso ele teve que usar apenas a luz natural para enquadrar o filme – o que resultou numa produção de nove meses.

HOLOFOTES

Spotlight: Segredos Revelados foi o Melhor Filme de 2015, de acordo com a Academia de Hollywood. Muitos podem estranhar por ser uma produção sem virtuosismos técnicos ou a “cara” de épico ou blockbuster como alguns de seus concorrentes.

Baseado numa história real de um grande jornal de Boston e sua investigação sobre casos de pedofilia na Igreja católica, o longa é conduzido com competência pelo diretor Tom McCarthy (coroteirista que também recebeu uma indicação pelo argumento da animação Up!).

A vitória sinaliza também a decisão dos votantes de eleger o conteúdo (e não apenas a forma) de uma produção que tem um caráter de denúncia bastante atual.

Talvez seja um primeiro passo para a Academia reconhecer não apenas por indicações os filmes independentes (que parecem ter “cotas” todo ano) como o ótimo O Quarto de Jack? Só o tempo e as outras futuras edições poderão dizer.

Equipe de 'Spotlight': Melhor Filme de 2015 - Getty Images/Divulgação

Equipe de ‘Spotlight’: Melhor Filme de 2015 – Getty Images/Divulgação

CONFIRA A LISTA COMPLETA DE VENCEDORES DO OSCAR 2016:

Melhor Filme: Spotlight: Segredos Revelados

Melhor Diretor: Alejandro González Iñárritu (O Regresso)

Melhor Ator: Leonardo DiCaprio (O Regresso)

Melhor Atriz: Brie Larson (O Quarto de Jack)

Melhor Ator Coadjuvante: Mark Rylance (Ponte dos Espiões)

Melhor Atriz Coadjuvante: Alicia Vikander (A Garota Dinamarquesa)

Melhor Roteiro Original: Spotlight: Segredos Revelados

Melhor Roteiro Adaptado: A Grande Aposta

Melhor Figurino: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor Direção de Arte: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor Cabelo e Maquiagem: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor Fotografia: O Regresso

Melhor Montagem: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhor Edição de Som: “Mad Max: Estrada da Fúria”

Melhor Mixagem de Som: Mad Max: Estrada da Fúria

Melhores Efeitos Visuais: Ex_Machina: Instinto Artificial

Melhor Curta-metragem de Animação: Bear Story

Melhor Animação: Divertida Mente

Melhor Documentário em Curta-metragem: A Girl in the River: The Price of Forgiveness

Melhor Documentário: Amy

Melhor Curta de Documentário: Stutterer

Melhor Filme Estrangeiro: O Filho de Saul (Hungria)

Melhor Trilha Sonora: Ennio Morricone (Os Oito Odiados)

Melhor Canção: Sam Smith e James Napier – “Writing’s on the Wall” (007 contra Spectre)

DOS GANHADORES, QUEM PERMANECE INÉDITO NA PARAÍBA?

Tirando as categorias que geralmente nunca iriam estrear aqui no Estado (essencialmente as produções de curtas-metragens), os filmes que não estrearam por aqui foram: o drama O Quarto de Jack (Melhor Atriz), a ficção científica Ex_Machina: Instinto Artificial (Efeitos Especiais) e o húngaro O Filho de Saul (Melhor Filme Estrangeiro).

Além desses, o documentário Amy (Melhor Documentário) também é inédito, mas já se encontra em serviços de streaming como a Netflix e o GloboSat Play.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *