‘Curta Coremas’ divulga os filmes selecionados para mostra; confira

Documentário 'Sem Pena' terá exibição especial no festival de Coremas (divulgação)

Documentário ‘Sem Pena’ terá exibição especial no festival audiovisual de Coremas (divulgação)

Foi divulgada quinta-feira a lista oficial de filmes que irão participar do 5° Curta Coremas, festival audiovisual que volta a acontecer na cidade localizada no Sertão paraibano entre 30 de julho e 2 de agosto.

De acordo com informações divulgadas pelo Curta Coremas, o festival recebeu mais de 400 inscrições. Desses, 36 filmes foram selecionados e distribuídos entre as mostras Rio Turbinas (curtas), Mãe D’ Água (paraibanos), Panorama Brasil (nacionais) e Infantojuvenil.

Produções de municípios de Sousa, Patos e Catolé do Rocha se destacaram entre os curtas-metragens paraibanos.

Na categoria mostra nacional, há filmes de São Paulo, Pernambuco, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A premiação acontece no dia 2 de agosto, às 19h30, no auditório do colégio Santa Rita.

O evento conta com uma sessão especial dedicada a duas produções convidadas: ‘Sem Pena’, documentário paulistano de Eugênio Puppo, e ‘Alguma Coisa na Vida’, dirigido pelo Coletivo Luís Eduardo Magalhães (BA).

Confira a lista completa de selecionados por categoria:

MOSTRA MÃE D’ÁGUA (Filmes Paraibanos)

– PIRIAH, dir. Saullo Dannylck – Ficção, Sousa

– QUASE VIDA, dir. Deleon Souto – Ficção, Patos

– QUANDO BATEM ÀS SEIS HORAS, dir. Mikaelly Batista – Ficção, Sousa

– 5º MANDAMENTO, dir. Cícero Alves – Ficção

– PRISÃO DAS ALMAS, dir. Erik Medeiros – Ficção, Campina Grande

– MALHA, dir. Paulo Roberto – Documentário, Nazarezinho

– CONTÍNUO, dir. Odécio Antônio – Ficção, João Pessoa

– METADE, dir. Carlos Mosca – Ficção, Campina Grande

– CANDEEIRO, dir. Adriano Roberto – Documentário, São José dos Ramos

– NO RASTRO DA ESPOLETA, dir. Vinícius e Bonerges Guedes – Ficção, Catolé do Rocha

MOSTRA PANORAMA BRASIL

– JOÃO HELENO DOS BRITOS, dir. Neco Tabosa – Ficção, Pernambuco.

– O SEGREDO DA FAMÍLIA URSO, dir. Cintia Domit Bittar – Ficção, Santa Catarina.

– SÊO INÁCIO (OU O CINEMA DO IMAGINÁRIO), dir. Helio Ronyvon – Documentário, Rio Grande do Norte.

– MARINA NÃO VAI À PRAIA, dir. Cássio P. Santos – Ficção, Minas Gerais.

– GUIDA, dir. Rosana Urbes – Ficção/Ani, São Paulo.

– PRETO OU BRANCO, dir Alison Zago – Ficção, São Paulo.

– DIABOLIN, dir. Mailsa Passos e Virgínia Gualberto – Documentário, Rio de Janeiro.

– COLOSTRO, de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet – Ficção, São Paulo.

– OLHOS DE BOTÃO, de Marlom Meirelles – Ficção, Pernambuco.

– A PEQUENA VENDEDORA DE FÓSFOROS, de Kyoko Yamashita – Ficção/ani. Rio Grande do Sul.

MOSTRA RIO TURBINAS (Filmes curtíssimos)

– LOGIN, de Cristiano Sousa

– RASTRO DA FLOR, de André Santos

– ESSA MOÇA TÁ DIFERENTE, de Rafael Jardim

– LUGAR COM SOL, de Rebecca Pelagio

– O HOMEM POR TRÁS DA CORTINA, de Maucírio Oliveira e Rafael Chiafarelli

MOSTRA INFANTOJUVENIL

– É UMA VEZ, dir. Ludielma Laurentino

– ATRÁS DA HISTÓRIA (OU NO CORAÇÃO DO FILME), dir. Jarleo Barbosa

– A BALEIA E O TESOURO, dir. Coletiva – oficina Marlim Azul

– O BALÉ DA CHUVA, dir. Henrique Faria

– MARIA MACACA, dir. Lázaro Ribeiro

– A INFÂNCIA DE ANINHA, dir. Rosa Berardo

– PARQUE PESADELO, de Aly Muritiba, Francisco Gusso e Pedro Gionco

– OS MENINOS PERDIDOS, dir. Giordano Gio

– VIA ACAUÃ, dir. Coletiva – oficina de animação

– ENTREVISTA DE EMPREGO, dir. Thiago Penteado

– RETIRANTES, dir. Maíra Coelho

SESSÃO ESPECIAL (Filmes Convidados)

– SEM PENA, dir. Eugênio Puppo. Longa, Documentário, São Paulo – SP.

– ALGUMA COISA NA VIDA, dir. Coletivo Luís Eduardo Magalhães – BA.

Por Danielly Chaves

2 respostas para ‘Curta Coremas’ divulga os filmes selecionados para mostra; confira

  1. Ainda bem que temos iniciativas de apoio e incentivo a esta arte maravilhosa que é o cinema/arte. O isolamento da população causado pela tecnologia moderna, tirou este lazer informativo em que tantos admiradores da arte ficaram sem ter a oportunidade de mostrar a seus filhos, principalmente no “interior”, como é um cinema. E este projeto cultural traz este resgate e a valorização do profissional e a condição de que a arte de representar, interpretar e informar, ainda está viva graças a estes “bandeirantes” do cinema povo. Aqui em Guarabira já tivemos uma pequena amostra deste trabalho, no que sobrou do espaço cinema/teatro – Geraldo Alverga. Foi um sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *