“O mundo instintivo é um mundo carnal”, afirma Deborah Colker sobre espetáculo

belle

Sensualidade e erotismo estão presentes em ‘Belle’ (Flávio Colker/divugalção)

A Cia. de Dança Deborah Colker retorna aos palcos de João Pessoa na próxima semana com adaptação do livro Belle du Jour, lançado por Joseph Kessel em 1928, e que em 1967 inspirou o clássico A Bela da Tarde, com Catherine Deneuve.

O espetáculo Belle fica em cartaz nos dias 24 (terça) e 25 (quarta) de março no teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural, às 20h. Os ingressos – com cadeiras numeradas – custam R$ 90,00 (inteira) e R$ 45,00 (meia) e estão à venda na loja Imaginarium do Manaíra Shopping.

Em entrevista que o JORNAL DA PARAÍBA publica na próxima terça-feira (24), Deborah Colker adianta com EXCLUSIVIDADE que o embate entre a razão e o instinto foi o que a levou a fazer a adaptação do livro.

Com a dança, a renomada coreógrafa procura retratar a mulher burguesa, bem casada, que tem tudo e, ao mesmo tempo, sente falta de algo. Por isso, ela acaba atendendo ao chamado do instinto e passa a frequentar um bordel todas as tardes.

“Meu espetáculo é centrado na ideia de que é uma viagem dentro da personagem principal. Mostra exatamente os delírios da cabeça dela e suas experiências orgânicas internas. Me encanta muito essa história porque ela é muito humana. Ela foi escrita na década de 20 e continua sendo atual”, afirma Colker.

Sensualidade e erotismo estão presentes nos movimentos de Belle. “O mundo instintivo é um mundo carnal, de segredos, daquilo que não é permitido. É uma experiência de um novo corpo, uma nova sexualidade. E isso eu trago no espetáculo”, explica a coreógrafa.

O destaque vai para a trilha sonora. “Ela é toda eletrônica. Tem rock’n’roll, tem Velvet Underground, porque a saída do mundo da Séverine para o de Belle é muito pancada”, comenta.

Confira o teaser do espetáculo:

Por Mariana Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *