Uma das poucas lojas de discos do Brasil, Música Urbana completa 17 anos nesta segunda (9)

roberio_rodrigues_musica_urbana_loja_de_usados_pag.Pagina_3_cad.Vida_

Robério Rodrigues, o paladino que luta para manter a loja de CDs aberta (Rizemberg Felipe/Jornal da Paraíba)

Robério Rodrigues é um herói da resistência. Há exatos 17 anos, sustenta a Música Urbana, uma loja de discos no Centro de João Pessoa. Isso mesmo, loja de discos, esse artigo em extinção que outrora abrigava a música que compunha a trilha sonora de nossas vidas.

Devorado pelo compartilhamento rede a rede, os discos foram minguando, minguando até que grandes magazines ruíram pela falta de sustentação. Sobretudo no Brasil, onde edições de luxo são limadas frente aos altos impostos e muitos discos novos sequer são lançados em CD (vide o último de Neil Young), os discos se tornaram raros, mas facinantes objetos de colecionador.

No comando da nossa “Championship Vinyl” está o tímido e simpático Robério, um fã inveterado de Smiths, R.E.M. e do rock indie dos anos 1980, de modo geral, que largou o birô de uma empresa de seguranças para montar a loja.

Dono de poucas, mas ótimas palavras, ele dispara seus petardos no Facebook sobre o dia a dia da loja e suas impressões sobre juventude, colecionadores, João Pessoa, cultura pop etc. Vale à pena seguí-lo.

Os poucos, mais fiéis colecionadores de CD, LP e DVD é que mantém em pé a loja B do Edifício Santana, na avenida Visconde de Pelotas, próximo à Praça Rio Branco. Abraçam-na com carinho, pegam no colo e prezam para manter aberto um ponto de encontro de músicos, jornalistas, fãs e gente comum que gosta de boa música.

Percebendo que as pessoas chegavam na loja e não queriam mais sair, Robério aproveitou para instalar um frigobar e passou a vendar água, cerveja e refrigerante, que se unem a discos, livros, HQs, camisetas, instrumentos e acessórios.

“Afinal, as pessoas vêm aqui e, embora não comprem discos, acabam tomando uma cerveja”, me disse para uma matéria que publiquei em 19 de julho de 2008.

O mini-bar virou ponto de apoio nos dias de ‘Sabadinho Bom’, que anima as tardes de sábado no Centro de João Pessoa. Para Robério, o projeto da Funjope trouxe visibilidade para a Música Urbana, levando até lá gente que nunca sonhou em entrar em uma loja de discos. O lado ruim, diz, é quando resolvem fazer o pátio da loja de banheiro…

Hoje, ele admite que leva a loja com dificuldade – “Os últimos três anos têm sido bem difíceis”, admite, sobre o mercado cada vez mais restrito. “Mas a gente vai levando na raça, com ajuda dos clientes que se tornam grandes amigos”, acrescenta, para arrematar: “Se Deus quiser, a loja vai fazer 18, 20 anos….”

A Música Urbana fica aberta de segunda a sexta, do meio-dia às 18h. Sábados, das 10h às 17h.

Uma resposta para Uma das poucas lojas de discos do Brasil, Música Urbana completa 17 anos nesta segunda (9)

  1. Claudio Fernando Gomes Craveiro says:

    Parabéns! Conheci a loja na companhia de Bruno Torres!
    Verdadeiras raridades são encontradas aí .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *