Cia Deborah Colker volta a João Pessoa em 2015 com novo espetáculo

14262649216_8478853114_z

Turnê de ‘Belle’ passa por João Pessoa nos dias 25 e 26 de março de 2015 (Flávio Colker/divulgação)

A companhia de dança Deborah Colker volta a João Pessoa em 2015 com novo espetáculo, Belle. A informação foi confirmada pela produtora e bailarina Tathiana Rangel, que revelou ao JORNAL DA PARAÍBA que conseguiu as datas de 24 e 25 de março para a capital paraibana, dentro da passagem da turnê do espetáculo pelo Nordeste. O local, entretanto, ainda não foi definido.

Belle é livremente inspirado em Belle de Jour, livro do escritor franco-argentino Joseph Kessel lançado em 1928 e que também serviu de base para o clássico A Bela da Tarde (1967), de Luís Buñuel.

A leitura do romance seduziu Deborah em 2011, pouco depois da estreia de seu espetáculo anterior, Tatyana, também inspirado em uma obra literária.

montagem

Espetáculo de dança, ‘Belle’ é inspirado no livro ‘Belle de Jour’ (Flávio Colker/divulgação)

A temática de Belle, porém, está mais associada a outros balés da coreógrafa: (2005) e Cruel (2008), em cenário grandioso e figurino espetacular.

Paixão, amor e desejo são o que movem e Cruel. E marcam todos os passos de Belle, mas com doses ainda mais fortes de sensualidade. O erotismo, garante o material de divulgação, nunca esteve tão presente no trabalho de Deborah.

“O ser humano é muito erótico, mas a vida faz com que a gente fique se blindando contra algo que nos pertence”, diz ela, que ressalta ter sempre “interesse por quem anda fora dos trilhos”.

Para a coreógrafa, a divisão entre amor e desejo, razão e instinto não diz respeito a uma personagem isolada, mas a qualquer ser humano.

“Essa mulher se divide entre duas servidões. Esta é uma questão humana, de todos nós”, afirma.

“O ser humano é muito erótico", afirma a coreógrafa Debora Coker (Flávio Colker/divulgação)

“O ser humano é muito erótico”, afirma a coreógrafa Debora Coker (Flávio Colker/divulgação)

A trilha sonora não tem nada de clássica, ao contrário do que ocorreu em Tatyana. Há Miles Davis, Velvet Underground e música eletrônica feita por Berna Ceppas.

Para João Elias, diretor executivo da Cia. Deborah Colker, Belle aborda um tema que traduz a maioridade do grupo, cuja trajetória está completando 21 anos.

“Mostra o amadurecimento da Deborah e da Companhia. É preciso matar um leão por dia, mas estamos aprendendo a ser uma instituição forte”, afirma.

Confira, abaixo, um vídeo promocional do espetáculo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *