Há 25 anos o Brasil perdia Luiz Gonzaga, o Rei do Baião

Vinte e cinco anos após a sua morte, Gonzagão segue como artista que mais arrecada no São João

Vinte e cinco anos após a sua morte, Gonzagão segue como artista que mais arrecada no São João (reprodução)

Há exatos 25 anos, no dia 2 de agosto de 1989, o Brasil se despedia de Luiz Gonzaga do Nascimento, o Rei do Baião, um dos grandes ícones da música popular nordestina. Gonzagão, que nasceu em Exu (PE) e dedicou boa parte da sua vida a criar e a cantar hinos como ‘Asa Branca’, ‘Olha pro céu’ e ‘No meu pé de serra’, morreu vítima de uma parada cardiorrespiratória no Hospital Santa Joana, em Recife (PE).

Entre 1946 e 1955, Seu Lua, como era chamado, foi o artista que mais vendeu discos no Brasil, somando quase 200 álbuns/compactos gravados e mais de 30 milhões de cópias vendidas.

“Comparo Gonzagão a Michael Jackson. Ele desenhava as próprias roupas e inventava os passos que fazia no palco com os músicos”, declarou, certa vez, o diretor Breno Silveira, diretor de Gonzaga — De Pai para Filho, cinebiografia do músico levada às telas em 2012.

Estátua de bronze em homenagem ao Seu Lua em Campina Grande (reprodução)

Estátua de bronze em homenagem ao Seu Lua em Campina Grande (reprodução)

De acordo com o Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), Gonzaga permanece como o músico que mais recebe direitos autorais em festas juninas, “mesmo com a inadimplência de usuários de música, entre eles promotores de shows/eventos que fazem uso das obras do ‘Rei do Baião’ sem efetuar o pagamento da devida retribuição autoral”, sublinhou um comunicado enviado pelo órgão.

O ranking de artistas que mais recebem direitos autorais de execução pública musical do segmento de Festa Junina leva em consideração as músicas executadas publicamente nestes festejos, desde o fim de maio até o início de agosto em todo o país.

Só em 2013, quase cinco mil artistas – entre autores, compositores, intérpretes e músicos – receberam mais de R$ 1,7 milhão de direitos autorais no segmento de festa junina. Luiz Gonzaga liderou o ranking de autores com maiores rendimentos, seguido por Sorocaba, Tato (Falamansa), Mario Zan, Palmeira e Zé Dantas.

Os rankings são formados com base nas gravações realizadas pelo Ecad nos festejos juninos cujos organizadores realizaram o pagamento dos direitos autorais.

Conheça o ranking das 30 músicas de Luiz Gonzaga mais executadas segundo Ecad*:

1 – Asa Branca – Humberto Teixeira/Gonzagão
2 – O Xote das Meninas – Zé Dantas/Gonzagão
3 – Numa Sala de Reboco – José Marcolino/Gonzagão
4 – Sabiá – Zé Dantas/Gonzagão
5 – Qui Nem Jiló – Humberto Teixeira/ Gonzagão
6 – Pagode Russo – João Silva/Gonzagão
7 – Riacho do Navio – Zé Dantas/Gonzagão
8 – Olha pro Céu – Gonzagão/Jose Fernandes De Carvalho
9 – A Vida do Viajante – Gonzagão/Herve Cordovil
10 – Forró no Escuro – Gonzagão
11 – Vem Morena – Zé Dantas/Gonzagão
12 – Baião – Humberto Teixeira/Gonzagão
13 – Assum Preto – Humberto Teixeira/Gonzagão
14 – Cintura Fina – Zé Dantas/Gonzagão
15 – Respeita Januário – Humberto Teixeira/Gonzagão
16 – Paraíba – Humberto Teixeira/Gonzagão
17 – Xote Ecológico – Aguinaldo Bat De Assis/Gonzagão
18 – No Meu Pé de Serra – Humberto Teixeira/Gonzagão
19 – São João na Roça – Zé Dantas/Gonzagão
20 – A volta da Asa Branca – Zé Dantas/Gonzagão
21 – Abc do Sertão – Zé Dantas/Gonzagão
22 – Pau de Arara – Gonzagão/Guio De Moraes
23 – Nem se Despediu de Mim – João Silva/Gonzagão
24 – Forró de Cabo a Rabo – João Silva/Gonzagão
25 – Fogo Sem Fuzil – José Marcolino/ Gonzagão
26 – Roendo Unha – Luiz Santa Fé/ Gonzagão
27 – Juazeiro – Humberto Teixeira/ Gonzagão

(* no período de 2001 a 2011)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *