Cineport 2014: saiba como foi a abertura do Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa

Damião Ramos, da APL, recebe do presidente da Energisa o cheque que vai patrocinar uma estátua de bronze de Augusto dos Anjos (foto: Rafael Passos/divulgação)

Damião Ramos, da APL, recebe patrocínio para uma estátua de bronze de Augusto dos Anjos

Na plateia estava o homem que dá nome à sala onde foi realizada a abertura do Cineport: Vladimir Carvalho. O documentarista paraibano foi um dos convidados para a solenidade de abertura da 6ª edição do Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa, que pelo quarto ano acontece em João Pessoa, na Usina Cultural Energisa.

Um público de cineastas, atores e fãs de cinema, entre imortais da Academia Paraibana de Letras (APL), assistiu à abertura do festival na noite desta sexta-feira (4). A anfitriã, Mônica Botelho, presidente da Fundação Ormeo Junqueira Botelho, que organiza o festival realizado a cada dois anos na Paraíba, deu às boas vindas a plateia internacional, já que entre os paraibanos já havia uma delegação de portugueses, os homenageados desta edição.

Mônica Botelho, a anfitriã do festival (Rafael Passos/divulgação)

Mônica Botelho, a anfitriã do festival

Em seguida, o pai de Mônica, Ivan Botelho, presidente do Conselho Administrativo da Energisa, anunciou que a empresa irá patrocinar uma estátua de bronze do poeta Augusto dos Anjos (1884-1914), que será erguida nos jardins da Academia Paraibana de Letras no ano em que é lembrado o centenário de morte do Paraibano do Século.

O cheque de R$ 75 mil para confecção da estátua foi entregue pelo presidente da Energisa-PB, Marcelo Rocha, e por Mônica Botelho ao presidente da APL, Damião Ramos Cavalcanti, que lembrou, em seu discurso, que o Ormero Junqueira Botelho está enterrado no mesmo cemitério que o Poeta do Eu, em Leopoldina (MG), e que o tio dele foi quem tratou Augusto dos Anjos quando o poeta estava doente.

NOVIDADES NA ESTRUTURA

Além da solenidade, a primeira noite do Cineport 2014 contou com a exibição de Sopro, de Marcos Pimentel, seguido por O Grande Kilapy, filme de Zezé Gamboa rodado em João Pessoa. Também foram exibidos curtas e a programação terminou ao som do ótimo A Troça Harmônica, que celebrou um ano de atividades no palco.

Uma das boas novidades para esta edição é a Tenda Andorinha, que ao lado da Sala Vladimir Carvalho exibe as principais produções do festival. A tenda, completamente modificada, foi transferida da entrada para os fundos da Usina Cultural (onde acontecem shows em outras épocas) e ganhou acabamento mais sofisticado, inclusive com mezanino para comportar mais gente nas sessões mais concorridas.

Logo na porta da Tenda Andorinha fica o palco para os shows, também revisitado, com uma melhor estrutura e telão. Além das tendas, há uma feirinha, duas galerias com exposições de portugueses e paraibano, livraria e praça da alimentação.

O 6ª Cineport segue até o dia 13 de abril na Usina Cultural Energisa, em João Pessoa. Para conhecer a programação, clique aqui.

Público que compareceu à solenidade de abertura do 6º Cineport

Público que compareceu à solenidade de abertura do 6º Cineport

Fotos: Rafael Passos/divulgação

2 respostas para Cineport 2014: saiba como foi a abertura do Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa

  1. O presidente da Academia Paraibana de Letras, Damião Ramos Cavalcanti, manifesta a gratidão de todos os imortais acadêmicos pela doação dos recursos para a estátua de Augusto dos Anjos, poeta paraibano e de coração leopoldinense; especialmente ao então Presidente da Energisa Dr Marcelo Silveira Rocha; à Presidente da Fundação Cultural Ormeo Junqueira e ao seu pai Dr Ivan Botelho , Presidente do Conselho Administrativo da ENERGISA. Damião Ramos Cavalcanti – http://www.drc.recantodasletras.com.br

  2. O presidente da Academia Paraibana de Letras, Damião Ramos Cavalcanti, manifesta a gratidão de todos os imortais acadêmicos pela doação dos recursos para a estátua de Augusto dos Anjos, poeta paraibano e de coração leopoldinense; especialmente ao então Presidente da Energisa Dr Marcelo Silveira Rocha; à Presidente da Fundação Cultural Ormeo Junqueira, Mônica Perez Botelho e ao seu pai Dr Ivan Botelho , Presidente do Conselho Administrativo da ENERGISA. Damião Ramos Cavalcanti – http://www.drc.recantodasletras.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *