Só Vinicius salva as crianças

‘A Arca de Noé’, de Vinicius de Moraes, acaba de ganhar uma releitura

Sou pai de um garoto de quase 3 anos de idade e frequentar eventos infantis virou parte da minha rotina.

Por isso, fiquei horrorizado quando, em dois eventos que fui recentemente, a trilha sonora dos baixinhos não era Xuxa, mas Anitta, com seu rebolador ‘Show das poderosas’, e Psy, o coreano do mega-hit ‘Gangnam style’ e sua dança do cavalo (?!).

Por isso, só Vinícius de Moraes (1913-1980) salva as crianças!

Essas equipes de animação infantil deveriam aproveitar o mês do centenário do Poetinha para se voltar ao rico repertório da Arca de Noé, que acaba de ganhar uma boa releitura.

É esse o assunto de capa do Vida & Arte do Jornal da Paraíba.

A Arca de Noé 2013 foi concebido por Adriana “Partimpim” Calcanhotto, pela filha de Vinícius, Susana Moraes, por Dé Palmeira e Leonardo Netto, que conseguiram escalar um time estelar para ir ao estúdio e recriar, livremente, o repertório de boa parte dos dois discos A Arca de Noé, lançados em 1980 e 1981.

O set list do CD, que acaba de sair pela Sony Music, é o seguinte:

1. A Arca de Noé – Maria Bethânia, Seu Jorge e Péricles (ex-Exaltasamba)
2. O Leão – Caetano Veloso e Moreno Veloso
3. O Pato – Zeca Pagodinho
4. O Peru – Arnaldo Antunes
5. O Gato – Mart’nália
6. O Pintinho – Erasmo Carlos
7. A Corujinha – Chitãozinho & Xororó
8. As Borboletas – Gal Costa
9. A Formiga – Mariana de Moraes
10. A Galinha D’Angola – Ivete Sangalo e Buraka Som Sistemas
11. O Pinguim – Chico Buarque
12. A Cachorrinha – Maria Luiza Jobim
13. O Elefantinho – Adriana Partimpim*
14. As Abelhas – Marisa Monte
15. A Foca – Orquestra Imperial
16. São Francisco – Miúcha e Paulo Jobim
17. A Casa – Vinicius de Moraes

(* inédita)

Eu gostei muito do disco, embora ache o outro mais infantil – ou será minha memória afetiva me atrapalhando? Aqui, os arranjos são mais elaborados, e há ótimas surpresas – cito Zeca Pagodinho e seu “pato pateta”; a releitura sensacional da Orquestra Imperial – com Rodrigo Amarante nos vocais – para ‘A foca’ e Mart’nália mandando muito bem em ‘O gato’, com toques de western.

Para ler a matéria publicada neste sábado no Vida & Arte, clique aqui.

Minhas lembranças dizem que foi através de A Arca de Noé que eu tive meu primeiro contato com uma música de cunho social.

Veja só os versos da faixa-título ‘A arca de Noé’: “Os maiores vêm à frente / Trazendo a cabeça erguida / E os fracos, humildemente / Vêm atrás, como na vida”.

Isso me tocou profundamente.

É o tipo de coisa que não se encontra em Anitta e Psy.

Feliz Dia das Crianças, criançada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *