‘O Som ao Redor’ chegará ao Oscar?

Gustavo Jahm e WJ Solha em cena de ‘O som ao Redor’, de Kléber Medonça Filho (divulgação)

Por Audaci Júnior

O pernambucano O Som ao Redor, filme de Kléber Mendonça Filho com o paulista radicado no Estado WJ Solha e o paraibano Sebastião Formiga no elenco, é o representante brasileiro para passar pelo “funil” do Oscar na categoria de Melhor Filme de Língua Não-Inglesa, ou como preferir, Melhor Filme Estrangeiro.

O que isso quer dizer? Ele é indicado para ser indicado ao Oscar. Até o anúncio dos cinco indicados na categoria, anunciado apenas no começo do próximo ano, terá muito chão – e produções do mundo inteiro – pela frente.

Vez por outra, a comissão especial encarregada de selecionar o candidato brasileiro pelo Ministério da Cultura (MinC) dá um “tiro no pé” quando nomeia um representante, vide Lula – O Filho do Brasil, em 2010.

O peso maior de ter tal filme como pré-candidato é sua repercussão nos Estados Unidos. Ajuta ele ter figurado entre os dez melhores do ano de 2012 na lista do New York Times (em nono lugar), ter uma projeção em mais de 70 festivais internacionais (ganhando alguns prêmios como em Nova York, Copenhague, Noruega e Roterdã) e estrear em 11 países. Mas isso não será suficiente para chegar entre os cinco finalistas.Não se sabe o quanto da “brasilidade” do filme poderá atrapalhá-lo frente a universalidade do “barulho” e conquista de espaço, temas que permeiam O Som ao Redor.

A última vez que uma produção nacional disputou a estatueta dourada na categoria foi em 1999 – quando Central do Brasil, de Walter Salles, foi finalista. Não precisou nem abrir o envelope quando a diva italiana Sophia Loren subiu ao palco para depois gritar: “Roberto! Roberto!” e o fraco A Vida É Bela venceu (aquela edição foi muito estranha porque até o próprio diretor Roberto Benigni ganhou como Melhor Ator).

Caso seja finalista, o filme entra para o seleto grupo de longas nacionais que pisaram no tapete vermelho: O Pagador de Promessas (1963), O Qu4trilho (1994), O Que é Isso Companheiro? (1998) e o já citado Central do Brasil.

Resta apenas torcer…

Em tempo: o DVD e Blu-ray do filme chegará em outubro com vários extras, incluindo making of, cenas cortadas, comentário do diretor, erros de filmagem, e um apanhado de todos os curtas-metragens dirigidos por Kléber Mendonça Filho (A Menina do Algodão, Vinil Verde, Eletrodomésticas, Noite de Sexta Manhã de Sábado, Luz Industrial Mágica e Recife Frio).

Uma resposta para ‘O Som ao Redor’ chegará ao Oscar?

  1. Em outras palavras, é muuuuuuito difícil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *