Rômulo nega que Cartaxo precise de plano “b” e garante legenda para ele em 2018

Prefeito trabalha para construir uma candidatura ao governo do Estado

Luciano Cartaxo foi referendado pelo presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab. Foto: Francisco França

O deputado federal Rômulo Gouveia (PSD) reagiu às especulações de que o prefeito Luciano Cartaxo, do mesmo partido, esteja articulando um plano “b” para as eleições do próximo ano. Aliados do gestor, em reserva, revelam que o PMN será o caminho dele, caso se perceba risco em uma candidatura ao governo do Estado pela sigla pessedista em 2018. O primeiro passo para esta medida foi a filiação do secretário de Gestão Governamental e Articulação Política da Prefeitura de João Pessoa, Zennedy Bezerra, à nova sigla. As conversas são para que ele, listado entre os aliados de primeira hora do prefeito, assuma o comando estadual do partido.

As especulações de bastidores, no Paço Municipal, são de que a proximidade de Rômulo com o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) faria com que ele não pestanejasse em escolher o tucano em detrimento do prefeito em caso de uma candidatura ao governo. “A candidatura de Luciano Cartaxo ao governo do Estado é uma prioridade do PSD nacional, não apenas da Paraíba”, assegurou Rômulo Gouveia. Ele assegura só dependerá do prefeito decidir se será candidato. “Qual partido não quer ter um governador? Lógico que uma candidatura de Cartaxo ampliaria a possibilidade de elegermos uma bancada para a Assembleia Legislativa e reforçaria também nossas candidaturas estaduais”, enfatizou.

PMN

A ida de Zennedy Bezerra para o PMN, segundo aliados, faz com que o prefeito tenha um partido para chamar de seu. O convite para a vinda do auxiliar direto do prefeito foi feito por Lídia Moura e Bala Barbosa, as duas principais lideranças da sigla no Estado. Segundo Barbosa, o PMN da Paraíba vem trabalhando para promover uma renovação em seus quadros de filiados, com o objetivo de fortalecer sua atuação no Estado. “Zennedy é uma liderança comprometida com mudanças profundas que estão ocorrendo na política de João Pessoa e da Paraíba. Acompanhamos de perto o trabalho que ele vem realizado na gestão do prefeito Luciano Cartaxo. Os dois construíram uma trajetória juntos, desde a Câmara Municipal”, disse Bala.

“Agora, estamos trabalhando para convencer Zennedy a assumir o comando do nosso partido na Paraíba. Esse é um passo extremamente importante para consolidarmos o crescimento do PMN na Região Metropolitana e no Interior, preparando-o para chegar ao processo eleitoral de 2018 com uma base mais robusta. Estamos aprofundando o diálogo interno sobre isso e queremos concluir os entendimentos com o secretário nos próximos dias”, ressaltou Bala Barbosa, salientando que Lídia Moura defende uma renovação na direção.

 

PSD nacional fecha questão em relação à candidatura de Cartaxo ao governo

Luciano Cartaxo tenta consolidar os apoios de PSDB e PMDB

Luciano Cartaxo (C) tentará os apoios de Cássio e Maranhão para a disputa do governo. Foto: Divulgação

O discurso do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), de que as eleições de 2018 serão discutidas apenas em 2018 não foi combinado com o próprio partido. Em nota divulgada nesta terça-feira (18), a sigla informa que a orientação nacional é pela garantia de candidatura própria para o governo. A orientação é ter candidatura em todas as capitais onde isso for possível.

Neste contexto, o caso da Paraíba é colocado como uma das metas da agremiação. Para a disputa de 2018, o PSD espera contar com o mesmo apoio conseguido na reeleição do prefeito, em João Pessoa. Apoiaram a recondução de Cartaxo, entre outros, PSDB, PMDB, PP e PRB. Dos peemedebistas, o apoio foi condicionado à definição do ex-deputado federal Manoel Júnior na condição de vice. Caso o pessedista decida disputar o governo, ele será sucedido por Júnior no cargo.

Para justificar a decisão de lançar candidatura própria para o governo, o presidente estadual do partido, Rômulo Gouveia, ressaltou o desempenho da sigla nas eleições para prefeito e vereador, em 2016. Ele explicou que nas eleições municipais de 2016, o PSD acumulou a segunda maior votação para cargos majoritários na Paraíba e elegeu 27 prefeitos, 21 vices e 183 vereadores, permanecendo entre os partidos que mais elegeram filiados. O destaque citado foi a reeleição de Cartaxo em João Pessoa.

O PSD foi fundado em 2011 e no ano que vem vai enfrentar a segunda eleição geral.

 

Manoel Júnior tenta “amarrar” aliança PSD/PMDB/PSDB

Manoel Júnior circula entre os blocos durante o Folia de Rua. Foto: Divulgação/Secom-CMJP

O prefeito em exercício de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB), tem feito um trabalho formiguinha visando as eleições de 2018. Diretamente beneficiado em caso de afastamento do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) para a disputa do governo do Estado (já que assumiria a prefeitura), ele corre para fortalecer o bloco PSD/PMDB/PSDB. A meta é blindar o grupo para evitar que o governador Ricardo Coutinho (PSB) reedite, com ainda mais força, a tentativa de cooptar o seu partido para o apoio a alguém de sua base aliada no ano que vem. O peemedebista, por isso, quer emplacar pelo menos uma reunião por mês envolvendo Luciano Cartaxo (PSD), José Maranhão (PMDB) e Cássio Cunha Lima (PSDB).

Por força do cargo de vice-prefeito, Manoel Júnior já tem estado muito próximo de Cartaxo. Recentemente, procurou José Maranhão e outras lideranças do partido e vê sintonia de Cássio com o projeto de fortalecer o bloco para a disputa do pleito de 2018. O entendimento no seio das oposições é que o governador construiu uma avaliação positiva muito forte neste segundo mandato, apesar da crise, e tentará capitalizar um dos seus aliados para as eleições do ano que vem. O fato de não ter nome de consenso agora não quer dizer que ele não possa ser construído. Por isso, a melhor chance do grupo oposicionista para se manter vivo no pleito é unir forças.

Cartaxo tem se apresentado como opção para a disputa no ano que vem. Este seria um cenário bom para o PMDB também, já que Maranhão não apresenta disposição de disputar as eleições e Veneziano Vital do Rêgo saiu com a avaliação muito abalada com a derrota na disputa pela prefeitura de Campina Grande. Cássio sempre aparece como nome forte, já consolidado, mas muitos à sua volta acreditam que ele focará a reeleição para o Senado, devido à abrangência nacional que conquistou após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Com isso, resta Cartaxo com um nome que precisa ser estadualizado. A estratégia para isso, segundo o presidente do PSD de João Pessoa, Lucélio Cartaxo, será traçada após o Carnaval.

O grupo entende que precisa atuar acelerar as articulações, já que Ricardo Coutinho não costuma dormir em serviço. Do PMDB, ele já tem sintonia com o senador Raimundo Lira, os deputados federais Veneziano e Hugo Motta e o estadual Nabor Wanderley. O grupo tenta uma reunião com o Diretório Estadual para forçar uma mudança de rumos na política de alianças. Acha até que poderá contar com Ricardo Marcelo e Raniery Paulino, que, apesar de fazer oposição ao governador na Assembleia Legislativa, não circula bem entre os tucanos. As investigas governistas sobre eles visando isolar Manoel Júnior e Maranhão são fortes.

Quando o assunto é a disputa do governo em 2018, ninguém tem dormido em serviço.

 

Benilton quer implantar Ouvidoria Itinerante para se projetar em 2018

Benilton Lucena quer incrementar Ouvidoria. Foto: Angélica Nunes. 

Angélica Nunes

De 1º secretaria da Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa, o ex-vereador Benilton Lucena (PSD) conquistou apenas a terceira suplência da chamada ‘coligação da morte’ (PSD-PHS-PSDB-PTN), nas eleições passadas. Para compensar a derrota, o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) empossou nesta sexta-feira (6) o correligionário na ouvidoria geral do Município. Benilton deve mergulhar de cabeça na oportunidade para tentar ganhar corpo para a disputa por uma vaga de deputado em 2018.

Umas das estratégias do novo Ouvidor da Prefeitura da capital é estar manter a visibilidade junto à população. Um dos planos Benilton Lucena é implantar a Ouvidoria Itinerante. A experiência, segundo ele, foi executada com sucesso na Câmara Municipal, com a realização de sessões nos bairros da cidade. “A ideia é que a gente esteja nas bases, nos mercados, cemitérios, para que a gente possa escutar a população e saber o que ela deseja para que a gente possa melhorar os serviços prestados”, justificou.

Professor de carreira, Benilton era cotado para ocupar cargo na Secretaria de Educação. Apesar da surpresa com a nomeação para a pasta da Ouvidoria, o ex-vereador garantiu que está satisfeito e que a partir de segunda-feira (9) estará tomando conhecimento da área para traçar outros planos. “Queremos fazer visitas a todas as associações e sindicatos, todos os segmentos organizados da cidade, além de fazer uma visita a todos os secretários municipais para que a gente possa desenvolver um trabalho mais rápido à população”, comentou.

“Cartaxo não será (um candidato) inventado”, diz Rômulo

Luciano Cartaxo (D) durante almoço na orla. Foto: Angélica Nunes

Luciano Cartaxo (D) durante almoço na orla. Foto: Angélica Nunes

O deputado federal e presidente estadual do PSD, Rômulo Gouveia, usou de ironia, nesta quinta-feira (13), ao se referir a uma eventual candidatura do prefeito reeleito de João Pessoa ao cargo de governador do estado, em 2018. “Cartaxo não será inventado. Se ele foi candidato, será candidato por ele mesmo. Foi vereador, deputado, vice-governador e prefeito da capital de todos os paraibanos. Cartaxo não precisa estadualizar o nome”, ressaltou, durante almoço com os 27 prefeitos eleitos pelo partido.

As declarações de Rômulo Gouveia, apesar de não citar nomes, foi uma clara crítica ao governador Ricardo Coutinho (PSB), seu ex-aliado, que lançou a secretária de Desenvolvimento Humano do Estado, Cida Ramos (PSB), para a disputa da prefeitura da capital, no pleito deste ano, para tentar impedir a reeleição de Cartaxo. O presidente do partido, no entanto, evitou falar em movimentação para 2018, apesar de deixar claro que o almoço com os prefeitos foi pensado, também, para apresentar os novos gestores ao prefeito da capital.

Abordado pela imprensa, Cartaxo foi no mesmo sentido de Rômulo, reforçando que sua meta, neste momento, é focar a gestão. O tema eleições de 2018, segundo ele, ficará para 2018 e será uma preocupação dos presidentes estadual e municipal do partido. O irmão do atual prefeito da capital, Lucélio Cartaxo, é o mandatário da sigla em João Pessoa. Ao todo, o partido elegeu 27 prefeitos e 21 vice-prefeitos. Rômulo Gouveia falou que vai promover evento com os 183 vereadores eleitos pela sigla também.

Com informações de Angélica Nunes

PSD reúne prefeitos para cacifar Cartaxo visando 2018

Luciano-Cartaxo_foto-Angelica-NunesO Partido Social Democrático (PSD) vai reunir nesta quinta-feira (13) os prefeitos e vice-prefeitos eleitos pela sigla neste ano. A pauta pública será a celebração partidária pelo crescimento do partido na Paraíba, inclusive com a participação das principais lideranças da legenda na Paraíba. A real, no entanto, é que o evento servirá como uma espécie de lançamento informal do nome do prefeito reeleito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), para a disputa do governo do Estado em 2018. Lógico que isso não será dito oficialmente, até por que o cenário para a sucessão do governador Ricardo Coutinho (PSD), pelo largo espaço temporal, ainda é fluido.

O PSD, no entanto, pretende mostrar força. Algo do gênero que Coutinho promoveu na segunda-feira (11), com a diferença de que o socialista era a grande estrela do evento. O PSB não tem ainda, a preço de hoje, um candidato natural, apesar de possuir nomes para serem trabalhados. No encontro dos pessedistas, nesta quinta, estarão os 27 prefeitos e 21 vice-prefeitos eleitos no pleito deste ano. O evento será marcado por um almoço no Sesc Cabo Branco, orla de João Pessoa, Av. Cabo Branco, 2788 – Cabo Branco. O partido foi o quarto que mais elegeu prefeitos no pleito deste ano. Foram 27 ao todo.

O encontro acontece na mesma semana em que o prefeito de João Pessoa anunciou o resgate das reuniões com os prefeitos da Região Metropolitana e se reuniu com o prefeito eleito de Bayeux, Berg Lima (PTN). Além de Cartaxo, estarão no evento os prefeitos de Algodão de Jandaíra, Alagoa Grande, Boqueirão, Boa Ventura, Olivedos, Matinhas, São José de Lagoa Tapada, Cruz do Espírito Santo, Imaculada, Ingá, Juarez Távora, Montadas, Piancó, Serra Redonda, Caturité, Dona Inês, Ouro Velho, Aparecida, Santa Helena, Barra de Santana, Bom Jesus, Mari, Pedra Lavrada, Pitimbu, Serraria e Lagoa de Dentro.

PSB perde nas grandes cidades, mas lidera número de prefeitos eleitos

urnaO governador Ricardo Coutinho (PSB) deve ter assistido à apuração dos votos nas eleições deste ano com a seguinte constatação: era o principal cabo eleitoral do Estado, graças a uma aprovação pessoal superior a 80%, de acordo com o Ibope, porém, isso não foi o suficiente para sair das urnas maior do que entrou. O PSB elegeu 53 prefeitos, menos da metade das suas pretensões. E o pior, na maioria dos casos, apenas os pequenos municípios. Por outro lado, viu o PSDB do senador Cássio Cunha Lima se fortalecer em grandes cidades. Os tucanos elegeram 36 prefeitos e se fortalece para 2018, justamente quanto restará a Coutinho apenas optar pelo Senado ou pela Câmara dos Deputados para se manter na vida pública. O PMDB elegeu 31 prefeitos, bem menos que em eleições passadas, mas se mantém forte. Já o PSD do deputado federal Rômulo Gouveia e do prefeito reeleito de João Pessoa também se fortaleceu, com a eleição de 26 prefeitos

 

Confira a lista dos prefeitos eleitos

1. Água Branca – Tom (PMDB)
2. Aguiar – Lourival (PTB)
3. Alagoa Grande – Sobrinho (PSD)
4. Alagoa Nova – Aquino (PSDB)
5. Alagoainha – Jeová José (PMDB)
6. Alcantil – Milton (PRB)
7. Algodão de Jandaíra – Maricleide (PSD)
8. Alhandra – Renato Mendes (DEM)
9. Amparo – Inácio Nóbrega (DEM)
10. Aparecida – Júlio César (PSD)
11. Araçagi – Murílio Nunes (PSB)
12. Arara – Nen (PSL)
13. Araruna – Vital Costa (PP)
14. Areia – João Francisco (PSDB)
15. Areia de Baraúnas – Guia de Zé de Pedro Felho (DEM)
16. Areaial – Adelson (PSDB)
17. Aroeiras – Mylton Marques (PSDB)
18. Assunção – Vogel (PTB)
19. Baía da Traição – Serginho Lima (PTB)
20. Bananeiras – Douglas Lucena (PSB)
21. Baraúna – Manasses Dantas (PSB)
22. Barra de Santa Rosa – Neto (DEM)
23. Barra de Santana – Cacilda (PSD)
24. Barra de São Miguel – João Batista (PSB)
25. Bayeux – Berg Lima (PTN)
26. Belém – Renata (PMDB)
27. Belém do Brejo do Cruz – Evandro Maia (PTdoB)
28. Bernardino Batista – Gervázio Gomes (PSB)
29. Boa Ventura – Leonice Lopes (PSD)
30. Boa Vista – André Gomes (PDT)
31. Bom Jesus – Roberto Bayma (PSD)
32. Bom Sucesso – Pedro Caetano (PTB)
33. Bonito de Santa Fé – Chico Pereira (PSB)
34. Boqueirão – João Paulo II (PSD)
35. Borborema – Gilene (PTB)
36. Brejo do Cruz – Barão (PR)
37. Brejo dos Santos – Dr. Lauri (PSDB)
38. Caaporã – Kiko (PDT)
39. Cabaceiras – Tiago Castro (PSB)
40. Cabedelo – Leto Viana (PRP)
41. Cachoeira dos Índios – Allan (PSB)
42. Cacimba de Areia – Rogério Campos (PMDB)
43. Cacimba de Dentro – Nelinho (PSB)
44. Cacimbas – Léo (PSB)
45. Caiçara – Hugo Alves (PSB)
46. Cajazeiras – José Aldemir (PP)
47. Cajazeirinhas – Assis Rodrigues (PSB)
48. Caldas Brandão – Nelma Rolim (PMDB)
49. Camalaú – Sandro Moco (PSDB)
50. Campina Grande – Romero Rodrigues (PSDB)
51. Capim – Tiago Lisboa (PSDB)
52. Caraúbas – Silvano Dudu (PSB)
53. Carrapateira – Marineide de Dedé (PR)
54. Casserengue – Dinda (PSDB)
55. Catingueira – Dr. Edir (PMDB)
56. Catolé do Rocha – Leomar Benício Maia (PTB)
57. Caturité – Zé João (PSD)
58. Conceição – Nilson Lacerda (PSDB)
59. Condado – Caio Paixão (PR)
60. Conde – Márcia Lucena (PSB)
61. Congo – Júnior Quirno (PDT)
62. Coremas – Chaguinha de Edilson (PDT)
63. Coxixola – Givaldo (DEM)
64. Cruz do Espírito Santo – Pedrito (PSD)
65. Cubati – Dudu (PSB)
66. Cuité – Charles Camaraense (PSL)
67. Cuité de Mamanguape – Jair da Farmácia (PSC)
68. Cuitegi – Guilherminho Madruga (PSB)
69. Curral de Cima – Totó Ribeiro (PSDB)
70. Curral Velho – Filhinho (PSDB)
71. Damião – Lucildo (PSB)
72. Desterro – Didi (PR)
73. Diamante – Carmelita de Odoniel (PSDB)
74. Dona Inês – João Idalino (PSD)
75. Duas Estradas – Joyce (PR)
76. Emas – Segundo Madruga (PMDB)
77. Esperança – Nobinho (PSB)
78. Fagundes – Magna Danas (PMDB)
79. Frei Martinho – Aido (PSB)
80. Gado Bravo – Dr Paulo (PSDB)
81. Guarabira – Zenóbio Toscano (PSDB)
82. Gurinhém – Cláudio Madruga (PMDB)
83. Gurjão – Ronaldo (PSC)
84. Ibiara – Nivaldo Barros (PSB)
85. Igaracy – Lídio Carneiro (PTB)
86. Imaculada – Dada Lustosa (PSD)
87. Ingá – Manoel da Lenha (PSD)
88. Itabaiana – Dr. Lúcio (PSB)
89. Itaporanga – Divaldo Dantas (PMDB)
90. Itapororoca – Elissandra (DEM)
91. Itatuba – Aron (PSB)
92. Jacaraú – Elias Costa (PMDB)
93. Jericó – Cláudio (PP)
94. João Pessoa – Luciano Cartaxo (PSD)
95. Joca Claudino – Dra Jordhanna (PTB)
96. Juarez Távora – Ana de Nal (PSD)
97. Juazeirinho – Bevilacqua (PTdoB)
98. Junco do Seridó – Kleber (PSB)
99. Juripiranga – Dr. Paulo (PSB)
100. Juru – Luiz Galvão (PSB)
101. Lagoa – Toinho Alípio (PSB)
102. Lagoa de Dentro – Fabiano Pedro (PSD)
103. Lagoa Seca – Fábio Carvalho (PSDB)
104. Lastro – Dr. Athaíde (PSDB)
105. Livramento – Carmelita Ventura (PR)
106. Logradouro – Célia (PSB)
107. Lucena – Marcelo Monteiro (PSB)
108. Mãe D’Água – Cirino (PMDB)
109. Malta – Nael Rosa (PMDB)
110. Mamanguape – Eunice (PSB)
111. Manaíra – Nel (PMN)
112. Marcação – Lili (PDT)
113. Mari – Antônio Gomes (PSD)
114. Marizópolis – Zé de Pedrinho (PSDB)
115. Massaranduba – Paulo Oliveira (PSDB)
116. Mataraca – Egberto (PTB)
117. Matinhas – Fátima Silva (PSD)
118. Mato Grosso – Doca (PMDB)
119. Maturéia – Zé Pereira (PDT)
120. Mogeiro – Alberto Ferreira (PR)
121. Montadas – Jonas (PSD)
122. Monte Horebe – Marcos Eron (PMDB)
123. Monteiro – Lorena de Dr. Chico (PSDB)
124. Mulungu – Melquíades Nascimento (PTB)
125. Natuba – Janete Santos (PMDB)
126. Nazarezinho – Silvan Mendes (PR)
127. Nova Floresta – Jarson do Pastro (PSB)
128. Nova Olinda – Diogo (PSDB)
129. Nova Palmeira – Ailton (PTB)
130. Olho D’Água – Genoilton (PMDB)
131. Olivedos – Deusinho (PSD)
132. Ouro Velho – Natália de Dr. Júnior (PSD)
133. Parari – Josa (PSB)
134. Passagem – Magno de Bá (PMDB)
135. Patos – Dinaldinho Wanderley (PSDB)
136. Paulista – Valmar (PR)
137. Pedra Branca – Allan Bastos (PR)
138. Pedra Lavrada – Jarbas Melo (PSD)
139. Pedras de Fogo – Dedé Romão (PSB)
140. Pedro Régis – Baia (PSDB)
141. Piancó – Daniel Galdino (PSD)
142. Picuí – Olivânio (PT)
143. Pilar – Benício Neto (PSB)
144. Pilões – Iremar Flor (PSB)
145. Pilõezinhos – Mônica de Sandro (PSDB)
146. Pirpirituba – Didiu (PSDB)
147. Pitimbu – Leonardo (PSD)
148. Pocinhos – Cláudio Chaves (PTB)
149. Poço Dantas – Dedé de Zé Cláudio (PTB)
150. Poço de José de Moura – Aurileide (DEM)
151. Pombal – Dr. Verissinho (PMDB)
152. Prata – Júnior de Nôta (PMDB)
153. Princesa Isabel – Ricardo Pereira (PSB)
154. Puxinanã – Felipe Coutinho (PRB)
155. Queimadas – Carlinhos de Tião (PSB)
156. Quixaba – Cláudia (PMDB)
157. Remígio – Chió (PSB)
158. Riachão – Fábio Moura (PTB)
159. Riachão do Bacamarte – Gordo Amaral (PSDB)
160. Riachão do Poço – Cilinha (DEM)
161. Riacho de Santo Antônio – Ofila (PTB)
162. Riacho dos Cavalos – Hugo (PP)
163. Rio Tinto – Fernando Naia (PSB)
164. Salgadinho – Marcos Alves (PSDB)
165. Salgado de São Félix – Adjanilson (DEM)
166. Santa Cecília – Beto de Chico (DEM)
167. Santa Cruz – Paulo César (PSB)
168. Santa Helena – Emanuel (PSD)
169. Santa Inês – Dr. João (PDT)
170. Santa Luzia – Zezé (PMDB)
171. Santa Rita – Dr. Emerson Panta (PSDB)
172. Santa Teresinha – Teresinha de Zé Afonso (PSDB)
173. Santana de Mangueira – Zé Inácio (PSDB)
174. Santana dos Garrotes – Dedé (PSB)
175. Santo André – Silvano Marinho (PDT)
176. São Bentinho – Giovana (PSB)
177. São Bento – Dr. Jarques (DEM)
178. São Domingos de Pombal – Odaisa (PR)
179. São Domingos do Cariri – Inara (PSDB)
180. São Francisco – João Bosco Filho (PSDB)
181. São João do Cariri – Cosme (DEM)
182. São João do Rio do Peixe (PP)
183. São João do Tigre – Célio (PSB)
184. São José da Lagoa Tapada – Coloral (PSD)
185. São José de Caiana – Zé Leite (PR)
186. São José de Espinharas – Neto Gomes (PSB)
187. São José de Piranhas – Chico Mendes (PSB)
188. São José de Princesa – Maria Assunção (PMDB)
189. São José do Bonfim – Rosalba Mota (PMDB)
190. São José do Brejo do Cruz – Ana Maria (PR)
191. São José do Sabugi – Segundo (DEM)
192. São José dos Cordeiros – Jefferson (PSB)
193. São José dos Ramos – Eduardo Caxias (PMDB)
194. São Mamede – Dr. Jefferson Morais (DEM)
195. São Miguel de Taipu – Clodoaldo (PMDB)
196. São Sebastião de Lagoa de Roça – Severo (PSDB)
197. São Sebastião do Umbuzeiro – Adriano Wolff (DEM)
198. São Vicente do Seridó – Graciete (PSB)
199. Sapé – Roberto Feliciano (PSB)
200. Serra Branca – Souzinha (PDT)
201. Serra da Raiz – Adailma (PTB)
202. Serra Grande – Jairo (PSDB)
203. Serra Redonda – Danilo (PSD)
204. Serraria – Batista Pinheiro (PTdoB)
205. Sertãozinho – Antônio de Eloi (PSL)
206. Sobrado – George Coelho (PSB)
207. Solânea – Kaiser Rocha (DEM)
208. Soledade – Geraldo Moura (PP)
209. Sossêgo – Neide (PSB)
210. Sousa – Fábio Tyrone (PSB)
211. Sumé – Eden Duarte (PSB)
212. Tacima – Erivan Bezerra (PMDB)
213. Taperoá – Jurandi Pileque (PMDB)
214. Tavares – Dr. Ailton (PMDB)
215. Teixeira – Nego de Guri (PMDB)
216. Tenório – Evilázio (PSB)
217. Triunfo – Zé Mangueira (PTB)
218. Uiraúna – Dr. Bosco (PSDB)
219. Umbuzeiro – Nivaldo (PSB)
220. Várzea – Toninho (DEM)
221. Vieirópolis – Célio da Usina (PSC)
222. Vista Serrana – Sérgio de Levi (PMDB)
223. Zabelê – Dalyson (PSDB)

 

Ranking dos partidos eleitos

PSB elegeu 53 prefeitos
PSDB elegeu 36 prefeitos
PMDB elegeu 31 prefeitos
PSD elegeu 27 prefeitos
DEM elegeu 17 prefeitos
PTB elegeu 17 prefeitos
PR elegeu 13  prefeitos
PDT elegeu 9 prefeitos
PP elegeu 6  prefeitos
PSL elegeu 3 prefeitos
PTdoB elegeu 3  prefeitos
PSC elegeu 3  prefeitos
PRB elegeu 2 prefeitos
PTN elegeu 1 prefeito
PMN elegeu 1 prefeito
PT elegeu 1 prefeito

Olenka Maranhão assume a Secretaria de Trabalho de João Pessoa

Olenka Maranhão_Roberto GuedesAgora é oficial. A suplente de deputada estadual Olenka Maranhão (PMDB) foi nomeada para o cargo de secretária de Trabalho, Produção e Renda da prefeitura de João Pessoa. O ato, publicado no último Semanário Oficial, foi um dos efeitos práticos da aliança entre o PMDB do senador José Maranhão (PMDB), tio de Olenka, e o PSD do prefeito Luciano Cartaxo. O convite para a peemedebista foi feito logo após o governador Ricardo Coutinho (PSB), ex-aliado do partido, anunciar o retorno de Trocolli Júnior (Pros) à Assembleia Legislativa como retaliação à decisão de Maranhão. Júnior é o titular do mandato e ocupava a Secretaria de Articulação Política para, quando Maranhão e Ricardo andavam em faixa única, dar lugar à suplente.

Com o convite em mãos, Olenka pediu tempo ao prefeito para refletir e só nos últimos dias voltou ao assunto. A chegada dela para a gestão trará algumas mudanças na pasta. Paulo Roberto Fernandes Vieira deixa a secretária adjunta e passa ao cargo de diretor de Operações. Para o cargo de adjunto do Trabalho, vai José de Paiva Gadelha Neto. Gadelha pertenceu à gestão em 2012, quando o prefeito era Luciano Agra (já falecido). Naquela época ele ocupou o cargo de adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Urbano. Já Roberto Pinto, ex-Secretaria de Mobilidade Urbana, deixou a condição de adjunto da Secretaria Municipal de Segurança de João Pessoa.

TRE livra Benilton da cassação do mandato por infidelidade

Benilton Lucena durante sessão na Câmara: Crédito: Olenildo Nascimento/CMJP

Benilton Lucena durante sessão na Câmara: Crédito: Olenildo Nascimento/CMJP

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) livrou o vereador pessoense Benilton Lucena (PSD) da cassação do mandato por infidelidade partidária. O mandato dele era requerido pelo PT, partido do qual se desfiliou em outubro do ano passado, para seguir o prefeito Luciano Cartaxo rumo à sigla pessedista. O relator do processo, Emiliano Zapata, votou contra o parlamentar e foi seguido pela desembargadora Maria das Graças Morais Guedes. A sorte de Lucena começou a mudar a partir do voto divergente do juiz Ricardo da Costa Freitas. Ele pediu a improcedência da ação, por entender que caberia ao diretório municipal e não ao estadual a ação movida contra o ex-petista.

O voto de Freitas, pelo arquivamento da ação, foi seguido por Antônio Carneiro, José Augusto Meirelles e Breno Wanderley. Benilton conquistou 3.596 votos nas eleições de 2012 e durante o mandato se colocou na linha de frente na defesa do prefeito Luciano Cartaxo. No ano passado, o hoje pessedista acompanhou Cartaxo na troca do PT pelo PSD. Na oportunidade, o argumento usado foi o de que os escândalos de corrupção enfrentados pela sigla, no contexto nacional, colocaria em perigo a reeleição dos seus filiados na capital. Insatisfeita, a direção do PT cobrou o mandato de Benildon na Justiça. Lucena alegou, em sua defesa, que o partido mudou radicalmente as suas diretrizes partidárias.

 

Convenção fecha chapa de reeleição de Cartaxo com Manoel Junior na vice

Convenção do PSD

Crédito: Angélica Nunes

A convenção do PSD, realizada na noite desta quinta-­feira (3), no clube Astrea, Centro, referendou a candidatura à reeleição do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), com o deputado federal Manoel Junior (PMDB) compondo a chapa como candidato a vice-prefeito da capital. Lideranças dos 12 partidos que formam o arco de alianças da campanha majoritária participaram do evento. A festa começou por volta das 18h30. A coligação “Força da União por João Pessoa”, que tem PSD, PSDB, PMDB, PSDC, PRB, PTN, PP, PMN, PHS, SD, PCdoB e PSC.

Centenas de pessoas esperaram o prefeito desde as 16h no local do evento. Cartaxo chegou à convenção acompanhado por Manoel Junior e pelo senador José Maranhão, presidente estadual do PMDB. Em seu discurso, o líder peemedebista justificou a decisão do partido em abrir mão da candidatura própria de Manoel Junior e aceitar compor com o prefeito. Maranhão fez duras críticas ao governador Ricardo Coutinho (PSB), seu aliado político desde o segundo turno das eleições estaduais em 2012, fazendo referência a falta de reconhecimento do socialista ao apoio que o fez vencer as eleições.

“Contribuímos com a eleição do governador que não logrou êxito no primeiro turno, recorreu ao nosso partido e nós sufragamos o nome dele, mas ele nunca agradeceu ao PMDB. Ele tinha que agradecer não com o Diário Oficial, demitindo os que não rezam na sua cartilha e nomeando aqueles que se curvam às suas vontades”, desabafou. O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) discursou representando o pai, o senador Cássio Cunha Lima, que não compareceu ao evento. Quem também usou o microfone foram os deputados federais Benjamin Maranhão (Solidariedade) e Aguinaldo Ribeiro (PP), que também direcionou críticas ao governador.

Discurso longo

Luciano Cartaxo encerrou o evento com um longo discurso, no qual fez um balanço das articulações políticas, visando tentar a reeleição, e enumerou a sua gestão. O prefeito também não perdeu a oportunidade de alfinetar o governador Ricardo Coutinho, que tem feito duras críticas ao ‘acordão’ formado entre o PSDB, PMDB e o PSD para reelegê-­lo na capital. Para Cartaxo, a aliança foi construída como consequência do trabalho que realizou em João Pessoa, “com maturidade suficiente para conversar com cada uma das lideranças”, pontuou.

Os deputados estaduais Bruno Cunha Lima, Jutay Menezes, Camila Toscano, Tovar Correia Lima, o presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, e a presidente municipal, Lauremília Lucena, também registraram presença, além dos vereadores da base de sustentação do prefeito na Câmara Municipal.

Por Angélica Nunes, do jornaldaparaiba.com.br