Paraíba: TJPB, Estado e prefeituras não liberam servidores para “greve geral”

Órgãos poderão cortar o ponto dos faltosos

Greve geral: manifestantes programam paralisação para esta sexta-feira (28). Foto: Rizemberg Felipe

Os servidores públicos paraibanos que participarem da “greve geral”, nesta sexta-feira (27), poderão ter o ponto cortado. O presidente Michel Temer (PMDB) já anunciou que a postura será adotada em relação aos servidores públicos federais. O entendimento foi seguido por gestores de governos e prefeituras aliadas. Na Paraíba, apesar de não haver ameaça expressa contra quem aderir à mobilização, a maioria dos órgãos estaduais e municipais negam paralisação do funcionamento. LEIA MAIS

“Comarca de Mussum” está entre as que poderão ser fechadas pelo TJPB

Tribunal de Justiça pretende fechar 15 comarcas. Foto: Rizemberg Felipe

A comarca de Pilões, de onde partiu a polêmica publicação com frases inspiradas no humorista Mussum, de Os Trapalhões, poderá ser fechada. Ela consta em um estudo do Tribunal de Justiça da Paraíba, elaborado em 2015, visando o enxugamento na estrutura do Judiciário. A relação inclui 15 comarcas que poderão ser desativadas e 19 entrâncias que poderão ser rebaixadas. O plano foi delineado ainda durante o mandato do ex-presidente da Corte, Marcos Cavalcanti de Albuquerque, e está sendo analisado pelo atual, o desembargador Joás de Brito Pereira. O fechamento tem preocupado os deputados estaduais paraibanos, que tentam evitar a desativação. LEIA MAIS

Benjamin acusa Ricardo de tramar “golpe” para se apropriar de emendas

Maioria dos parlamentares defendem posse de Wilson Filho

Benjamin Maranhão nega que tenha perdido o cargo. Divulgação/CBN João Pessoa

O deputado federal Benjamin Maranhão (SD) divulgou nota nesta quarta-feira (26) para negar sua destituição do comando da bancada federal. O parlamentar, que assumiu a missão na semana passada, diz ter sido alvo de um “complô” organizado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB). O objetivo do socialista, ele assegura, seria desidratar João Pessoa e Campina Grande na concessão de emendas no Orçamento Geral da União (OGU). Ao todo, oito dos 15 parlamentares paraibanos assinaram documento recomendando a mudança no comando da bancada. O novo comandante escolhido pelo grupo foi o deputado federal Wilson Filho (PTB).  LEIA MAIS

TRF-1 suspende licitação de trecho da transposição que beneficiaria a Paraíba

Presidente Michel Temer, junto com lideranças políticas, inauguram obras da transposição. Foto: Beto Barata/PR

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) concedeu uma liminar nesta terça-feira (25) suspendendo a licitação do último trecho da transposição do rio São Francisco. O segundo Eixo é justamente o que beneficiaria os municípios do Sertão e do Vale do Piancó, na Paraíba. O desembargador Souza Prudente atendeu ao pedido de um dos consórcios que participaram da licitação. Esse consórcio argumentou que a proposta vencedora era mais cara. A Advocacia Geral da União (AGU) e o Ministério da Integração Nacional informaram que ainda não foram comunicados da decisão e vão recorrer.  LEIA MAIS

Rômulo Gouveia fará cirurgia bariátrica no dia 29 deste mês

Rômulo Gouveia diz que precisa perder “uns quilinhos”. Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados

A bancada paraibana na Câmara dos Deputados vai sofrer nova mudança. Não, não se trata de mudança de componentes por conta de licença ou afastamento de nenhum dos parlamentares. Trata-se de questão estética e de saúde. O deputado federal Rômulo Gouveia (PSD) vai passar por uma cirurgia bariátrica no dia 29 deste mês, em São Paulo (SP). Em conversa com o blog, o parlamentar se mostrou otimista em relação ao procedimento cirúrgico. Ele enfatizou outros familiares já foram submetidos com sucesso ao procedimento.

“Vou tentar diminuir um pesinho. Meus meninos fizeram também e eu vou fazer no sábado, agora, dia 29”, ressaltou Rômulo Gouveia. O parlamentar é conhecido no mundo político como “Gordinho”, característica, inclusive, usada nas campanhas políticas. A cirurgia bariátrica segue recomendação médica.

Igreja Católica, na Paraíba, entra de vez na briga contra reformas de Temer

Dom Delson e Dom Genival convocam fiéis para protesto

Dom Delson convoca os trabalhadores para a Greve Geral do dia 28. Foto: Leonardo Silva

Na mesma semana em que os deputados federais começam a discutir o relatório de Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) sobre a reforma da Previdência, os bispos paraibanos iniciam uma cruzada contra a retirada de direitos dos trabalhadores. Tanto o arcebispo nomeado para a Arquidiocese da Paraíba, Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, quanto o administrador apostólico, Dom Genival Saraiva, já se posicionaram contra a reforma. Eles seguem a orientação da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que já se manifestou contra as mudanças nas regras da Previdência.  LEIA MAIS

Cássio x Ricardo: Aije da PBPrev vale o governo do Estado

Voto-vista da juíza Michelini Jatobá será apresentado nesta segunda (24)

A juíza Michelini Jatobá havia pedido vista na sessão do dia 17 deste mês. Foto: Divulgação

O julgamento da Ação de Investigação Judicial Eleitoral da Paraíba Previdência, a Aije da PBPrev, volta a monopolizar as atenções nesta segunda-feira (24). Os holofotes estarão voltados para a juíza Michelini de Oliveira Dantas Jatobá, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que apresentará seu voto-vista no processo.

A votação, até o momento, está empatada, com um voto pela improcedência da ação, dado pelo relator da matéria, o desembargador Romero Marcelo, e outro no sentido contrário, proferido pelo juiz Márcio Maranhão Brasilino.  LEIA MAIS

Com voto-vista de juíza, TRE retoma dia 24 julgamento da Aije da PBPrev

Ação pede a cassação do governador Ricardo Coutinho

A juíza Michelini Jatobá havia pedido vista na sessão do dia 17 deste mês. Foto: Divulgação

A juíza Michelini de Oliveira Dantas Jatobá, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), não fará uso de todo o tempo a que tem direito para a apresentação do voto-vista na Ação de Investigação Judicial Eleitoral da Paraíba Previdência, a famosa Aije da PBPrev. A magistrada comunicou à Corte que apresentará seu posicionamento sobre o caso já na próxima segunda-feira (24). A previsão inicial, concedida na última segunda-feira (17), era de dez dias, prorrogáveis por igual período. A data fixada pela presidente do Tribunal, Maria das Graças Morais Guedes, por isso, era o dia 4 de maio, já que não haverá sessão em 27 deste mês. LEIA MAIS

Novo presidente do PHS toma posse e inicia do zero política de alianças

Pedro Coutinho é o único vereador do PHS na Câmara de João Pessoa. Foto: Olenildo Nascimento/CMJP

O presidente nacional do PHS, Eduardo Machado, chega à Paraíba nesta sexta-feira (21) para dar posse ao novo presidente estadual da sigla, Benjamim Paiva. O dirigente vai substituir Expedito Leite no comando da agremiação e manda um recado: a política de alianças voltada para 2018 será revista. Atualmente, o partido integra a base aliada do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), porém, segundo Paiva, isso não garante apoio para o próximo ano, quando o gestor poderá disputar a sucessão do governador Ricardo Coutinho (PSB).

Paiva explicou que ao longo deste ano vai procurar ouvir todos os potenciais candidatos ao governo, bem como os partidos que poderão ser decisivos para a disputa majoritária, em 2018. “É um jogo de paciência, no qual veremos o que é bom para eles, mas também para nós”, ressaltou. De cabeça, disse que procurará o prefeito Luciano Cartaxo, os senadores José Maranhão (PMDB) e Cássio Cunha Lima (PSDB), e o governador Ricardo Coutinho (PSB). Este último, vale ressaltar, não pode mais disputar a reeleição, mas se prepara para lançar nome para a sucessão.

A meta do PHS para as eleições de 2018 é eleger pelo menos dois deputados federais. A sigla tem focado lideranças com mandato e que integrem partidos que respondam a denúncias, no contexto nacional. O objetivo, reforça Benjamim Paiva, é oferecer a eles a oportunidade de disputar as eleições por um partido que não está no radar das delações premiadas da Operação Lava Jato e dos escândalos de corrupção no país. O partido tem 200 vereadores eleitos no pleito de 2016 e sete deputados federais. Em João Pessoa, a sigla tem o vereador Pedro Alberto Coutinho na Câmara da capital.

“Tivemos um crescimento de 25% no ano passado. Fomos o único partido a crescer e ainda ganhamos prefeituras como a de Belo Horizonte, com Alexandre Kalil (PHS)”, disse Benjamim Paiva. Kalil, vale ressaltar, foi eleito com a bandeira de não político e só agora passa a se referir a si próprio como integrante da classe.

TJ investiga se texto inspirado em Mussum no Diário da Justiça foi obra de hacker

Tribunal de Justiça descarta falha proposital de servidores

Tribunal de Justiça da Paraíba abre investigação para apurar suposta invasão “hacker” no site do órgão. Foto: Rizemberg Felipe

O Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) abriu investigação para apurar as causas de uma das publicações do Diário da Justiça, desta terça-feira (19), ter trazido texto inspirado nas frases do humorista Mussum (já falecido), de Os Trapalhões. Uma das principais linhas da apuração é de uma suposta “invasão” hacker no site do Tribunal de Justiça. Outra possibilidade, admitida pelo órgão, e a mais provável, é de erro de edição mesmo, com a cópia do conteúdo do site Mussum Ipsum, muito utilizado por designers e diagramadores.

Apuração

Cópia da publicação no Diário da Justiça, publicada na página 44, nesta terça-feira (18)

A direção do Tribunal de Justiça, por meio de sua assessoria, informou que acionou o setor de Tecnologia da Informação do órgão para que seja apurada a suposta invasão do site. Caso seja detectado o ataque do site do órgão, eles vão acionar a Polícia Federal para que o caso seja investigado. O erro intencional, vindo de algum servidor, não integra, por enquanto, as suspeitas da Corte. A publicação vem gerando polêmica desde que entrou no ar e circulou em grupos fechados das ferramentas de compartilhamento de mensagens.

No Diário da Justiça foram publicadas, entre outras, as seguintes frases:

– “Cacilds vidis litro abertis”
– “Paisis, filhis, espíritis santis”
– “Leite de capivaris, leite de mula manquis”
– “Todo mundo vê os porris que eu tomo, mas ninguém vê os tombis que eu levis”
– “Casamentiss faiz malandris se pirulitá”
– Si u mundo tá muito paradis? Toma um mé que o mundo vai girazis!”

A publicação em questão faz referência à Comarca de Pilões e diz tratar-se de “processo cível e do trabalho”, tendo a Energisa como uma das partes. A seriedade, no entanto, acaba por aí. Ela relaciona entre os réus “Ayesa Caliope Beserra Fragôso Mussum Ipsum” e segue com Cacilds Vidis Litris Abertis.

Mussum ipsum

Erros do gênero não são raros em publicações oficiais. Em geral, o responsável pela publicação é “traído” pela falta de atenção. Em sites de design gráfico e editoração, “Lorem ipsum”, é possível copiar parágrafos inteiros para delimitar espaços para depois eles serem substituídos. Quando isso não acontece, dá no que deu no caso do TJPB. Muito provavelmente, o responsável pelo erro no Diário da Justiça recorreu ao site “Mussum ipsum”, que utiliza frases de Mussum em sequência.

Os Trapalhões

O grupo era liderado pelo humorista Renato Aragão, o Didi. Pelo jeito, tem alguém saudosista e com muito bom humor na Justiça paraibana.