Eduardo Carneiro vai assumir a pasta do Turismo

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT), bateu o martelo e o suplente de vereador Eduardo Carneiro (PRTB) vai assumir a Secretaria de Turismo da capital. Com a decisão, a interina na pasta, Grace Kelly Ferreira, volta para a condição de vice. Carneiro estava sem cargo político desde maio, quando o titular do mandato, Bruno Farias (PPS), retornou à Câmara Municipal, em meio a um tiroteio com o prefeito.

Sessao Ordinaria

A crítica de Bruno Farias tinha como alvo os cortes na verba de custeio na Secretaria de Turismo, a mesma que será ocupada pelo suplente. O vereador disse, na época, que os recursos disponíveis para investimentos em projetos turísticos e viagens passaram a não superar a casa dos R$ 60 mil por ano. O recurso seria suficiente para pouco mais que o pagamento do aluguel da sede da pasta, localizada no bairro de Tambiá.

Ao falar com o Blog, Eduardo Carneiro fez mistério em relação à nomeação, preferindo fazer o caminho da prudência: “Não temos nada confirmado”, resumiu.

PSB manda vereador de Sapé cancelar homenagem a Jair Bolsonaro

Demorou, mas o PSB da Paraíba se pronunciou nesta segunda-feira (3) sobre o título de cidadania concedido pela Câmara Municipal de Sapé ao deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), a pedido do vereador socialista Wilson Nascimento. Além de se manifestar contrário ao título, o partido quer que o filiado peça a revogação da comenda. O argumento da nota divulgada pela agremiação é o de que a honraria, concedida em junho, contraria o histórico de esquerda do partido.

Foto: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

Foto: Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

A nota trata Bolsonaro como “um dos mais ardorosos defensores das práticas truculentas levadas à cabo pelo regime militar em nosso país e hoje, como deputado federal, reconhecido como um dos representantes da extrema-direita no Congresso Nacional, se destacando pela nefasta defesa de práticas conservadoras e eivadas de preconceitos contra as minorias e grupos sociais organizados em nossa sociedade”.

Além de tratar a honraria de “infeliz propositura”, o PSB lembra a história de esquerda de Sapé, “que foi berço histórico das ligas camponesas e da luta pela reforma agrária em nosso país”. Bolsonaro tem se notabilizado no Congresso Nacional pelo embate com os partidos de esquerda, notadamente PT, PSB e PCdoB. Ele também é contra propostas que contam com a simpatia das três siglas, como a descriminalização do aborto e a criminalização da homofobia.

Um título de cidadania também tramita na Câmara de João Pessoa, proposto pela vereadora Eliza Virgínia (PSDB) no semestre passado. A parlamentar chegou a pedir urgência na votação, com leitura do voto do presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Fuba (PT). O pedido, entretanto, não foi aceito pelo parlamentar, que tratou de “engavetar” a proposta. Fuba acredita que o projeto será derrubado na própria CCJ e não irá a plenário.

Bolsonaro foi o deputado federal mais votado na eleição passada no Rio de Janeiro, com 464 mil votos. Ou seja, não falta conservador para apoiar as posições do parlamentar.

Luciano Cartaxo manda recado a Charliton: quer PSDB e PMDB no palanque

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT), tem mandado recados para o presidente do seu partido, no estado, Charliton Machado. Ele não vai abrir mão de pelo menos tentar manter todas as alianças administrativas para a disputa da reeleição, no ano que vem, mesmo que isso contrarie a orientação nacional da sigla petista. O entendimento é que não se ganha eleição dividindo, principalmente quando os hoje aliados podem migrar para a oposição.

Foto: Kleide Teixeira

Foto: Kleide Teixeira

Machado deu declarações recentemente de que o PT, em João Pessoa, tem aliado prioritário: o PSB. Não haveria, portanto, espaço para o PSDB e o DEM na chapa. O impedimento seria o fato de as duas legendas serem adversárias e críticas da presidente Dilma Rousseff. Para o dirigente petista, não haveria alinhamento ideológico entre as agremiações que justificasse o alinhamento. O pronunciamento surge no momento em que o PSDB e PMDB, hoje aliados, discutem candidatura.

Luciano Cartaxo, no entanto, segue no caminho contrário. Sabe que dificilmente o PSB abrirá mão do desejo de lançar candidatura própria no próximo ano. O governador Ricardo Coutinho (PSB) já disse que não tem dívida partidária com o PT, por isso, não está obrigado a retribuir o apoio recebido no ano passado. Os dirigentes estaduais do PSDB, por outro lado, estão dispostos a discutir um acordo, já que a sigla tem três vereadores na base aliada do prefeito.

Cartaxo, nesta semana, deixou bem claro que as portas estão abertas para todos os partidos que desejem trabalhar pela sua reeleição. Quer o PSDB e o PMDB, siglas que ensaiam candidaturas próprias, inclusive, com uma aliança entre elas. A lógica é a de que ele não pode repetir o erro de Cássio Cunha Lima (PSDB), no ano passado, que se achando eleito governador não quis o PT no arco de alianças, porque achava que Dilma Rousseff estava mal. Também não quis o PMDB.

O resultado dessa história, envolvendo o senador tucano, todo mundo conhece…

Festa junina provoca suspensão de atendimento no PSF de Mangabeira

Terça-feira, 30 de junho, 15h. Não era feriado ou nada que o equivalha, mas a Unidade de Saúde da Família (PSF) de Mangabeira IV, em João Pessoa, estava com as portas fechadas, mas só para o atendimento aos pacientes. Lá dentro, ocorria uma animada festa junina, com direito a arrasta-pé, ornamentação e tudo. O caso foi flagrado pela dona de casa Roseli Firmino que, com crise hipertensiva, procurou atendimento na unidade de saúde. Mesmo passando muito mal, foi aconselhada a ir para casa e retornar no dia seguinte, no caso, esta quarta-feira. Procurada pelo blog, a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde informou que o órgão vai apurar a denúncia e responsabilizar quem autorizou a comemoração no USF em pleno horário de expediente.

SaoJoao

Cada vez mais Ricardo desenha a rasteira que tentará dar em Cartaxo

Tenho conversado muito com socialistas e petistas e, apesar dos discursos oficiais de paz, os aliados do governador Ricardo Coutinho (PSB) não escondem que querem tomar João Pessoa de volta. Já os petistas não nutem mais a ilusão de que terão apoio para a reeleição. É bom recordar. Há um ano, a popularidade do governador, quando tentava se manter no cargo, não era sombra do que ele tem hoje, mesmo em João Pessoa, seu principal reduto.

Foto: Francisco França

Foto: Francisco França

É consenso entre os petistas e largamente aceito pelos socialistas que o apoio do prefeito Luciano Cartaxo à reeleição de Ricardo, no momento em que ele era visto como virtual derrotado, foi essencial para ele recuperar a credibilidade. Se chegou ao segundo turno e saiu vitorioso, na visão do partido, o PT foi sócio. Por isso, o gestor pessoense tinha esperança de receber a reciprocidade, que Ricardo já disse que não haverá.

Fica cada vez mais claro que o governador não engoliu ainda a derrota para Cartaxo na disputa pela eleição de 2012. A candidata socialista era Estela Bezerra. Por conta disso, com muita bala na agulha, está pronto para tentar tomar em 2016. Obra importante para ser entregue não falta. Até agosto, no aniversário da cidade, serão entregues Central de Polícia, ampliação do Centro de Convenções, Reforma do Lyceu Paraibano, Escola Técnica de Mangabeira e eleitos no Hospital de Trauma.

Além disso, está construindo a Perimetral Sul, o Viaduto do Geisel e o Trevo das Mangabeiras, este último com previsão de entrega também para agosto. O discurso já está pronto: “As principais obras de mobilidade da capital estão sendo feitas pelo governo”. Sobre os ataques feitos por aliados, os petistas dizem que vão esperar o PSB assumir o ônus do rompimento. Só falta agora Ricardo dizer se o candidato é João Azevedo ou Estela Bezerra.

PT não quer DEM e PSDB na composição para disputar prefeitura de João Pessoa

O PSDB tem dois vereadores na Câmara de João Pessoa, além de um parlamentar licenciado no comando da Secretaria de Comunicação da Capital. O DEM tem dois vereadores, sendo um governista e outro de oposição. Apesar da aproximação e das afinidades com o prefeito Luciano Cartaxo, nenhuma das duas siglas serão bem-vindas na chapa petista para a disputa da reeleição. A garantia é do presidente do partido no Estado, Charliton Machado.

Em conversa com a repórter do Jornal da Paraíba, Larissa Claro, Machado foi enfático em dizer que as portas estão fechadas para uma composição entre as legendas, que são inimigas do PT no plano nacional. A posição da direção partidária vai de encontro ao desejo dos tucanos de João Pessoa. A vereadora Eliza Virgínia (PSDB), inclusive, defende que a sigla indique o vice na chapa petista para o pleito do próximo ano.

Além de Eliza, compõem a base tucana na Câmara os vereadores Luiz Flávio e Marcos Vinícius, atualmente exercendo o cargo de secretário de Comunicação de João Pessoa. Do DEM, Bosquinho é um dos entusiastas em relação à candidatura de Luciano Cartaxo. Ele segue no sentido contrário a Lucas de Brito, que faz oposição ferrenha. As afirmações de Charliton Machado surgem ao mesmo tempo que PSDB e DEM defendem candidaturas alternativas à petista.

Sendo mais claro, se Eliza Virgínia, Marcos Vinícius, Luiz Flávio e Bosquinho quiserem mesmo apoiar Luciano Cartaxo na reeleição, terão que trocar de partido até 2 de outubro. Caso contrário, terão que se entrincheirar no campo da oposição e escolher outro candidato.

Convenção do PSDB é o primeiro passo para o racha na base de Cartaxo

A convenção do PSDB, prevista para o próximo domingo (14), merece uma análise especial, porque vai representar o primeiro tijolo no caminho da desconstrução da base aliada do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT). O cenário atual é do gestor voando em céu de brigadeiro na Câmara Municipal. Tem ao seu lado 24 dos 27 vereadores da Casa. Mas essa é uma comodidade que tem data para acabar, porque vários partidos hoje aliados têm interesse eleitoral.

Foto: Larissa Ponce/Agência Câmara

Foto: Larissa Ponce/Agência Câmara

O PSDB é um deles, apesar de ter três vereadores na base do petista. Um deles, inclusive, Marcos Vinícius, integra a gestão de Cartaxo. O partido ainda está de olho e fez convites aos três vereadores da oposição na Câmara Municipal: Lucas de Brito (DEM), Raoni Mendes (PDT) e Renato Martins (PSB). O presidente estadual da sigla, Ruy Carneiro, não nega o interesse de figurar como uma das opções para a disputa, principalmente com o ex-senador Cícero Lucena se dizendo aposentado.

Se formos colocar os pontos nos is, dá para prever uma defecção muito grande na base, de pelo menos 16 vereadores que terão a opção de seguir o partido ou não disputar a reeleição. Só do PSDB são três vereadores, mas o partido, contando com a força do senador Cássio Cunha Lima, pode atrair para a sua órbita os três do Solidariedade, que esteve na composição do ano passado. O PPS, com dois vereadores, também integrou o grupo que tentou eleger o tucano.

Assim como o PSDB, o PSB do governador Ricardo Coutinho tem interesse eleitoral em João Pessoa. Caso isso se concretize, não é difícil imaginar que os vereadores filiados a DEM e PR sigam os do PSB. A fila pode ser engrossada ainda pelo PPS, em processo de fusão com a sigla socialista, levando nove vereadores para a oposição. Correndo por fora ainda tem o PMDB do deputado Manoel Júnior, que quer disputar a eleição. Tem um vereador, mas pode atrair outros.

O PT, por enquanto, tem anunciado o apoio do PSD, do deputado federal Rômulo Gouveia. Poderá manter o PP do também deputado federal Aguinaldo Ribeiro. Tudo por enquanto é apenas conjectura, mas pode-se dizer que a manutenção da base inteira é uma tarefa quase impossível. Com isso, vai depender do prefeito Luciano Cartaxo a articulação para manter o máximo de aliados. E quando chegar o momento vai valer uma análise sobre a avaliação política da gestão petista.

José Maranhão defende chapa puro-sangue para o PMDB em João Pessoa

Temendo um novo racha no PMDB, igual ao que aconteceu na eleição do ano passado, o senador José Maranhão está propondo um chapa puro-sangue para a disputa em João Pessoa, em 2016. Em conversa com a jornalista Angélica Nunes, do Jornal da Paraíba, o dirigente explicou que essa seria a fórmula para apaziguar os ânimos entre os deputados Manoel Júnior (federal) e Gervásio Maia (estadual). Ambos têm planos eleitorais para a capital.

ze-maranhao

Manoel Júnior não esconde de ninguém o desejo de disputar a prefeitura de João Pessoa. Ele acredita que já esperou demais. Júnior foi rifado da disputa em 2008 e em 2012 cedeu espaço para José Maranhão, que foi derrotado nas urnas. Por conta disso, não pretende entregar o partido nas mãos de Gervásio Maia, por entender que o colega de partido tem nos planos fazer uma composição com o PSB e ficar com a vice na chapa.

Gervásio, por outro lado, cobra o cumprimento de acordo firmado há dois anos para a presidência do PMDB de João Pessoa. Ele lembra que foi registrado em ata que Manoel Júnior comandaria a sigla por dois anos e cederia espaço para que Maia assumisse o cargo pelos dois anos seguintes. Diante da situação, Maranhão defende que os dois disputem a eleição como prefeito e vice. Na teoria, a operação está feita, mas na prática…

Quase dez prefeituráveis de olho em João Pessoa para o ano que vem

Uma conta rápida revela que faltando mais de um ano para as eleições de 2016, pelo nove deputados e vereadores já se posicionam como opção para fazer frente à reeleição do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT). Os partidos de origem dos pretendentes são os mais variados, alguns governistas, outros oposição. São dois vereadores da capital, dois deputados estaduais e três federais, além de ex-parlamentares atualmente sem cargos políticos.

Entre os deputados federais, já se colocam como candidatos Manoel Júnior (PMDB), Efraim Filho (DEM) e Wilson Filho (PTB), este último, inclusive, tem usado as inserções do partido para marcar posição. Da Assembleia Legislativa, nomes como os de Gervásio Maia (PMDB) e Estela Bezerra (PSB) aparecem como cotados, mesmo sem o aval prévio dos respectivos partidos. Na Câmara de João Pessoa, Raoni Mendes (PDT) e Lucas de Brito (DEM) têm se posicionado.

Do PSDB, são cotados o ex-deputado federal Ruy Carneiro e o ex-senador Cícero Lucena, ambos do PSDB. Os dois, inclusive, se desentenderam na eleição passada, quando Cícero foi preterido na chapa majoritária encabeçada pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB) para a disputa do governo do Estado. Resultado: o ex-senador ficou de fora da disputa e Ruy Carneiro, na vice, não foi eleito. A presidente atual do partido no município é Lauremília Lucena e a briga pelo poder na sigla vai determinar o candidato.

Aliado desafia Bruno Farias a entregar cargos para financiar o turismo

A promessa de defender o turismo de João Pessoa e os pleitos do trade, na tribuna da Câmara de João Pessoa, feita pelo vereador Bruno Farias (PPS), foi ironizada por um colega de bancada, na manhã desta terça-feira (19). O parlamentar, após pedir reserva, disse que, ao invés de discurso, o Bruno poderia adotar uma postura mais altruísta e abrir mão de todos os cargos indicados na prefeitura, para que o dinheiro seja revertido em convênios com o trade.

A soma do custo Bruno Farias, acreditem, não é baixa e poderia, sim, incrementar os investimentos no turismo da capital. Afinal, os cargos indicados por ele representam mais de R$ 50 mil por mês, o que daria perto de R$ 700 mil por ano. “O desafio está lançado”, disse o parlamentar. O pós-comunista ocupava a pasta do Turismo até a sexta-feira da semana passada, quando, após reunião com o prefeito Luciano Cartaxo (PT), foi comunicado de que não permaneceria na pasta.

Bruno retomou o mandato nesta terça-feira na Câmara de João Pessoa, fazendo com que Eduardo Carneiro (PPS) retornasse para a suplência. O clima de descontentamento entre Bruno Farias e o prefeito Luciano Cartaxo teve início há um mês, quando tomou conhecimento de que haveria cortes no orçamento para a pasta comandada por ele. Os petistas não gostaram de ver o tema ser tratado em público. Menos ainda das declarações de que Cartaxo foi desleal ao exonerá-lo.