Luciano Cartaxo anuncia concurso para 150 vagas na prefeitura

Vagas serão destinadas à Controladoria Geral do Município, Sedurb e IPM

Luciano Cartaxo assina autorização para a realização dos concursos públicos. Foto. Alessandro Potter

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), elevou a previsão inicial de vagas em concursos para a prefeitura. Um dia depois de anunciar a abertura de 100 vagas, ele deu entrevista coletiva, nesta segunda-feira (24), para confirmar concurso para 150 vagas. A seleção será direcionada para profissionais de nível médio e superior. As vagas serão para reforçar o quadro permanente da Controladoria Geral do Município (CGM), da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) e do Instituto de Previdência do Município (IPM). O lançamento dos editais e as etapas de seleção serão realizados até o final deste ano.

O concurso público irá preencher 121 vagas de nível médio e 29 de nível superior, com salários que vão de R$ 1.200,00 a R$ 5.000,00 e uma jornada de trabalho variável, conforme a função, chegando a até 40 horas semanais. Segundo o secretário municipal de Administração, Roberto Wagner, uma comissão técnica foi criada para elaborar e publicar o edital de cada seleção, que será divida por órgãos. A convocação dos aprovados ocorrerá assim que saírem os resultados do concurso, entre o final do ano e o início do próximo. “O concurso reforça os princípios de eficiência, meritocracia e transparência da gestão. Estamos reduzindo o número de prestadores de serviço e aumentando o quadro efetivo”, apontou.

De acordo com o prefeito, a autorização dos concursos reforça o modelo de gestão por resultados implantado na PMJP. Ele destacou que a João Pessoa foi recentemente reconhecida pelo Conselho Federal de Administração (CFA) como destaque entre as capitais do Nordeste e como melhor da Paraíba. “Durante os últimos quatro anos, já convocamos quase 2 mil servidores por concurso. Realizar uma seleção assim, no momento de crise que o País atravessa, não é fácil. Mas esse trabalho é fruto do planejamento e do esforço de gestão que temos feito no dia a dia”, disse, durante reunião com equipe econômica.

IPM

No Instituto, que passa por um amplo processo de modernização, serão 60 vagas para funções como suporte administrativo e previdenciário, assistente de tecnologia da informação, além de técnico previdenciário, voltado para profissionais das áreas de Contabilidade e Enfermagem. O Instituto também vai convocar servidores para a categoria de Analista Previdenciário, que reunirá funções de nível superior: administrador, advogado, analista de informática, arquivologista, assistente social, atuário, contador, economista, médico-perito e psicólogo.

CGM e Sedurb

Na Controladoria Municipal serão abertas 20 vagas de auditor e de técnico municipal de controle interno. A seleção de nível superior é aberta a profissionais que tiverem concluído a etapa de formação universitária em qualquer área do conhecimento. Já na Secretaria de Desenvolvimento Urbano, serão 70 vagas para profissionais de nível médio, na função de agente de controle urbano.

Cronograma

De acordo com o cronograma, o edital do concurso da CGM será divulgado em agosto e as provas acontecerão em outubro. Para o concurso da Sedurb e IPM, o edital será lançado em outubro e as provas serão realizadas em dezembro.

 

Em João Pessoa, Dilma volta a se dizer vítima de golpe e diz que ele vem se repetindo

Ex-presidente prevê repercussão do seu impeachment para as eleições de 2018

Dilma Rousseff discursa para lideranças de esquerda durante evento em João Pessoa. Foto: Phillipe Xavier

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) voltou a se dizer vítima de um golpe, no episódio em que foi alvo de um impeachment, em 2016. A petista esteve em João Pessoa, neste sábado (22), para ministrar aula inaugural de um curso para a formação de lideranças. A iniciativa é da Fundação Perseu Abrano, instituição ligada ao Partido dos Trabalhadores. Discursando para um público considerável, no Auditório da Reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), ela falou de machismo, mas admitiu que não foi afastada do cargo por isso. “Não era essa a razão primeira. Ela estava dentro das outras e foi usada para se fazer esse processo”, ressaltou.

Dilma assegura que o processo que a apeou do poder continua produzindo seus efeitos. “Ele vem se repetindo e se reproduzindo”, ressalta, dentro de um contexto em que falava sobre supressão de direitos dos trabalhadores brasileiros. Disse ainda que, dentro deste contexto, busca-se o aumento da desigualdade. O fato, ela reforça, foi registrado nos Estados Unidos e na Europa nos últimos anos. O paralelo não aconteceu no Brasil, com ela no poder, e nem na Argentina, quando era comandada por Cristina Kirchner. “Um homem branco, nos Estados Unidos, na eleição de (Donald) Trump, ganhava o mesmo de 70 anos atrás”, enfatizou.

Sobre a sua saída do poder, disse que a história tem sido implacável com os principais defensores do impeachment. A lista referida por Dilma é longa. Ela é encabeçada pelo presidente Michel Temer (PMDB), alvo de uma denúncia de corrupção passiva. Outro não menos implicado é o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que foi flagrado em áudio pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joésley Batista, da JBS. O terceiro da lista citado por ela é o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ele foi cassado e se encontra preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná, por determinação do juiz Sérgio Moro.

Preconceito

Ao falar sobre o machismo na política brasileira, Dilma Rousseff lembrou o tratamento recebido quado estava no poder. “Como é que era o discurso comigo? Esta senhora é dura. Como é que eles se refeririam ao homem: ‘ah, ele é forte’. Dura tem um conteúdo subjacente negativo. Essa mulher, ela é obsessiva, trabalha demais, obriga todo mundo a trabalhar. Essa mulher é obsessiva. Como é com o homem? Ele é muito trabalhador, empreendedor e criativo”, criticou.

O ‘Curso de Difusão do Conhecimento em Gestão Pública e Resistência ao Golpe’ é voltado para movimentos sociais e populares, militantes da esquerda e do PT. De acordo com o presidente do partido, Jackson Macedo, todas as 300 vagas disponíveis foram preenchidas. O curso terá duração de 90 dias.

Dilma Rousseff e Gleisi Hoffmann estarão na Paraíba neste mês

Gleisi participa de comício no dia 21 e Dilma faz aula inaugural de curso no dia 22

Dilma Rousseff e Gleisi Hoffmann voltam à Paraíba após quatro meses. Foto: Divulgação/PR

Em meio às discussões sobre a consulta que pede a abertura de processo contra o presidente Michel Temer (PMDB), na Câmara dos Deputados, duas lideranças petistas desembarcam na Paraíba neste mês. As duas, vale ressaltar, viveram cenário parecido. A ex-presidente Dilma Rousseff, alvo de um impeachment no ano passado, estará em João Pessoa no dia 22. Um dia antes, quem desembarca por aqui é a senadora Gleisi Hoffmann, atual presidente nacional do Partido dos Trabalhadores.

Gleisi vai participar do Comício pelas Diretas Já, no dia 21. O evento tem caráter nacional e vem ocorrendo em todos os Estados. O objetivo é buscar o apoio da população para que haja eleição direta em caso de afastamento de Michel Temer do poder. O gestor enfrenta uma semana decisiva na Câmara dos Deputados. Nesta segunda-feira (10) haverá a leitura do relatório do deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ) na Comissão de Constituição e Justiça. Apesar de peemedebista, os governistas acreditam que o relatório será pela procedência do processo.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou denúncia contra o presidente no Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte, como determina a Constituição, pediu autorização à Câmara dos Deputados para processar Temer por corrupção passiva. O texto constitucional também estabelece eleições indiretas para o caso de afastamento do gestor. Os defensores de eleições diretas, por outro lado, entendem que apenas a escolha popular tem potencial de acabar a crise política. O ex-presidente Lula é apontado como virtual candidato dos dos petistas. Para o comício, são esperados também o senador João Capiberibe (PSB-PA) e o economista João Pedro Stédile.

Dilma

Para o dia 22, a ex-presidente Dilma Rousseff foi escalada para a aula inaugural de um curso de Gestão Pública promovido pela Fundação Perseu Abrano. O evento vai acontecer na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), no período da tarde. Esta é a segunda vez que a ex-presidente visita a Paraíba neste ano. Em março, ao lado do também ex-presidente Lula, ela esteve na “inauguração popular” da transposição, em Monteiro.

Prefeitura de João Pessoa detalha salário de servidores em portal

Site traz detalhamento sobre salário bruto e líquido dos profissionais

Bira diz que a meta é dar mais transparência aos salários dos servidores. Foto: Olenildo Nascimento

A Prefeitura de João Pessoa começou nesta semana a disponibilizar, de forma detalhada, o salário dos servidores municipais. Os dados podem ser acessados no Portal da Transparência do município. As informações são um pouco mais completas do que as disponibilizadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), através do Serviço de Acompanhamento e Gestão dos Recursos da Sociedade (Sagres). O poder público municipal está disponibilizando o salário líquido dos servidores e não apenas o bruto, como ocorre no caso do TCE.

O nível de detalhamento vai ser ampliado em breve, segundo o secretário de Transparência do Município, Bira Pereira. O secretário ressaltou que, em breve, serão disponibilizados dados referentes a diárias, férias e outros benefícios que eventualmente venham a ser pagos aos servidores. A meta, com isso, ele reforça, é dar maior transparência ao uso do dinheiro público.

Dono da “JBS Capotaria” diz que procura por serviços aumentou após delações de Joesley

“O povo chega aqui todo dia querendo saber de delação premiada”, diz Jairo Garcia

Maior produtor de proteínas do mundo, não. JBS em João Pessoa dá nome a capotaria. Foto: Reprodução/Street View

Quem passa pela avenida Nossa Senhora de Fátima, em João Pessoa, avista uma placa discreta com uma seta apontando para a JBS Capotaria. Os interessados, então, precisam dobrar à direita para acessar a avenida Juarez Távora. Logo no início, espremida entre prédios residenciais, a nada luxuosa, mas bastante badalada, empresa. O dono, Jairo Garcia da Silva, se apressa logo em dizer que seu empreendimento não tem nada a ver com a multinacional do setor de produção de proteína animal, a JBS, dos irmãos Wesley e Joesley Batista. Ele admite, no entanto, que a delação premiada e o grampo do presidente Michel Temer (PMDB) estão dando uma força nos seus negócios.

“É inegável que cresceu a procura. As pessoas chegam aqui e perguntam se a capotaria pertence a Joesley Batista. Levo tudo na brincadeira”, disse, entre risos, o proprietário da empresa, especializada na cobertura de bancos de carro, sofás, cadeiras de escritórios e serviços afins. Ao contrário da JBS, que corresponde às iniciais do nome do empresário José Batista da Sobrinho, pai dos empresários Wesley e Joesley, o nome da JBS Capotaria tem outra origem. Corresponde às iniciais dos nomes dos três filhos do proprietário: Jairo, Bruna e Sabrina. A empresa existe há nove anos, criada por Jairo Garcia, que, antes disso, trabalhava como ajudante na estofaria do irmão.

Apesar de humilde, a JBS Capotaria tem perfil no Facebook e no Instagram. Os dois, segundo Garcia, são alimentados pela mulher dele. “Ela tem mais intimidade com essas coisas”, revela. As referências ao empreendimento são comuns também nas redes sociais. “Amigos Boa tarde!!! Hoje pela manhã fui ao centro resolver uma situação e vi que esta JBS é forte mesmo, quando você esta vindo descendo a Rádio Tabajara, você sobe e antes da Vila Vicentina, você vê a sua direita uma placa JBS Capotaria !!! Ó Empresa forte, está em todos os seguimentos !!!! Será que esta daqui tem dinheiro do BNDES !!!”, questiona o internauta Fernando Paiva, em postagem no Facebook.

A delação premiada dos irmãos Batista viraram uma grande dor de cabeça para o presidente Michel Temer. Ele foi denunciado no Supremo Tribunal Federal (STF) pela Procuradoria Geral da República. O caso foi encaminhado à Câmara dos Deputados para que os parlamentares autorizem ou não a abertura do processo. Para Temer é o pior dos mundos. Para Jairo Garcia, por outro lado, a repercussão do escândalo virou uma ótima oportunidade de negócios.

Governistas questionam TJ sobre precatórios da prefeitura de João Pessoa

Tribunal de Justiça determinou o bloqueio de R$ 33,9 milhões nas contas do governo da Paraíba

Porto Alegre – Cédulas falsas com o número de série repetido. Polícia Federal deflagou a Operação Inkjet 2, para desarticular um grupo que fabricava e comercializava dinheiro falsificado (Daniel Isaia/Agência Brasil)

Lideranças ligadas ao governador Ricardo Coutinho (PSB) têm questionado a postura do Tribunal de Justiça da Paraíba em relação ao governo. A intenção delas é apontar eventual tratamento diferenciado entre prefeituras e o governo estadual. Nesta semana o presidente da Corte, Joás de Brito, determinou o bloqueio de R$ 33,9 milhões das receitas do Estado. O motivo foi o não repasse, para o TJPB, dos valores que seriam destinados ao pagamento de precatórios do Estado entre os meses de fevereiro e abril deste ano. O grupo alega que há dois pesos e duas medidas em relação aos procedimentos. A justificativa apresentada é que a prefeitura de João Pessoa tem pago proporcionalmente bem menos precatórios que é empenhado.

Foram apresentados dois comparativos para sustentar esta tese. O primeiro, de 2016, mostra que foram empenhados R$ 20,2 milhões e pagos R$ 13,5 milhões. Já no primeiro semestre de 2017, foram empenhados R$ 11,3 milhões e pagos efetivamente R$ 4,5 milhões.

Confira matéria sobre o bloqueio de recursos do governo do Estado

TCE alerta Luciano Cartaxo sobre elevado número de servidores temporários

Prefeitura terá até o fim do exercício financeiro para corrigir informações

Luciano Cartaxo terá que corrigir informações até o final do ano. Foto: Ângelo Medeiros

Por enquanto, é apenas uma advertência. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) emitiu alerta nesta quarta-feira (21) para o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD). Ele terá até o fim do atual exercício financeiro para corrigir as inconsistências apontadas pelo órgão de controle. Entre os problemas apontados está o elevado número de servidores temporários. De acordo com o processo, publicado nesta quarta no Diário Oficial Eletrônico do TCE, são 10.740 profissionais nesta condição. O montante corresponde a 120% da soma dos servidores efetivos (8.028) e comissionados (888), tendo como referência o mês de abril. O relator das contas é o conselheiro Nominando Diniz. Além dos servidores, houve alerta também em relação ao investimento em educação abaixo do determinado pela lei, de 25% da Receita Corrente Líquida.

Luzenira Linhares assume presidência do PT de João Pessoa nesta quarta

Presidente foi eleita com 55,04% dos votos no PED

Lezenira Linhares é a segunda mulher a assumir o comando do partido. Foto: Dani Rabelo

O Partido dos Trabalhadores (PT) empossa nesta quarta-feira (21) a nova presidente da sigla, em João Pessoa. Luzenira Linhares foi eleita com 55,04% dos votos (491) através do Processo de Eleições Diretas (PED). Ela será a segunda mulher a presidir o partido na capital. A primeira foi Aparecida Diniz. A nova dirigente irá assumir a função junto com os novos membros da Direção Municipal, que foram escolhidos através do que determina a Resolução do partido, respeitando as quotas de mulheres, negros e jovens.

Com uma forte atuação dentro do Partido dos Trabalhadores, movimentos de mulheres e sindicais, Luzenira Linhares destacou que “é um orgulho muito grande, mas também um enorme desafio dirigir o PT”: “Mesmo diante de tudo o que está posto, sabemos que é possível, com o compromisso e o comprometimento dos companheiros e companheiras que ao longo da história construíram o nosso partido, e demonstram diariamente sua capacidade de superação nos momentos difíceis”.

“Muito já foi feito pelo PT, mas podemos fazer ainda mais, e destaco o fortalecimento da democracia interna e a preparação do partido para os enfrentamentos que estão sendo apresentados. É nossa prioridade, numa conjuntura totalmente adversa a classe trabalhadora, colocar em amplo funcionamento as nossas secretarias e setoriais, fortalecer as alianças com os movimentos sociais e sindicais, pois somente com a união poderemos enfrentar o desejo de retrocesso da Direita brasileira”, acrescentou.

 

 

Vereadores entram de recesso, mas evitam falar em “folga”

Marcos Vinícius diz que projetos devem ser votados após fim do recesso

Marcos Vinícius (C) não quer ouvir falar em folga durante o período de recesso. Foto: Olenildo Nascimento

O presidente da Câmara de João Pessoa, Marcos Vinícius (PSDB), tem demonstrado ojeriza à palavra “folga”. Os vereadores entram de recesso, oficialmente, na próxima segunda-feira (12), mas, na prática, não têm trabalho a partir desta sexta-feira (9). Apesar disso, o dirigente falou que não haverá férias e todos foram convocados para manter os trabalhos. Além do funcionamento da comissão de recesso, ele alega que haverá atuação dos parlamentares nas comissões que revisam o Regimento Interno do Legislativo Municipal, a Lei Orgânica do Município e as leis em desuso, as chamadas leis caducas. Todos foram orientados a limpar a pauta antes da volta das atividades parlamentares, no final de julho.

“As comissões deverão se reunir ao longo das semanas com a finalidade de concluir os trabalhos antes do fim do recesso. Queremos voltar em julho com o novo Regimento Interno, uma nova Lei Orgânica e uma legislação sem leis caducas”, anunciou Marcos Vinícius (PSDB), deixando claro que todos os projetos têm que estar prontos para votação após o fim do recesso. O vereador diz também que estarão em funcionamento as frente parlamentares instaladas pela Casa. Só o plenário e as comissões permanentes não estarão funcionando.

João Pessoa: oposição madruga na Câmara para dominar discursos e cobrar CPI

Grupo se prepara para atacar a gestão do prefeito Luciano Cartaxo

Bruno Farias era aliado de Cartaxo e rompeu no fim da legislatura passada. Foto: Francisco França

Os discursos na primeira sessão na Câmara de João Pessoa após a Operação Irerês, da Polícia Federal, terá as cores da oposição. Os vereadores do grupo de oposição ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD) madrugaram, literalmente. Eles garantiram os dois primeiros discursos para esta terça-feira (6). Tibério Limeira (PSB) chegou à Casa às 4h30 e Bruno Farias (PPS) às 4h50. O primeiro governista a assinar a ordem de chegada para os discursos foi João dos Santos, às 5h30. Depois dele, chegaram Helena Holanda (PP) e Chico do Sindicato (Avante), ambos após as 6h.

A operação Irerês, da Polícia Federal, promoveu busca e apreensão em endereços dos donos da empresa Compecc. Ela foi a responsável pela realização das obras de revitalização do Parque da Lagoa. Os pontos contestados dizem respeito à retirada de 200 toneladas de resíduos no desassoreamento e um suposto superfaturamento na construção do túnel. O dano ao erário apontado é de R$ 6,4 milhões. O tema será abordado pela oposição, que tenta a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lagoa.

Até o momento, o grupo dispõe de oito assinaturas para protocolar o pedido de investigação. São necessárias nove. “O vereador Lucas de Brito (PSL), antes de ir para a base governista, disse que assinaria se surgissem fatos novos. Esperamos que ele assine em nome da coerência do seu discurso”, ressaltou o líder da oposição, Bruno Farias.