Prefeito e ex-procuradores são agraciados com medalha

Comenda foi criada em 2010 e será entregue pela primeira vez nesta quinta-feira

O prefeito Luciano Cartaxo será um dos homenageados no evento. Foto: Divulgação

A lei que criou a comenda não é nova, mas os efeitos dela, sim. Serão agraciados com a medalha do mérito Advogado Paulo Américo Maia de Vasconcelos, nesta quinta-feira (8), quatro autoridades, entre juristas e políticos. A honraria foi criada em 2010, mas apenas neste ano houve definição pelo Conselho Superior da Procuradoria de agraciados por ela. O procurador-geral do Município, Adelmar Régis, explica que a homenagem é feita às pessoas que deram grande contribuição para a procuradoria. A entrega da comenda ocorre a partir das 17h, na Estação das Artes, em João Pessoa.

Entre os agraciados deste ano estão o jurista Joás de Brito Pereira (in memoriam), pai do atual presidente do Tribunal de Justiça, Joás de Brito; os ex-procuradores do município, Geilson Salomão Leite e Rodrigo Nóbrega Farias, além do prefeito Luciano Cartaxo (PV). Ouvido pelo blog, Rodrigo Farias se disse honrado com a homenagem e lembrou ter sido no período em que ele comandou a pasta que se deu a contratação dos procuradores concursados. “Foi um fato histórico para a instituição”, ressaltou.

Durante o evento haverá também o lançamento da 7ª edição da revista jurídica da Procuradoria-Geral do Município (PGM). A revista da Procuradoria do Município de João Pessoa tem como objetivo a promoção e o incentivo ao debate técnico, científico e acadêmico das matérias de interesse do Município, relacionadas com a atuação institucional da PGM de representação judicial e extrajudicial do Município de João Pessoa.

O exame e seleção do material, tanto de artigos científicos, técnicos e acadêmicos, quanto de pareceres e comentários de jurisprudência, foram realizadas com base nas diretrizes do Regulamento da Revista em deliberação do Conselho Editorial da Revista, sob coordenação do Centro de Estudo “Grimaldi Gonçalves Dantas”. O procurador-chefe do Centro de Estudos, Alex Maia, destaca que a revista é uma proposta de grande importância. “A revista representa um verdadeiro estímulo aos agentes públicos para pesquisa, discussão e descoberta do Direito Público. Também pretendemos compartilhar o saber jurídico e o trabalho desenvolvido nas atividades diárias na PGM”, ressaltou.

 

Manoel Júnior rompe com Cartaxo e anuncia apoio a Zé Maranhão

Vice-prefeito tem alegado a pessoas próximas quebra de compromisso do prefeito Luciano Cartaxo

Luciano Cartaxo acompanha obras em Mangabeira ao lado do vice, Manoel Júnior. Foto: Alessandro Potter SECOM-JP

O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PSC), anuncia nesta quarta-feira (5) o rompimento com o prefeito Luciano Cartaxo (PV). Ele vai apoiar candidato do MDB ao governo, José Maranhão, na disputa deste ano. O comunicado vai acontecer durante entrevista coletiva, às 10h, na Associação Paraibana de Imprensa (API), em João Pessoa. Júnior tem alegado a pessoas próximas quebra de compromisso do gestor pessoense com o projeto dele, de disputa de vaga na Câmara dos Deputados. Ele decidiu disputar o cargo após ver frustrado o desejo de assumir a prefeitura de João Pessoa, já que Cartaxo desistiu da disputa do governo.

O movimento de Manoel Júnior em direção a José Maranhão não é recente. Durante a pré-campanha, quando o PSC demonstrava indecisão sobre com quem ficar, ele colocou o nome à disposição para a disputa de uma vaga no Senado na chapa do emedebista. O partido, no entanto, fechou a coligação com o PV de Lucélio Cartaxo, que disputa a eleição para o governo. O descontentamento do vice-prefeito começou dentro do próprio partido. Com as portas fechadas para a disputa do Senado, foi colocado internamente em segundo plano na disputa da vaga na Câmara dos Deputados. A prioridade do partido é a eleição de Leonardo Gadelha.

O vice teve uma reunião nesta terça-feira (4) com o prefeito Luciano Cartaxo. A pessoas próximas narrou a insatisfação com a suposta falta de apoio que estaria amargando. Por conta disso, decidiu romper e apoiar o candidato do MDB. A relação de Manoel Júnior com José Maranhão, vale ressaltar, é feita de altos e baixos. Os dois eram muito próximos na sigla emedebista, mas se distanciaram em 2014. De lá para cá, se alinharam em 2016 e se afastaram em seguida, neste ano, quando Maranhão insistiu na candidatura ao governo. Mesmo assim, tentou a reaproximação para disputar o Senado. Agora, ele entra na base de apoio.

 

Coligação de PSL-PRTB-DC-SD revela monstrengo eleitoral de 2018

Grupo reunido na proporcional para eleição na Paraíba representa quatro presidenciáveis e um pré-candidato ao governo

Convenção reuniu representantes de quatro partidos que apoiam Lucélio Cartaxo. Foto: Angélica Nunes

Pode procurar um alinhamento ideológico nas coligações partidárias para este ano, ele não será encontrado com facilidade. Foi isso o que se viu durante a convenção que reuniu, na Câmara de João Pessoa, nesta segunda-feira (30), lideranças de PSL, PRTB, DC e SD. Os quatro partidos vão se coligar nas eleições para referendar chapas proporcionais. Daí sairão 70 candidatos a deputado estadual e 25 a deputado federal. No contexto estadual, a liga para a união das siglas é a pré-candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) ao governo. No plano nacional, no entanto, será cada um por si e Deus por todos.

O PSL tem Jair Bolsonaro como candidato à Presidência, da mesma forma que o PRTB vai lançar Levy Fidélix. O DC, como em todas as eleições, lançará José Maria Eymael. O SD entrou no grupo de partidos que apoia Geraldo Alckmin (PSDB), no mesmo agrupamento político integrado pelo PV de Lucélio Cartaxo. A dificuldade, sempre, é explicar a liga ideológica. PSL, PRTB, DC e SD são partidos do espectro de direita. O PV surgiu na esquerda e na paraíba terá um ex-petista como candidato. “Eu acho que a gente está partindo para uma mudança… é o novo… o diálogo… essa eleição vai ser muito diferente”, disse o vereador João Corujinha (DC).

A profusão de partidos com os mais variados matizes ideológicos reunidos em um único grupo político não é privilégio de Cartaxo. Na chapa de João Azevêdo também há uma fauna robusta de grupos dos mais diversos espectros ideológicos. Partindo do plano nacional, o PSB encara indefinição sobre alinhamento com o ex-presidente Lula (PT) ou com Ciro Gomes (PDT). Fora isso, ainda há muitos partidos da base aliada de Geraldo Alckmin (PSDB) e de Manuela D’Ávila na coligação. A mistura é tão grande que seria impossível a antiga tese de imposição de verticalização das candidaturas nos Estados.

Ao todo, 35 partidos estão aptos a inscrever candidatos para as disputas eleitorais deste ano. E ainda há vaga para mais…

PHS confirma apoio à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo

Postulante agora soma oito siglas na base aliada e trabalha para angariar outros apoios

Lucélio Cartaxo discursa durante reunião para confirmar apoio do novo partido. Foto: Divulgação

O Partido Humanista da Solidariedade (PHS) confirmou apoio nesta quinta-feira (12) à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) ao governo do Estado. A sigla chegou a ensaiar uma aproximação do senador José Maranhão (MDB), também postulante, mas desistiu. Com a chegada da nova sigla, sobe para oito o número de apoiadores do verde. As outras siglas confirmadas são PV, PSDB, PSD, SD, PRTB, DC, PTC. O anúncio ocorreu durante reunião do pré-candidato com dirigentes da sigla no Estado em um hotel na orla da capital.

“Iniciamos a nossa caminhada com um diálogo franco com a população e hoje representamos o projeto que mais cresce em todo Estado. Firmar essa aliança com o PHS mostra que estamos no melhor caminho, em sintonia com um futuro novo para a Paraíba”, avaliou, em discurso, Cartaxo.

O presidente estadual do PHS, Jedaias Nunes, referendou o nome de Lucélio como o mais preparado para governar o Estado. “Fizemos uma opção por um representante desta nova forma de fazer política, ficha limpa e comprometido com a Paraíba. Estamos certos que Lucélio chega para fazer um trabalho inovador, com resultados que irão refletir os interesses reais da população”, comentou.

Além das lideranças do PHS, estiveram ao lado de Lucélio Cartaxo o presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, o presidente estadual do PTC, Fábio José Lins, o vice-presidente do PV, Zennedy Bezerra, e o presidente estadual do PRTB, Fábio Carneiro.

PP define até a próxima semana se fica com Lucélio ou João Azevedo

Definição do destino dependerá de quem oferecerá melhores condições para disputa a proporcional e para o Senado

Daniella Ribeiro pretende disputar uma vaga no Senado nas eleições deste ano. Foto: Roberto Guedes/ALPB

Esqueça qualquer tipo de ideologia ou fidelidade cega a grupo político. O PP vai ficar nas eleições deste ano com a coligação que oferecer melhores condições para o projeto do partido. A sigla vai para o pleito com o objetivo claro de emplacar a deputada Daniella Ribeiro chapa majoritária e eleger deputados. A parlamentar teve acesso a pesquisas internas e acredita ter chances para o Senado. Diante dela, hoje, há três cabeças de chapa que podem abrir espaço para o projeto progressista. As possibilidades de composição, no entanto, estão mais próximas de João Azevedo (PSB) e Lucélio Cartaxo (PV).

Da mesma forma que a possibilidade de uma composição com José Maranhão (MDB) é um quadro remoto atualmente, a aproximação com Azevedo é a mais provável. A conjuntura que aproxima o PP do grupo liderado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) é bem recente. Os grupos estão separados desde 2010, quando o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) rompeu com o socialista. Historicamente, Daniella é a parlamentar que mais critica a gestão socialista. As demandas têm a ver, em geral, com questões relacionadas à insegurança no Estado.

A pauta, inclusive, é o mote da reunião da tarde desta terça-feira (3) na Granja Santana. Desde o início do ano a parlamentar tentava, enquanto deputada, ser recebida pelo governador. O pedido do encontro foi para discutir questões relacionadas com a segurança em Campina Grande. Os primeiros sinais do encontro foram parecidos com o de uma paquera entre os partidos que poderá evoluir rapidamente para namoro. Neste caso, os próximos dias dirão o destino da sigla. As conversas com o PSB estão adiantadas e há espaços. O discurso para o alinhamento, mesmo de alguém saído da oposição, pode ser construído com grande facilidade.

A Paraíba é pródiga em exemplos de adversários que se tornaram grandes aliados, muitas vezes de forma efêmera. Ricardo foi aliado de Aguinaldo Ribeiro, virou adversário e pode se aproximar novamente. O socialista, da mesma forma, já foi adversário do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), virou aliado e novamente adversário. A mesma coisa aconteceu com José Maranhão (MDB) e Luciano Cartaxo (PV). De fato, na Paraíba, este negócio de direita e esquerda serve apenas para indicar o lado para a curva no trânsito. Tudo depende da conveniência de quem busca e  de quem oferece o apoio.

O PP de Daniella Ribeiro, vale ressaltar, tem pressa por uma definição. A expectativa é que o destino do partido seja definido até a próxima semana. A preço de hoje, João Azevedo tem vantagens na aproximação. Não há, no entanto, como afastar de vez a possibilidade de composição com Lucélio. O partido integra as gestões municipais  de João Pessoa e Campina Grande, que dão sustentação à candidatura do verde. Para os puristas apegados a questões de fidelidade, vale a velha máxima política de que apenas os “amigos” são capazes de trair.

 

Cartaxo ganha um e pode perder outros sete vereadores na Câmara de João Pessoa

Proximidade das eleições eleva “invasão” sobre a base aliada do prefeito Luciano Cartaxo e pode pesar na eleição de Lucélio

Luciano Cartaxo enfrenta investidas sobre a bancada governista na Câmara de João Pessoa. Foto: Andréa Santana/CBN

A bolsa de apostas anda agitada na Câmara de João Pessoa. Com a proximidade do período eleitoral, a base aliada do prefeito Luciano Cartaxo (PV) tem sofrido ataques de todos os lados. No perde e ganha, o gestor perdeu o apoio da vereadora Raíssa Lacerda (PSD) nesta sexta-feira (15). Até aí, nenhuma novidade. Desde a posse, no ano passado, a parlamentar demonstra insatisfação com o tratamento recebido do Executivo. Nesta sexta, ao comunicar que o pai, o ex-vice-governador José Lacerda Neto apoiaria José Maranhão (MDB), a parlamentar recebeu do prefeito o ultimato de que o grupo dela não poderia ficar pendurada em duas candidaturas. Se o pai estaria com o emedebista, não faria sentido ela ficar no apoio a Lucélio Cartaxo, pré-candidato do PV e irmão de Luciano.

Raíssa deixou a base governista no mesmo momento em que o vereador Eduardo Carneiro (PRTB) anunciou o retorno à base cartaxista. Ele, por tabela, vai apoiar Lucélio Cartaxo nas eleições deste ano. Com isso, partido e parlamentar deixam a base aliada do governador Ricardo Coutinho e, consequentemente, o apoio  João Azevedo (PSB). A bolsa de apostas diz, no entanto, que o movimento de mudanças não para por aí. Há a informação de que pelo menos mais sete vereadores deverão deixar a base aliada de Cartaxo. Eles deverão marchar, por isso, com as candidaturas de João Azevedo ou José Maranhão. Caso a articulação se confirme, pelo menos dois membros da mesa diretora devem engrossar a debandada.

No sentido contrário, no entanto, há informações de que o PSC do deputado federal Marcondes Gadelha está muito próximo de fechar acordo com o PV. Com isso, assumiria a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) de João Pessoa. Já a Secretaria de Trabalho poderá ir para as mãos do PRB, do deputado federal Hugo Motta. Até o período das convenções, as articulações tendem a se intensificar.

Lucélio Cartaxo anuncia escolha de Micheline Rodrigues para candidata a vice

Nome foi referendado pelas siglas que já confirmaram apoio à pré-candidatura do verde ao governo

Lucélio Cartaxo e Micheline Rodrigues devem encabeçar uma das chapas da oposição. Foto: Divulgação

O pré-candidato ao governo da Paraíba, Lucélio Cartaxo (PV), anunciou a escolha nesta sexta-feira (8) da médica Micheline Rodrigues (PSDB) para a vaga de vice na chapa. Ela é mulher do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), e era cotada para a vaga. A escolha dos dois desenha um quadro bem diferente do representado meses atrás, quando os nomes trabalhados pela oposição eram os dos prefeitos Luciano Cartaxo e do próprio Romero, que comandam, respectivamente, as cidades de João Pessoa e Campina Grande.

O anúncio foi feito junto com uma carta direcionada à população paraibana. O texto fala de “esperança” e de “mudanças” na política estadual. “Esta visão de futuro, com um horizonte de realizações transformadoras, nasce do sentimento de confiança, compartilhado por muitos paraibanos e paraibanas, de que a união com respeito, a conjunção de boas ideias, a soma de experiências exitosas e a capacidade de trabalho podem produzir uma Paraíba melhor para cada paraibano e, sobretudo, para o conjunto da sociedade”, diz um dos trechos da nota.

O documento é assinado pelos dirigentes dos partidos aliados. Entre eles estão Eva Gouveia (PSD), Ruy Carneiro (PSDB), Luciano Cartaxo (PV), João Corujinha (DC) e Fábio José Lins (PTC). O bloco de oposição, além de Lucélio, deverá ter como candidato ao governo o senador José Maranhão (MDB). Eles terão pela frente a postulação governista, que deverá ser encabeçada pelo ex-secretário João Azevedo (PSB).

Confira a nota

Carta ao Povo da Paraíba

Os desafios que o Brasil enfrenta hoje têm exigido de todos um esforço permanente para vencer dificuldades e encontrar possibilidades de superação.

Na Paraíba não é diferente.

Mas aqui a esperança em dias melhores começa a ganhar uma nova força, com perspectiva real de avanço em um novo caminho.

Esta visão de futuro, com um horizonte de realizações transformadoras, nasce do sentimento de confiança, compartilhado por muitos paraibanos e paraibanas, de que a união com respeito, a conjunção de boas ideias, a soma de experiências exitosas e a capacidade de trabalho podem produzir uma Paraíba melhor para cada paraibano e, sobretudo, para o conjunto da sociedade.

Sempre para TODOS, nunca para poucos.

E nesta caminhada, que nos levará juntos a uma Paraíba renovada, com as conquistas sonhadas por cada um que ama e vive o nosso estado, temos hoje mais uma boa nova a anunciar.

É hora de mais um passo na construção do futuro que começa quando tantas vozes ganham espaço e promovem um diálogo franco, que aponta objetivos comuns a uma população inteira.

Uma Paraíba mais Forte, Solidária, Livre, Justa e Feliz é o que queremos.

Um Futuro que traz Esperança é o que propomos.

Uma nova forma de Pensar e Fazer é o que nós praticamos, todos os dias.

Este projeto, representado pelo apoio ao nome de Lucélio Cartaxo, pré-candidato ao governo da Paraíba, amplia suas bases, congrega importantes forças sociais e populares e registra hoje uma decisiva manifestação de unidade e legitimidade.

Ao lado de Lucélio, agora na condição de pré-candidata ao cargo de vice-governadora, temos a alegria de apresentar à Paraíba o nome de Micheline Rodrigues.

A aproximação, movida pelos melhores propósitos, entre dois representantes de uma nova geração de figuras públicas, que consolida a tão esperada afinação entre João Pessoa e Campina Grande, que reafirma a certeza de que a Política pode e deve ser um lugar de convergências, no qual homens e mulheres protagonizam uma trajetória democrática rumo ao novo.

Médica, cidadã, militante, mulher da luta por um mundo mais humano, Micheline Rodrigues está no lugar certo, na hora precisa, com as mãos e o coração abertos para, como sempre fez, cumprir o seu compromisso com a Paraíba

Lucélio e Micheline, mais do que a conexão entre João Pessoa e Campina Grande, simbolizam um novo olhar para o estado inteiro, para cada município do nosso território, para cada criança, cada jovem, cada adulto que nunca desistiu de sonhar e acreditar.

Do Sertão à capital, em todas as regiões, surge uma luz diferente, a luz da Esperança, com a força da Verdade e da Confiança em um Novo Tempo, iluminando uma Paraíba mais Humana que se reencontrará com sua História de Luta e abraçará o seu Futuro de Conquistas.

Assinam,

Eva Gouveia
Presidente Estadual do PSD

Ruy Carneiro
Presidente Estadual do PSDB

Luciano Cartaxo
Presidente Estadual do PV

João Corujinha
Presidente Estadual do DC

Fábio José Lins
Presidente Estadual do PTC

 

 

PV e PSDB dão um primeiro passo, mas união das oposições ainda é complexa

Lideranças dos dois partidos agora partem para a discussão com outras siglas das oposições

Lucélio Cartaxo (C) terá a missão de costurar as alianças que o irmão, Luciano, tentou antes de desistir da disputa. Foto: Reprodução/Youtube

O apoio dos PSDB à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) ao governo foi, sem dúvida, um passo importante no sentido da união das oposições. Agora, convenhamos, existe um terreno árido a ser percorrido para que a teoria se transforme em prática. Digo isso por que até o termo “união das oposições”, largamente usado pelo grupo, encontra pouca base nos fatos atuais. Definida a cabeça de chapa e uma das vagas para o Senado, passa-se à parte mais difícil: negociar espaços para PP, PSC e PSD. Isso sem se falar no arredio MDB, pouco afeito ao enquadramento em um bloco que nunca viu o senador José Maranhão como opção.

Alheio à pressa dos partidos que se contrapõem ao governador Ricardo Coutinho (PSB), Lucélio comemorou a adesão do PSDB. “Fico muito honrado em ver a nossa pré-candidatura crescer e se ampliar. Seguiremos juntos em torno de um objetivo maior: a melhoria da qualidade de vida da população, a união, o trabalho, o respeito com todos os segmentos da sociedade. Faço parte de uma luta histórica, que é a mesma de milhares de paraibanos. O nosso foco é o trabalho que se traduz em resultados reais na vida das pessoas. Como sempre fiz ao longo de toda a minha trajetória, seguirei aberto ao diálogo”, disse o pré-candidato.

Lucélio acabou ocupando na disputa no processo o papel antes atribuído ao irmão, o prefeito de João Pessoa. Terá pela frente os mesmos problemas que se desenhavam para Luciano em relação à união das oposições. As pedras no caminho terão José Maranhão em uma das vertentes. O senador quer se manter na disputa do governo e esperava ser considerado como opção por PSDB e PV. Outra parada, essa menos indigesta, diz respeito ao convencimento do deputado federal Aguinaldo Ribeiro sobre a manutenção do PP na base. Tem também o PSC de Marcondes Gadelha, que filiou recentemente o vice-prefeito da capital Manoel Júnior.

 

Em ato pró-João Azevedo, Ricardo lança Veneziano para o Senado e ironiza desistência de Cartaxo

Encontro realizado no Clube Cabo Branco para fortalecer João reuniu aliados de Ricardo Coutinho, mas vice-governadora não compareceu ao ato

O governador Ricardo Coutinho abraça Veneziano Vital do Rêgo durante encontro. Foto: Laerte Cerqueira

O evento realizado pelo PSB para marcar a pré-candidatura de João Azevedo ao governo do Estado teve de tudo. Ou melhor, quase tudo. O encontro realizado no Clube Cabo Branco, em João Pessoa, reuniu os principais aliados e foi permeado por discursos fortes e gritos da militância. A ausência percebida, no entanto, foi a da vice-governadora Lígia Feliciano (PDT). Ela seria a principal beneficiada em caso de uma eventual desincompatibilização do gestor socialista para disputar vaga no Senado. O prazo para isso acaba neste sábado (7). O tema desincompatibilização, diga-se de passagem, serviu para o gestor ironizar o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), que desistiu de concorrer ao governo do Estado.

“Alguém já viu alguém dizer que vai desistir por que alguém não confia nele de outro partido? Eu saí em 2010 e não contei conversa meu amigo. Eu disse ‘eu sou candidato para mudar a Paraíba'”, disse Ricardo Coutinho em meio aos aplausos do público que lotou o Clube Cabo Branco. “Eles desistiram porque sabem da força, do perfil, da integridade deste companheiro (João Azevedo) aqui e do projeto que eles vão enfrentar. É por isso que eles desistiram. Quem quiser que venha. Quem não quiser, não venha. Eu não vou esperar por ninguém”, acrescentou o gestor, sem esconder que seu adversário preferido. A maioria das críticas feitas pelo governador, mesmo sem citar nomes, tiveram o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), seu ex-aliado, como endereço.

Ricardo Coutinho disse que todos os partidos da oposição estão esperando que ele defina qual será o seu movimento em relação ao pleito. O governador anuncia nesta sexta-feira (6) se fica no governo até o dia 31 de dezembro ou se renuncia para disputar o Senado. Sem citar no nome de Cássio, alegou que o tucano espera para saber se sai candidato ou se lança o filho, o deputado federal Pedro Cunha Lima, também do PSDB. “Não ficou um em pé. Eles estão lá ainda brigando, esperando para onde eu vou para saber se pai sacrifica filho”, ironizou. “Eles esperam para saber qual é a alternativa. E não adianta dizer que, sinceramente, que desistiram por que discordam entre si. É mentira também. Eles se desmancharam porque não têm história, não têm discurso e, consequentemente, não têm candidato”, acrescentou.

 

Veneziano e João

Vestindo de laranja, o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo foi tratado como estrela. Durante vários momentos do discurso, o ex-emedebista foi saudado como a pessoa que vai derrotar Cássio nas eleições deste ano para o Senado. O parlamentar também teve direito a fala e só recebeu menos afagos que João Azevedo. O ex-secretário, diga-se de passagem, teve as características de bom gestor ressaltadas o tempo todo pelo governador. No encontro, Ricardo Coutinho deu todos os sinais de que vai ficar no governo até o fim e prometeu inaugurar todas as obras planejadas.

Luciano Cartaxo anuncia desistência de disputar o governo da Paraíba

Gestor vinha cobrando dos partidos de oposição uma definição sobre o apoio para a disputa do governo

Luciano Cartaxo diz que vai dar continuidade ao trabalho na prefeitura de João Pessoa até o fim do mandato. Foto: Herbert Araújo/CBN João Pessoa

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), divulgou carta, nestaquinta-feira (1°), em que anuncia a sua permanência à frente da administração municipal. Ele assegura que vai completar integralmente os oito anos dos dois mandatos sucessivos. O gestor foi reeleito no pleito de 2016. No documento, gestor agradece as manifestações calorosas recebidas dos paraibanos de todas as regiões do estado, que o colocam como o nome mais bem posicionado para o pleito de 2018, “uma honra”, segundo ele, mas reforça que, como gestor público, tem desafios a concluir. O prefeito recebe a imprensa para se pronunciar sobre o assunto, logo mais, apartir do meio-dia, no Hotel Imperial Nord Class, na Av. Almirante Tamandaré, em Tambaú.

“Conforme me comprometi com a população de João Pessoa, cumprirei na íntegra o meu mandato de prefeito reeleito, reafirmando o compromisso pactuado com este projeto vitorioso, que vem transformando a vida na nossa Capital”, pontuou, na mensagem. O prefeito destacou que a decisão exige coragem e também de responsabilidade, diante da missão que lhe foi confiada. “Vamos seguir dialogando com os municípios, com partilhando experiências, fazendo desse novo jeito de administrar uma referência para o estado, o Brasil e outras cidades do mundo”, disse.

Reeleito para administrar João Pessoa com quase 60% dos votos válidos,  Luciano ponderou que a vida pública exige dos gestores a entrega em todos os desafios. “Sei que isso diverge do senso comum, num ambiente marcado, infelizmente, por vaidades e interesses individuais. Mas, para mim, não é só uma questão de coerência, é de crença”, apontou. Cartaxo, que também já foi vereador, deputado estadual e vice-governador, afirmou não fazer a política da conveniência, mas do trabalho com resultado, “que se alimenta de sonho”. E ressaltou: “Não esperem de mim a ambição eleitoral, meu lema é o dos compromissos assumidos”.

Futuro

Na carta, Cartaxo assegurou estar pronto para continuar debatendo o futuro do estado, na condição de prefeito da capital. “A honra imensa de ser reconhecido pela população como gestor e político capaz de liderar o projeto da Paraíba que querem s é fruto do melhor resultado possível na vida pública: credibilidade e confiança”, mencionou, reforçando, em seguida: “Sei que esta relação de confiança com a população só vai se aprofundar, evoluir, crescer. E o momento certo para novos passos certamente virá”.

Confira a íntegra da carta:

Mensagem ao povo paraibano

João Pessoa, 1o de Março de 2018

A minha vida é pautada por princípios, valores que a vida pública consolidou ainda mais, em todas as oportunidades que a população de João Pessoa e da Paraíba, generosamente, decidiu me conceder. Sou um homem de palavra e um gestor de compromisso. Exerço a política preservando todas as boas práticas nas quais acredito e que regem a minha vida pessoal. Sei que isso diverge do senso comum, num ambiente marcado, infelizmente, por vaidades e interesses individuais. Mas, para mim, não é só uma questão de coerência, é de crença. Não optei por essa trajetória, na qual coloco meu tempo e minha força de trabalho à disposição da população, para fazer o fácil, o conveniente, ou mais do mesmo. Estou, desde sempre, na estrada do que considero certo, justo, ético, mesmo que percorrê-la seja um desafio mais longo e exigente. Fazer parte de um projeto que realiza sonhos coletivos é o que me mobiliza. A coragem e a fé me levam à frente. E estou aqui, hoje, para anunciar mais um passo adiante. Não me furto às decisões, prefiro fazer acontecer a esperar para ver, porque daí nascem as ações realmente transformadoras. E esta é a minha missão.

Assim, depois de uma cuidadosa reflexão, discussões internas, escuta de muitos companheiros de luta, aí incluída a minha família, diálogo com moradores de João Pessoa, e sinceramente honrado pelas manifestações calorosas do povo paraibano, de todas as regiões, que coloca o meu nome em posição de destaque, quando projeta o futuro do nosso estado, venho comunicar uma decisão – serena e amadurecida – que norteará os próximos anos da minha vida pública. Conforme me comprometi com a população de João Pessoa, cumprirei na íntegra o meu mandato de prefeito reeleito, reafirmando o compromisso pactuado com este projeto vitorioso, que vem transformando a vida na nossa capital. Como gestor público, tenho uma missão a concluir.

Sempre defendi que a boa política não pode ser construída pelas circunstâncias, porque isso pode levar a análises distorcidas. Em tempos marcados pelo excesso de individualismo e a falta de bons propósitos, avançarei me distanciando, como sempre, da política antiga – e vencida – que busca colocar os interesses pessoais acima das causas coletivas. A mesquinhez do carreirismo não tem lugar ao meu lado, nem será capaz de fazer curvar minha cabeça erguida, ou ameaçar a minha paz de consciência. Devo isso aos meus pais, como legado. Ofereço isso aos cidadãos e cidadãs da minha terra, onde nasci e escrevo uma História, ao lado da minha mulher e filhos, ao lado da minha gente. Sou do trabalho com resultado, que se alimenta do sonho. Acredito em um mundo melhor e a ele me dedico com as mãos e o coração.

Diante do tamanho da missão que me foi confiada, esta é uma decisão que exige coragem e, acima de tudo, responsabilidade. Vamos seguir dialogando com os municípios, compartilhando experiências, fazendo dessenovo jeito de administrar uma referência para o estado, o Brasil e outras cidades do mundo. É desta maneira que seguirei onde estou, avançando. No tempo devido, da forma correta. Se a população do meu estado me avalia como um gestor competente, que cumpre compromissos, por isso amplamente aprovado, apto a disputar o governo, em primeiro lugar nas pesquisas de opinião, então, efetivamente, venho atendendo às expectativas do meu povo. Se este quadro é decorrente, hoje, do projeto que desenvolvemos na nossa capital, neste momento histórico de mudanças, eu não posso simplesmente desconsiderar esta realidade. Implementamos um programa que planeja a João Pessoa dos próximos 30 anos, a encaminhar irreversivelmente, já com resultados que se somarão a tantos que conquistamos, até aqui.

Tenho 53 anos, muitos planos e bastante experiência, à disposição do meu estado. Equipe, grupo político, população de João Pessoa e todo o povo da Paraíba contam e contarão comigo, sempre -, no que eu puder fazer de melhor. Mas, reafirmo, decisões de tal importância não devem ser inspiradas em circunstâncias, nem motivadas por elementos desconectados de um projeto maior. Não compactuo com esta opção. Foi por isso que sempre explicitei meu entendimento, alertei para a necessidade de traçarmos metas, respeitando prazos, que permitissem a evolução do debate e estruturação de um caminho. Agora o tempo é outro. Nestes últimos meses, foram inúmeras as especulações, insinuações, danosas ao debate maduro da boa política. Eu não faço política por conveniência. Portanto, procuro transcender o imediatismo. Não esperem de mim a ambição eleitoral, meu lema é o dos compromissos assumidos.

A vida pública exige dos gestores a entrega em todas as missões e desafios. Como vereador, deputado estadual, vice-governador e prefeito reeleito de João Pessoa, abri caminhos com a força do que acredito, renovando a confiança depositada em mim. A honra imensa de ser reconhecido pela população como gestor e político capaz de liderar o projeto da Paraíba que queremos é fruto do melhor resultado possível na vida pública: credibilidade e confiança. Não é o único requisito para um projeto avançar. É, certamente, o mais importante. No momento, avançarei em João Pessoa. Sei que esta relação de confiança com a população só vai se aprofundar, evoluir, crescer. E o momento certo para novos passos certamente virá. Porque aqui temos fé, coragem, trabalho, resultado e coração.

Luciano Cartaxo Pires de Sá.