Dia do professor: paraibanos usam redes sociais para se posicionar politicamente

Atendendo desafio, professores universitários empregados durante gestões do PT apresentam voto em Haddad

Um grupo de professores paraibanos, ligados a instituições federais de ensino, divulgou vídeos nesta segunda-feira (15) de apoio ao presidenciável Fernando Haddad (PT). A maioria deles foi admitida através de concurso público durante o período em que o petista era ministro da Educação. Em todos os discursos, eles atribuem à gestão do postulante a ampliação da oferta de vagas no ensino superior. Eles ressaltam também como fator importante a interiorização do ensino.

Um deles, o professor de Letras da Universidade Federal da Paraíba, Erivaldo Pereira, diz que o trabalho de interiorização do ensino superior favoreceu regiões com baixo índice de desenvolvimento humano na Paraíba. O movimento aproveita o Dia do Professor para distribuir as mensagens que visam o fortalecimento do candidato petista.

Fernando Haddad foi o segundo colocado no primeiro turno das eleições deste ano. O primeiro colocado foi o capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL). Bolsonaro é deputado federal e lidera as pesquisas para o segundo turno com grande vantagem sobre o petista. A última pesquisa divulgada pelo Datafolha, na semana passada, apresentou o parlamentar com 58% das intenções de voto contra 42% do ex-ministro da Educação.

Em coletiva, PT revela carta de Lula aos paraibanos e apoio a João Azevêdo

Ex-presidente teve o projeto de eleição frustrado por decisão do Tribunal Superior Eleitoral

Jackson Macedo leu a carta de apoio de Lula a João, Luiz e Veneziano. Foto: Reprodução/Facebook

Os petistas paraibanos leram, durante entrevista coletiva, na manhã desta quinta-feira (6), carta do ex-presidente Lula aos paraibanos. O petista teve o registro de candidatura negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e tenta, por meio de recurso, voltar à disputa. No documento, em linhas gerais, o ex-gestor fala de obras e serviços destinadas à Paraíba durante os governos petistas. Aproveita também para pedir votos para o candidato governista João Azevêdo (PSB), que disputará o governo. Há pedido também de apoio para Luiz Couto (PT) e Veneziano Vital do Rêgo (PSB), que disputam vaga para o Senado. A fórmula de divulgação da carta é mesma usada em outros estados brasileiros. Lula deverá ser substituído na disputa pelo atual candidato a vice na chapa, Fernando Haddad (PT).

Confira o texto na íntegra

 

Coletiva de Maranhão não será para anunciar desistência

Emedebista aproveita especulações na imprensa para anunciar adesão à campanha

José Maranhão dará entrevista coletiva nesta quinta. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

A política tem as suas graças e estratégias traçadas nos bunkers de campanha. Desde a noite desta quarta-feira (15) campeia nas rodas políticas a informação de que um dos candidatos ao governo da Paraíba encontra-se muito doente. Não demorou para que as especulações ligassem o caso ao senador José Maranhão (MDB). Teleguiada ou não, a especulação tem como base a idade avançada do parlamentar/candidato. São 85 anos. As especulações cresceram ainda por que o postulante convocou uma entrevista coletiva para as 15h desta quinta-feira. Mas quem espera por uma renúncia, pode desistir.

A coletiva convocada pelo senador José Maranhão, segundo o apurado pelo blog, é para o anúncio de um apoio. Esta adesão, não revelada pelos aliados do parlamentar, terá grande impacto nas eleições deste ano, segundo os emedebistas. Há quem diga ser o senador Raimundo Lira. O parlamentar chegou a migrar do MDB para o PSD para disputar a reeleição. Depois, diante das dificuldades eleitorais, decidiu renunciar à disputa. Apesar de estar em partido da base aliada de Lucélio Cartaxo (PV), não fez qualquer movimento de apoio à postulação. A entrevista coletiva será às 15h, na sede do partido, em João Pessoa.

Carlos Batinga recebe apoio da prefeita de Monteiro para as eleições

Anna Lorena troca grupo liderando por João Henrique pelo comandado por Batinga

Batinga recebeu apoio em encontro que contou com a participação de João Azevêdo e Ricardo Coutinho. Foto: Divulgação

Após anunciar apoio à candidatura de João Azevedo (PSB) ao governo da Paraíba, a prefeita de Monteiro, Anna Lorena, anunciou o apoio do seu grupo político à pré-candidatura de Carlos Batinga (PTB) a deputado estadual. O apoio foi confirmado nesta semana, após reunião com os vereadores de sua base aliada na Câmara de Vereadores e com o vice-prefeito Celecileno Alves. A gestora era aliada do deputado João Henrique (PSDB), mas rompeu com o antigo grupo.

Segundo Anna Lorena, a opção pelo nome de Carlos Batinga representa um projeto em defesa dos interesses administrativos de Monteiro. “Batinga foi prefeito por dois mandatos no nosso município, foi deputado estadual e ocupou funções relevantes no Estado. Tenho certeza que juntos poderemos trabalhar ainda mais por Monteiro, pois esse tem sido o nosso principal foco”, disse Anna Lorena.

Anna Lorena disse ainda, que a decisão de apoiar a pré-candidatura de Carlos Batinga a deputado estadual aconteceu após vários dias de consultas aos seus amigos e ao seu grupo político. “O apoio a pré-candidatura de Carlos Batinga parte da necessidade de Monteiro fortalecer sua representatividade na Assembleia Legislativa e o nome dele une o nosso município com o propósito da paz e do bem de nossa população”, disse a prefeita Lorena.

O pré-candidato Carlos Batinga disse que se sente muito feliz e que a partir dessa união Monteiro passará a viver um novo momento, de diálogo, respeito e muito trabalho. “Estou muito feliz e essa parceria é muito importante para Monteiro, pois a partir de agora Monteiro viverá um novo tempo, com diálogo, respeito e união, e nossos conterrâneos só tem a ganhar! Fico grato por tamanha confiança e feliz por poder contar com essas parcerias”, disse Carlos Batinga.

 

PSB da Paraíba vai defender na convenção nacional apoio à candidatura de Lula

Partido está dividido nacionalmente entre os apoios a Lula ou a Ciro Gomes ou ainda a adoção de neutralidade

Lula (D) conversa com Ricardo Coutinho e com a ex-presidente Dilma Rousseff durante uma das últimas agendas cumpridas na Paraíba. Foto: Divulgação

O Partido Socialista Brasileiro (PSB), na Paraíba, decidiu apoiar a candidatura do ex-presidente Lula (PT) ao Planalto. A decisão foi tomada em reunião nesta segunda-feira (30) e vai ser levada para a convenção nacional, no dia 5 de agosto. O entendimento ocorre no mesmo momento em que o Partido dos Trabalhadores formalizam apoio à pré-candidatura de João Azevedo (PSB) ao governo. Nesta segunda-feira, também, o presidente estadual do PT, Jackson Macedo, divulgou áudio pedindo que os coletas de partido votem e peçam voto para o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PSB), pré-candidato ao Senado. Ele deve dividir espaço na chapa com o petista Luiz Couto, também deputado federal. Veneziano era tratado por golpista pelos petistas, por ter votado pró-impeachment de Dilma Rousseff (PT).

A convenção nacional do PSB vai acontecer em Brasília, no dia 5, o último para as convenções partidárias. O partido, nacionalmente, está dividido. Uma parte significativa quer votar no ex-presidente Lula, outra torce por uma aliança com Ciro Gomes (PDT) e há ainda um grupo bastante representativo que defende a neutralidade. Neste caso, os arranjos locais indicariam com quem haveria a aliança nos Estados. A proximidade do petista é mais forte entre os nordestinos e no Norte do país. O posicionamento do governador Ricardo Coutinho segue no mesmo sentido do governador de Pernambuco, Paulo Câmara. No estado vizinho, o gestor quer apoiar Lula e espera que o partido, lá, retire a candidatura de Marília Arraes (PT).

A resolução, resultante da reunião do PSB, justifica a adesão com a defesa da “democracia e, principalmente, em nome da esperança no restabelecimento das garantias sociais, tão duramente atacadas neste País, durante o atual e ilegítimo governo, bem como da recuperação da economia com a superação das desigualdades”. Outro ponto ressaltado é a suposta perseguição ao ex-presidente Lula.

“O dia 8 de julho passado produziu (mais) uma cena lamentável do completo desmonte do Estado Democrático de Direito em que o Brasil passou a experimentar sistematicamente desde que aqueles que perderam as eleições de 2014 resolveram atentar contra à escolha popular. Um juiz de primeira instância, sob a anuência de parte dos sistemas nacionais de comunicação de massa, em pleno abuso de autoridade, resolve confrontar publicamente a decisão de um desembargador de instância
superior, deixando mais do que evidente que não há nem haverá limites na manutenção da nova velha ordem que se estabeleceu no Brasil, onde só há espaço para abusos e violências antidemocráticas, e, pior, onde a justiça tem sido seletiva em diversos procedimentos. Reerguer os pilares do Estado Democrático de Direito é uma tarefa de todos os setores comprometidos com a democracia no Brasil”, diz a nota.

Petistas tiram pecha de golpista de Veneziano e pedem voto para socialista

Votações contra reformas e pró-investigação de Michel Temer contribuíram para fundamentar reaproximação

Veneziano e João Azevedo devem contar com a participação de Luiz Couto na majoritária. Foto: Divulgação

Nada como um dia atrás do outro, diriam os aliados do deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PSB). O parlamentar passou de golpista, ao olhos dos petistas, a companheiro e digno de voto. A moderação do discurso vem se moldando aos poucos, nos últimos dias, e ganhou impulso com a possibilidade palpável do deputado federal do PT, Luiz Couto, dividir palanque com o ex-cabeludo. Veneziano foi um dos paraibanos que votaram a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016. De lá para cá, era alvo constante dos ataques da militância petista. O clima mudou, literalmente, a ponto do presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Jackson Macedo, pedir voto para o parlamentar.

Jackson explica os motivos. Ele lembra que Veneziano votou contra todos os projetos apresentados por Michel Temer e que tiveram oposição do PT, a exemplo das reformas trabalhista e sindical. Também votou a favor da autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) investigasse o presidente no episódio em que teria negociado pagamento de propina com a JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Outro ponto colocado como justificativa para o apoio é fortalecer a pré-candidatura de João Azevedo para a disputa do governo nas eleições deste ano. O discurso será reafirmado durante o Encontro de Tática Eleitoral do partido, marcado para acontecer nesta quinta-feira (2), em João Pessoa.

“Temos que ter a compreensão da importância de estar unificados em nome do projeto de João Azevedo e votando na chapa completa. E Veneziano tem feito movimentos e gestos de aproximação a este campo, ao campo democrático e popular. Não só nas votações no Congresso, quando pós impeachment ele sinalizou e votou contra as reformas de Temer, quando votou duas vezes nas denúncias contra o presidente Michel Temer e também na Paraíba ele faz parte de um campo político liderado pelo PSB e que o PT também faz parte. Então, para nós é fundamental que nesta semana decisiva das convenções e no nosso Encontro de Tática Eleitoral, que está marcado para a próxima quinta-feira, às 19h, no Sindicato dos Bancários, o PT apoie a candidatura de Veneziano”, disse Macedo.

Coligação de PSL-PRTB-DC-SD revela monstrengo eleitoral de 2018

Grupo reunido na proporcional para eleição na Paraíba representa quatro presidenciáveis e um pré-candidato ao governo

Convenção reuniu representantes de quatro partidos que apoiam Lucélio Cartaxo. Foto: Angélica Nunes

Pode procurar um alinhamento ideológico nas coligações partidárias para este ano, ele não será encontrado com facilidade. Foi isso o que se viu durante a convenção que reuniu, na Câmara de João Pessoa, nesta segunda-feira (30), lideranças de PSL, PRTB, DC e SD. Os quatro partidos vão se coligar nas eleições para referendar chapas proporcionais. Daí sairão 70 candidatos a deputado estadual e 25 a deputado federal. No contexto estadual, a liga para a união das siglas é a pré-candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) ao governo. No plano nacional, no entanto, será cada um por si e Deus por todos.

O PSL tem Jair Bolsonaro como candidato à Presidência, da mesma forma que o PRTB vai lançar Levy Fidélix. O DC, como em todas as eleições, lançará José Maria Eymael. O SD entrou no grupo de partidos que apoia Geraldo Alckmin (PSDB), no mesmo agrupamento político integrado pelo PV de Lucélio Cartaxo. A dificuldade, sempre, é explicar a liga ideológica. PSL, PRTB, DC e SD são partidos do espectro de direita. O PV surgiu na esquerda e na paraíba terá um ex-petista como candidato. “Eu acho que a gente está partindo para uma mudança… é o novo… o diálogo… essa eleição vai ser muito diferente”, disse o vereador João Corujinha (DC).

A profusão de partidos com os mais variados matizes ideológicos reunidos em um único grupo político não é privilégio de Cartaxo. Na chapa de João Azevêdo também há uma fauna robusta de grupos dos mais diversos espectros ideológicos. Partindo do plano nacional, o PSB encara indefinição sobre alinhamento com o ex-presidente Lula (PT) ou com Ciro Gomes (PDT). Fora isso, ainda há muitos partidos da base aliada de Geraldo Alckmin (PSDB) e de Manuela D’Ávila na coligação. A mistura é tão grande que seria impossível a antiga tese de imposição de verticalização das candidaturas nos Estados.

Ao todo, 35 partidos estão aptos a inscrever candidatos para as disputas eleitorais deste ano. E ainda há vaga para mais…

PSD fica com Lucélio, mas não tem compromisso com toda a chapa

Partido nega especulações sobre convite de Ricardo Coutinho e, entre os senadores , só garante apoio a Cássio

O deputado estadual Manoel Ludgério nega contato de Ricardo Coutinho. Foto: Roberto Guedes

O PSD não vai deixar a base aliada do pré-candidato ao governo, Lucélio Cartaxo (PV). As garantias foram dadas pela presidente estadual da sigla, Eva Gouveia, e pelo deputado estadual Manoel Ludgério. A decisão foi anunciada em meio a especulações de que o governador Ricardo Coutinho (PSB) teria oferecido a vaga de vice, na chapa de João Azevêdo (PSB). O partido foi o primeiro a assegurar apoio a Cartaxo, que esteve filiado à sigla até os primeiros meses deste ano. A disposição de manter o apoio permanece a mesma.

A permanência na base aliada, no entanto, não quer dizer exatamente apoio a todas os integrantes da chapa. Ludgério diz que além de Lucélio, apenas Cássio Cunha Lima (PSDB) tem apoio garantido do partido. Não há compromisso com o segundo nome que eventualmente seja lançado na chapa as oposições. No radar dos nomes com quem os pessedistas dizem não ter compromisso estão Daniella Ribeiro (PP) e Manoel Júnior (PSC).

Aguinaldo avança nas negociações com Cartaxo e deve fechar aliança com Lucélio

Arranjo deve viabilizar candidatura de Daniella Ribeiro ao Senado, tendo Maísa Cartaxo como primeira suplente na chapa

Aguinaldo Ribeiro teve encontro com o presidente da Câmara, Marcos Vinícius, e depois com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo. Foto: Divulgação

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP) está muito perto de fechar a adesão à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) para a disputa do governo do estado. A sinalização veio após uma agenda intensa de conversas no sábado (21) e que se arrasta por este domingo (22). Primeiro ele procurou ouvir os pré-candidatos a deputado federal pela legenda. Depois se reuniu com o presidente da Câmara de João Pessoa, Marcos Vinícius (PSDB), em conversa que durou várias horas. Por fim, ligou para o advogado Rodrigo Farias e os três seguiram para uma reunião com o prefeito Luciano Cartaxo (PV), em João Pessoa, já por volta das 21h. Aliados do parlamentar dizem que a aliança depende de muito pouco agora.

A fórmula discutida tem o lançamento da deputada Daniella Ribeiro (PP) para a disputa do Senado, tendo na primeira suplência a primeira-dama de João Pessoa, Maísa Cartaxo (PV). A escolha da mulher de Luciano para a chapa foi um pedido feito por Aguinaldo Ribeiro há algumas semanas. Ela, inclusive, se licenciou do cargo na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Na época, blogs começaram a divulgar o nome dela para a disputa, em cargo a ser definido. A concepção é a de que a presença dela agrega a militância de João Pessoa na campanha da candidata progressista. Daniella, vale ressaltar, há vários meses vem trabalhando para viabilizar o nome dela na disputa. Neste meio tempo, pendeu ora para a base de oposição, onde está há vários anos, ora para a de governo.

Caso efetivamente confirme a adesão do PP, a pré-candidatura de Lucélio Cartaxo terá dez partidos na base de apoio para a disputa eleitoral. O encontro com os pré-candidatos a deputado federal ocorreu na casa do ex-deputado Domiciano Cabral, no Bessa.

PHS confirma apoio à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo

Postulante agora soma oito siglas na base aliada e trabalha para angariar outros apoios

Lucélio Cartaxo discursa durante reunião para confirmar apoio do novo partido. Foto: Divulgação

O Partido Humanista da Solidariedade (PHS) confirmou apoio nesta quinta-feira (12) à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) ao governo do Estado. A sigla chegou a ensaiar uma aproximação do senador José Maranhão (MDB), também postulante, mas desistiu. Com a chegada da nova sigla, sobe para oito o número de apoiadores do verde. As outras siglas confirmadas são PV, PSDB, PSD, SD, PRTB, DC, PTC. O anúncio ocorreu durante reunião do pré-candidato com dirigentes da sigla no Estado em um hotel na orla da capital.

“Iniciamos a nossa caminhada com um diálogo franco com a população e hoje representamos o projeto que mais cresce em todo Estado. Firmar essa aliança com o PHS mostra que estamos no melhor caminho, em sintonia com um futuro novo para a Paraíba”, avaliou, em discurso, Cartaxo.

O presidente estadual do PHS, Jedaias Nunes, referendou o nome de Lucélio como o mais preparado para governar o Estado. “Fizemos uma opção por um representante desta nova forma de fazer política, ficha limpa e comprometido com a Paraíba. Estamos certos que Lucélio chega para fazer um trabalho inovador, com resultados que irão refletir os interesses reais da população”, comentou.

Além das lideranças do PHS, estiveram ao lado de Lucélio Cartaxo o presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, o presidente estadual do PTC, Fábio José Lins, o vice-presidente do PV, Zennedy Bezerra, e o presidente estadual do PRTB, Fábio Carneiro.