70 anos da Declaração dos Direitos Humanos, 50 do AI5 e 30 da Constituição

Datas não podem ser esquecidas e precisam ser lembradas por todos os brasileiros

A deputada Luiza Erundina será uma das homenageadas com a Medalha da Liberdade. Foto: Arquivo/Agência Brasil

O ano de 2018, no Brasil, trouxe uma oportunidade para a discussão de velhos fantasmas e também de conquistas. Afinal, marca os aniversários de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, 50 anos do Ato Institucional número 5 (AI5) e 30 da Constituição de 1988. São duas datas para se comemorar e uma, negativa, para ser lembrada e nunca esquecida. A primeira foi proclamada e adotada a partir da Assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU) de 10 de dezembro de 1948. Desde então, norteou as discussões no mundo inteiro.

A data será marcada, na Paraíba, pela entrega da Medalha da Liberdade a três personalidades nesta segunda-feira (10). As contempladas serão a deputada federal Luíza Erundina (Psol-SP), a líder camponesa Elizabeth Teixeira e a vereadora Marielle Franco (in memoriam). A comenda, concedida pelo governo da Paraíba, será uma “homenagem pela luta por liberdade e democracia”. Haverá, também, a sanção da lei Escola Sem Censura, pelo governador Ricardo Coutinho (PSB). A solenidade vai acontecer no Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural. O gestor anunciou que vai aproveitar o evento para assinar atos contra a tortura.

AI5

O ponto negativo das datas lembradas neste ano é o AI5. A medida, adotada no governo militar, endureceu o regime, cassando direitos civis. As pessoas poderiam ser presas e torturadas sem o devido processo legal. No campo da política, deputados paraibanos tiveram os mandatos subtraídos, por se contraporem ao regime. A lista, lembrou o jornalista Nonato Guedes em artigo publicado nesta segunda-feira (10), inclui lideranças como Pedro Gondim, Osmar de Aquino, Vital do Rêgo, Mário Silveira e José Maranhão. Perdeu o mandato também o então perfeito de Campina Grande, Ronaldo Cunha Lima.

O aniversário do AI5 será daqui a três dias, o 13 de dezembro. Ele foi reflexo da inquietação de 1968, quando jovens do mundo todo tomaram as ruas. No Brasil, o movimento foi repelido de forma violenta. Uma violência aumentada com o endurecimento do regime, mergulhando o país em uma ditadura sangrenta. O período mais duro permaneceu até a redemocratização. Foi uma ferida que demorou a cicatrizar. Embora esse processo nunca tenha sido totalmente efetivado, foi justamente neste ano que um militar reformado conseguiu êxito eleitoral e foi eleito presidente da República.

Constituição

Outro ponto que precisamos comemorar neste ano é a Constituição Cidadã de 1988. Lógico que todos poderão reclamar de pontos da legislação aprovada naquele ano, mas coube a ela nos garantir o maior período de estabilidade democrática da história. A legislação consolidou a redemocratização e criou as bases para os parâmetros democráticos seguidos até hoje. Durante este período, foram cinco presidentes eleitos, contando Jair Bolsonaro. Houve dois impeachments que abriram espaço para outros dois presidentes (Itamar Franco e Michel Temer).

As lições estão descritas na história e elas não podem ser esquecidas.

Ibope para o Senado: Cássio tem 40%, Veneziano 34%, Couto 26% e Daniella 20%

O ex-governador Roberto Paulino aparece com 12%, seguido de Nelson Júnior com 2%. Nivaldo Mangueira não pontuou

A nova rodada de pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência, a pedido da TV Cabo Branco, verificou novamente as intenções de voto para as duas vagas que serão preenchidas pela Paraíba este ano no Senado Federal e Cássio Cunha Lima, do PSDB, vai de 41% para 40%; Veneziano (PSB) varia de 33% para 34% e Luiz Couto, do PT, cresce 4 pontos percentuais., indo de 22% para 26%. Já Daniella Ribeiro (PP) cresce de 14% para 20%; o emedebista Roberto Paulino tinha 11% e agora tem 12% das menções. Os demais candidatos oscilam dentro da margem de erro da pesquisa e têm até 2% das intenções de voto nesta rodada.

Eleitores indecisos quanto aos votos para o Senado são 16% (eram 19%) e aqueles que declaram a intenção de votar em branco ou de anular o voto para o cargo são 49% (eram 55%), dos quais 17% se referem à primeira vaga e 32% à segunda (alcançavam 22% e 33%, respectivamente, no primeiro levantamento feito pelo Ibope). Nessa pergunta, um disco com o nome dos candidatos era apresentado aos entrevistados e, considerando que nesta eleição existem duas vagas para o senado, a soma dos percentuais atinge 200%, uma vez que as pessoas têm a possibilidade de escolher dois nomes.

Pergunta: Lembrando que neste ano, a Paraíba elegerá dois SENADORES, se a eleição para Senador pela Paraíba fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria? (1º + 2º lugares) (Estimulada – %)

FICHA TÉCNICA DA PESQUISA (JOB Nº 0877-2 | 2018)
Período de campo: a pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 18 de setembro de 2018.
Tamanho da amostra: foram entrevistados 812 votantes.
Margem de erro: a margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.
Nível de confiança: o nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral.
Solicitante: pesquisa contratada por TV CABO BRANCO LTDA E TV PARAÍBA LTDA.
Registro Eleitoral: registrada no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba sob o protocolo Nº PB-08654/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo Nº BR-07454/2018.

João cresce 15 pontos, chega a 32% e está tecnicamente empatado com Zé Maranhão, que tem 28%

Lucélio Cartaxo surge em terceiro, com 19%, seguido de Tárcio Teixeira, com 2%. Rama Dantas não pontuou

 

O segundo levantamento realizado na Paraíba pelo IBOPE Inteligência, entre os dias 16 e 18 de setembro, a pedido da TV Cabo Branco e TV Paraíba, mostrou que que João Azevêdo (PSB), que tinha 17% na primeira pesquisa cresce 15 pontos percentuais e chega a 32% das intenções de voto. Enquanto isso, o emedebista Zé Maranhão, com 31% no primeiro levantamento, varia 3 pontos percentuais e atinge agora 28% das menções. Considerando a margem de erro da pesquisa de 3%, os dois candidatos aparecem empatados tecnicamente e dividem a liderança na disputa pelo Governo da Paraíba.

Lucélio Cartaxo, do PV, que tinha 18% vai a 19% nesta rodada, enquanto os demais candidatos oscilam dentro da margem e são citados por até 2% das intenções de voto. Eleitores paraibanos que tem a intenção de votar em branco ou de anular o voto são 15% (eram 23%) e os que não sabem ou não respondem caem de 8% para 4%. Nesta pergunta, um disco com os nomes dos candidatos é apresentado aos entrevistados.

Pergunta: Se a eleição para Governador da Paraíba fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria? (Estimulada – %)

Falando somente desta rodada, João se destaca principalmente entre os eleitores que declaram outras religiões que não a católica ou a evangélica, segmento em que suas intenções de voto vão a 41% e se observa que suas intenções de voto aumentam quanto mais jovem for o entrevistado (tem 27% entre os mais velhos e 38% entre quem tem de 16 a 24 anos).

Analisando as duas rodadas de modo comparativo, João apresenta crescimento em praticamente todos os segmentos, valendo destacar o crescimento de 27 pontos percentuais entre aqueles que declaram outras religiões que não a católica ou a evangélica (de 14% para 41%). Cresce 21 pontos percentuais entre os eleitores com Ensino Médio, indo de 16% para 37%, mesmo crescimento apresentado entre os eleitores evangélicos, onde tinha 15% e vai a 36%. Ainda, é possível observar crescimento de 19 p.p. entre os eleitores mais jovens (tinha 19% e vai a 38%) e de 18 pontos percentuais entre os eleitores que residem em outros municípios que não a capital do Estado.

Nesta rodada, especificamente, Zé Maranhão tem menções mais acentuadas entre os menos escolarizados, segmento em que alcança 35% das intenções de voto e entre os mais velhos, onde tem 34% das menções. Comparando as duas rodadas, Zé Maranhão cresce 7 pontos percentuais entre os mais velhos, indo de 27% para 34% das intenções de voto, porém cai 6 pontos percentuais em três segmentos: mais jovens (de 35% para 29%); entre os eleitores com idades entre 35 a 44 anos (tinha 31% e agora tem 25%) e entre os evangélicos, onde vai de 25% para 19%.

Neste levantamento, Cartaxo tem intenções de voto mais expressivas, entre os moradores da capital do estado, segmento no qual alcança 32% e entre os evangélicos, onde tem 24% das menções. Analisando comparativamente as duas pesquisas, cresce 9 pontos percentuais entre aqueles com 45 a 54 anos (tinha 13% e vai a 22%), porém cai 8 p.p. entre aqueles que declaram outras religiões que não a católica ou a evangélica, indo de 18% para 10% das citações e tem queda de 6 p.p entre os mais velhos, onde varia de 19% para 13%.

Segundo turno

No cenário para segundo turno, o candidato do PSB, João Azevêdo, leva vantagem sobre os outros candidatos na corrida eleitoral. Confira o quadro:

FICHA TÉCNICA DA PESQUISA (JOB Nº 0877-2 | 2018)
Período de campo: a pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 18 de setembro de 2018.
Tamanho da amostra: foram entrevistados 812 votantes.
Margem de erro: a margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.
Nível de confiança: o nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral.
Solicitante: pesquisa contratada por TV CABO BRANCO LTDA E TV PARAÍBA LTDA.
Registro Eleitoral: registrada no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba sob o protocolo Nº PB-08654/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo Nº BR-07454/2018.

 

 

TV Cabo Branco divulga números da pesquisa Ibope nesta quarta-feira

A sondagem apresentará o cenário da disputa para os cargos de governador e senador

João Azevêdo, Lucélio Cartaxo, Tárcio Teixeira, José Maranhão e Rama Dantas serão os candidatos ao governo. Foto: Montagem

A TV Cabo Branco divulgará nesta quarta-feira (19), no JPB 2ª Edição, os números da segunda pesquisa Ibope para as eleições deste ano, na Paraíba. Foi aferida a preferência do eleitorado em relação à disputa para os cargos de governador e senador. A primeira consulta foi publicada no dia 24 de agosto. Ao todo, cinco nomes disputam o governo do Estado e sete as duas vagas do Senado. Os candidatos ao governo são, por ordem alfabética, João Azevêdo (PSB), José Maranhão (MDB), Lucélio Cartaxo (PV), Rama Dantas (PSTU) e Tárcio Teixeira (Psol). Para o Senado, os postulantes são Cássio Cunha Lima (PSDB), Daniella Ribeiro (PP), Nelson Júnior (Psol), Nivaldo Mangueira (Psol), Luiz Couto (PT), Roberto Paulino (MDB) e Veneziano Vital do Rêgo (PSB).

Paraíba tem 47 candidatos ‘inaptos’ para a disputa das eleições. Veja lista

Relação divulgada pela Justiça Eleitoral inclui candidaturas indeferidas e renúncias

O caminho para mudar é através do voto. Foto: Divulgação/TSE

Dos 622 candidatos que colocaram o nome à disposição dos partidos para disputar as eleições, neste ano, 47 deles já foram descartados pela Justiça Eleitoral. A lista inclui os postulantes que tiveram o registro indeferido e os que, pelos mais diversos motivos, desistiram das eleições. O número de “rejeitados” ainda pode subir, porque cinco registros foram indeferidos e os postulantes recorreram. Há ainda os casos de 64 outros cujo registro ainda estão na fila de julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Os casos precisam ser apreciados para que os nomes possam constar nas urnas.

PartidoNome do candidatoNome do candidato (urna)CargoSituação da candidaturaDetalhe situação candidatura
PSDBWILLAMS CORREIA PESSOAWILLAMS CORREIADeputado EstadualInaptoIndeferido
PPSALCELINA BERNARDO DOS SANTOSALCELINADeputado EstadualInaptoIndeferido
PROSWELLITON CARLOS ALENCAR DE SOUZAWELLITON CARLOSDeputado FederalInaptoIndeferido
PSBEVANILDO DO NASCIMENTO CARVALHOCARVALHODeputado EstadualInaptoIndeferido
DEMVALDIVAM GOMES COSTAVALDIVAN COSTADeputado EstadualInaptoIndeferido
AVANTEVALDILENE QUEIROZ DE LIMAVALDILENEDeputado EstadualInaptoIndeferido
PPSSONNALY ANDRADE XAVIERSONNALYDeputado FederalInaptoIndeferido
AVANTEROZELITA DOS SANTOS DA SILVAROZELITADeputado FederalInaptoIndeferido
PSOLROSALIA BARBOSA DOS SANTOSROSÁLIA BARBOSADeputado FederalInaptoIndeferido
REDERONALDO LUIZ DA SILVARONALDO LUIZDeputado FederalInaptoIndeferido
AVANTEDAYANNY CASSIANO DE ARAÚJODAYANNY ARAUJODeputado EstadualInaptoIndeferido
DEMALINE AGUIAR FEITOSA SANTANAALINE SANTANADeputado EstadualInaptoIndeferido
AVANTEADAILTO BARROS DE SOUZAADAILTO BARROSDeputado FederalInaptoIndeferido
REDEALMIR ALVES DE LIMA MELOALMIR MELODeputado EstadualInaptoIndeferido
PTFABIANA VELOSO DOS SANTOSFABIANA VELOSODeputado EstadualInaptoIndeferido
PC do BARIANE KETHELLY PEREIRA DA SILVAARIANE KETHELLYDeputado EstadualInaptoIndeferido
PTBINALDO LIMA DA SILVAINALDO LIMADeputado EstadualInaptoIndeferido
PATRIBALDUÍNO CLEMENTINO NETOBALDUINODeputado EstadualInaptoIndeferido
PDTJOÃO SOARES DE SANTANACORONEL SOARESDeputado EstadualInaptoIndeferido
PMNJORGE LUIS BARBOSAJORGE LUISDeputado EstadualInaptoIndeferido
PSCJOSÉ DO NASCIMENTO SILVAZÉ BONITINHODeputado EstadualInaptoIndeferido
PTBJOSE GERALDO CARNEIROGERALDO CARNEIRODeputado EstadualInaptoIndeferido
PPSJOSEANE SOARES DA SILVAJOSEANEDeputado EstadualInaptoIndeferido
PDTMARIA NAZARÉ MARTINSNAZARÉ MARTINSDeputado EstadualInaptoIndeferido
PPJULAMEK DA SILVA MARIANOJULAMEK SILVADeputado EstadualInaptoIndeferido
PSBLIBORIO LACERDA DOS SANTOSLIBÓRIO LACERDADeputado EstadualInaptoIndeferido
PPSLINDEMBERGUE VIRGINIO DO NASCIMENTOLINDEMBERGUEDeputado EstadualInaptoIndeferido
PATRILUAR LACERDA SANTOSLUAR LACERDADeputado EstadualInaptoIndeferido
PROSLUIZ EDUARDO MONTENEGRO BENTO DE SOUZALULA CABRALDeputado FederalInaptoIndeferido
PSDBARÔNCIO DE CASTRO LUCENA JÚNIORBARA LUCENADeputado EstadualInaptoIndeferido
PPSMARIA CAMPOS DE LACERDAMARIA LACERDADeputado EstadualInaptoIndeferido
PTMARIA DAS NEVES ANDRADE DA SILVANEVESDeputado EstadualInaptoIndeferido
PSOLMARIA MARTALUCIA AIRES CAVALCANTEMARTA AIRESDeputado FederalInaptoIndeferido
PSLWASHINGTON JOÃO DOS SANTOSWASHINGTON GÁSDeputado EstadualInaptoRenúncia
PTBJOSINATO GOMES PROCÓPIOJOSINATO GOMESDeputado FederalInaptoRenúncia
PVMARCO ANTONIO CARTAXO QUEIROGA LOPESMARCO ANTONIO CARTAXODeputado FederalInaptoRenúncia
PSDIVONETE ALMEIDA DE ANDRADE LUDGÉRIOIVONETE LUDGÉRIODeputado FederalInaptoRenúncia
PSCRAUDILENE SILVEIRA PEREIRA LACERDARAUDILENEDeputado EstadualInaptoRenúncia
MDBPEDRO JORGE COUTINHO GUERRAPEDRO COUTINHODeputado EstadualInaptoRenúncia
PRTBMONACI MARQUES DANTASMONACI MARQUESDeputado EstadualInaptoRenúncia
PSCMERY ILANI CUNHA DA SILVALANEDeputado EstadualInaptoRenúncia
PPANTONIO NOSMAN BARREIRO PAULONOSMAN BARREIRODeputado FederalInaptoRenúncia
AVANTEAMÉRICO MARCONE CABRAL DE LIRADR AMERICODeputado EstadualInaptoRenúncia
MDBFRANCISCO CARLOS FIRMINO DE SOUSAFRANCISCO FIRMINODeputado EstadualInaptoRenúncia
PSDBCRIMILDE DE MEDEIROS MAGLIANOCRIMILDE MAGLIANODeputado EstadualInaptoRenúncia
MDBCELSO ALVES DE LIMACELSO ALVESSenador 2º SuplenteInaptoRenúncia
SOLIDARIEDADECARLA ADRIANA MACÊDO LIRACARLA ADRIANADeputado EstadualInaptoRenúncia

Esta segunda-feira (17) foi o último dia para que os partidos efetuassem a substituição de candidatos. Na Paraíba, o primeiro suplente de Veneziano Vital do Rêgo (PSB), na disputa pelo Senado, foi substituído. Saiu João Teodoro (DEM) para a entrada do ex-senador Ney Suassuna (PRB). Todos os candidatos ao governo da Paraíba tiveram o registro de candidatura deferidos. Com isso, vão para a disputa João Azevêdo (PSB), José Maranhão (MDB), Lucélio Cartaxo (PV), Rama Dantas (PSTU) e Tárcio Teixeira (Psol). Dos candidatos ao Senado, apenas Roberto Paulino (MDB) espera pelo julgamento do registro.

Estão confirmados para a disputa do Senado Cássio Cunha Lima (PSDB), Daniella Ribeiro (PP), Luiz Couto (PT), Nelson Júnior (Psol), Nivaldo Mangueira (Psol) e Veneziano Vital do Rêgo (PSB).

Nacional

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fechou na noite desta segunda-feira o Sistema de Registro de Candidaturas (Cand) relativo aos candidatos a presidente e vice-presidente da República que disputarão as eleições de outubro. Com isso, os dados foram gerados para que sejam inseridos nas urnas pelos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), que são os responsáveis pela carga das máquinas. As eleições de outubro terão 13 candidatos a presidente da República: Álvaro Dias, Cabo Daciolo, Ciro Gomes, Eymael, Fernando Haddad, Geraldo Alckmin, Guilherme Boulos, Henrique Meirelles, Jair Bolsonaro, João Amoêdo, João Goulart Filho, Marina Silva e Vera Lúcia.

O candidato Fernando Haddad, da Coligação O Povo Feliz de Novo (PT/PC do B/PROS), e sua candidata a vice, Manuela D’Ávila, foram atestados como aptos a terem seus nomes inseridos nas urnas, a despeito de estar pendente de julgamento o registro de candidatura da chapa. A circunstância decorre do fato de disputarem o pleito em substituição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que teve o registro indeferido. O prazo para impugnação do registro da chapa se encerra nesta terça-feira (18), às 23h59. Até o momento, não houve impugnações.

De acordo com o coordenador de Sistemas Eleitorais do TSE, José Melo, agora todos os 27 TREs terão de fazer o mesmo procedimento e fechar o Cand com relação aos candidatos a deputado federal, estadual e distrital, senador e governador. Não há um prazo legal para isso, mas a pressa tem a ver com a logística de distribuição das urnas. O TRE do Distrito Federal, por exemplo, tem pressa porque é o responsável por enviar as urnas que serão utilizadas no exterior. Nos TREs do Amazonas e do Pará, por sua vez, a pressa é necessária em razão do transporte das urnas para localidades isoladas, o que demanda tempo.

Participaram do fechamento do Cand o secretário-geral do TSE, Estêvão Waterloo; o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino; e o secretário Judiciário, Fernando Maciel de Alencastro.

Quase 500 mil eleitores paraibanos não são obrigados a votar

De acordo com a Constituição, o voto de jovens de 16 e 17 anos e maiores de 70 anos é facultativo

Cerca de 20 milhões de pessoas em todo o País não teriam a obrigação de votar nas eleições de outubro, mas fizeram questão de se habilitar para comparecer às urnas. São jovens com 16 e 17 anos, idosos com mais de 70 anos e analfabetos. Mas o engajamento desses grupos nas eleições deste ano varia muito.

Só de paraibanos, o número de eleitores não obrigados a votar é de 476.596 pessoas. São 16.745 com 16 anos de idade, 32.474 com 17 anos, 156.651 maiores de 70 anos, 51.271 maiores de 79 anos e 219.455 analfabetos. A Paraíba tem 2,8 milhões de eleitores e o percentual de pessoas não obrigadas a votar é de 16% do total.

Menos jovens
No segmento de jovens de 16 e 17 anos, por exemplo, houve uma redução de quase 15% em relação às eleições de 2014. Hoje eles são 1,4 milhão eleitores, 1,3% do total.

O cientista político Leonardo Barreto diz que, na maioria das vezes, os jovens são recrutados como militantes pelos partidos. Contraditoriamente, não há projetos para eles.

“A agenda para juventude, de uma maneira geral, ela é periférica. Muitas vezes vem associada a questões de segurança, educação, mas ela não tem um apelo, uma linguagem ou um foco forte na figura dos jovens. Talvez esse seja o principal motivo pelo qual eles não se mobilizam”, avalia Barreto. “E pelo fato de não estarem mobilizados, perdem bastante da sua capacidade de decisão”, acrescenta o cientista político.

Mais velhos
Já o número de eleitores com mais de 70 aumentou 11% em relação a 2104. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 12 milhões de pessoas nessa faixa etária estão aptas a votar em 2018.

Os idosos têm preferência no dia de votação se a fila na sessão eleitoral estiver muito grande.

Como qualquer cidadão, eles podem levar uma “cola” com os nomes e os números dos candidatos de sua preferência. Mas não é permitido entrar na cabine de votação acompanhado para ter ajuda no uso da urna eletrônica.

O assessor de Comunicação do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, Fernando Veloso, lembra que a urna é inviolável, e isso vale também para o idoso.

“Em princípio, ele deve votar sozinho. Caso ele tenha algum tipo de dúvida, ele vai receber orientação do mesário, mas no momento da votação ele deve fazer isso de forma individual.”

Os analfabetos não podem se candidatar às eleições, mas podem votar. Pelos dados do TSE, eles são 6,5 milhões em 2018, correspondendo a 4,46% do total de eleitores no Brasil.

Da Agência Câmara Notícias

Veja os candidatos paraibanos que mais elevaram patrimônio em 4 anos

Levantamento colhido no aplicativo “Capital dos Candidatos” está disponibilizado no site www.eufiscal.org

Postulantes são obrigados a declarar a elevação do patrimônio no ato do registro da candidatura. Foto: Walter Paparazzo/G1

O candidato a deputado federal nas eleições deste ano, Dr Djalma (Avante), não deve sentir inveja dos candidatos eleitos em 2014. Na época, ele disputou uma vaga de deputado estadual. Conquistou exatos 8.897 votos. Não foi, lógico, o suficiente para ele conquistar a vaga na Assembleia Legislativa. Os anos longe da política, no entanto, fizeram bem às finanças do médico. De 2014 para este ano, ele declarou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) uma elevação de R$ 7,2 milhões no patrimônio pessoal. Todos os postulantes são obrigados a detalhar a declaração de bens na hora de registrar a candidatura.

Uns ficam mais ricos, outros declaram ter perdido capital e se tornado mais pobres. O caso prático é o do deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP), líder do governo de Michel Temer (MDB) na Câmara dos Deputados. O patrimônio declarado por ele foi reduzido de R$ 5,8 milhões para R$ 1,4 milhão. Outro que declarou redução do patrimônio foi o senador José Maranhão, que disputa as eleições para o governo no pleito atual. Ele declarou um patrimônio R$ 800 mil menor que o de quatro anos antes. O ponto negativo nas eleições deste ano é que a transparência nos dados fornecidos foi reduzida.

Confira abaixo o montante da elevação do patrimônio dos postulantes, de acordo com o declarado por eles:

Deputados estaduais

Doda de Tião (PTB): R$ 3,9 milhões (aumentou)
Renato Gadelha (PSC): R$ 1,5 milhão (aumentou)
Dr Américo (Avante): R$ 1,4 milhão (aumentou)
Caio Roberto (PTB): R$ 1,4 milhão (aumentou)
Branco Mendes (Podemos): R$ 858,8 mil (aumentou)

Deputados Federais

Dr Djalma (Avante): R$ 7,2 milhões (aumentou)
Wellington Roberto (PTB): R$ 1,2 milhão (aumentou)
Tatiana Medeiros (MDB): R$ 1 milhão (aumentou)
Guilherme Almeida (PP): R$ 815,1 mil (aumentou)
Frei Anastácio (PT): R$ 661,8 mil (aumentou)

Senador

Veneziano (PSB): R$ 447,4 mil (aumentou)
Roberto Paulino (MDB): 223,9 mil (aumentou)
Cássio Cunha Lima (PSDB): R$ 18,3 mil (aumentou)
Daniella Ribeiro (PP): 13,4 mil (aumentou)
Professor Nelson Júnior (Psol): – R$ 3 mil (diminuiu)
Luiz Couto (PT): – R$ 2,8 mil (diminuiu)
Nivaldo Mangueira (Psol): não disputou eleição em 2014

Governadores

Lucélio Cartaxo (PV): R$ 156 mil (aumentou)

. 2014: 590,9 mil
. 2018: 746,9 mil

José Maranhão (MDB): – R$ 800 mil (diminuiu)

. 2014: R$ 8,8 milhões
. 2018: R$ 8 milhões

Tárcio Teixeira (Psol): R$ 46,2 mil (aumentou)
. 2014: R$ 252,9 mil
. 2018: R$ 299,1 mil

Rama Dantas (PSTU): patrimônio permanece o mesmo

. 2014: R$ 8 mil
. 2018: R$ 8 mil

João Azevêdo (PSB): não disputou eleição em 2014
. 2014: não disputou
. 2018: R$ 1 milhão

Lígia Feliciano retira candidatura e será vice na chapa de João Azevêdo

Pedetista era cortejada por lideranças da oposição e trabalhava para ser a candidata governista em faixa própria

João Azevêdo oficializou o nome de Lígia Feliciano na chapa após reunião na noite desta sexta-feira. Foto: Divulgação/PSB

Deu o esperado. A vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) retirou a postulação ao Palácio da Redenção e será a candidata a vice na chapa do pré-candidato do PSB ao Governo da Paraíba, João Azevêdo. O anúncio foi feito, na noite desta sexta-feira (3). A pedetista será apresentada, oficialmente, neste sábado (3), durante a convenção estadual da legenda socialista, que homologará ainda as candidaturas dos deputados federais Veneziano Vital do Rêgo (PSB) e Luiz Couto ao Senado Federal. Lígia tentava construir uma candidatura ao governo em faixa própria, se inserindo como candidata de continuidade do governo de Ricardo Coutinho (PSB). Ela, no entanto, não conseguiu viabilizar a proposta.

A definição do nome de Lígia como vice de João aconteceu durante reunião que contou, ainda, com a participação do governador Ricardo Coutinho, do deputado federal Damião Feliciano (PDT) e do presidente estadual do PSB na Paraíba, Edvaldo Rosas. Além de anunciar Lígia como sua vice, João Azevêdo revelou que a pedetista coordenará a campanha da chapa na cidade de Campina Grande. “Vamos contar com o trabalho e dedicação de Lígia na nossa chapa e na coordenação da campanha em Campina Grande, cidade em que ele tem inúmeros serviços prestados”, disse. No dia anterior, o governador Ricardo Coutinho tinha se referido a Lígia e ao PDT como aliados, lembrando que nunca ouviu críticas dela ou de Damião ao governo.

Luiz Couto (E) e Veneziano Vital do Rêgo (D) foram escolhidos anteriormente para ocupar as vagas para a disputa do Senado. Foto: Divlgação/PSB

Sucesso

João Azevêdo destacou que, ao longo dos últimos quatros em que esteve exercendo o cargo de vice-governadora, Lígia Feliciano contribuiu de forma decisiva para o sucesso da gestão do governador Ricardo Coutinho. “Não tenho a menor dúvida do sucesso da nossa chapa. A Paraíba vai optar por dar continuidade ao projeto que tem mudado, para melhor, a face deste Estado; agora com João, Lígia, Veneziano e Luiz Couto”, enfatizou. Já a vice-governadora Lígia Feliciano destacou a parceria firmada com o governador Ricardo Coutinho, em 2014. “Agora com João, vamos dar sequência a esse trabalho reconhecidamente aprovado pela população paraibana”, pontou.

Convenção

O Partido Socialista Brasileiro realiza, neste sábado (4), a convenção estadual para homologar o nome de João Azevêdo como candidato a governador da Paraíba nestas eleições. Além dele, o partido apresentará a chapa majoritária socialista e referendar os deputados federais Veneziano Vital do Rêgo (PSB) e Luiz Couto (PT) como candidatos ao Senado na composição girassol.

O evento, que acontece a partir das 14h, na casa de shows Forrock, contará com a participação do presidente de honra do PSB, Ricardo Coutinho, e de caravanas dos 223 municípios paraibanos, que querem a continuidade da gestão que revolucionou a forma de se fazer política no Estado.

De acordo com o presidente do PSB, Edvaldo Rosas, a legenda e os partidos aliados estão trabalhando para realizar um grande ato político em prol das pré-candidaturas majoritárias e dos postulantes a mandatos na Assembleia Legislativa da Paraíba e Câmara dos Deputados.

“Estamos ultimando os detalhes da nossa convenção, já que é um evento que está sendo organizado a várias mãos. A cada minuto, recebemos confirmações da vinda de caravanas de todas as partes do Estado”, destacou Edvaldo Rosas.

Com informações de Josusmar Barbosa, do jornaldaparaiba.com.br

Com o não de Ciro Gomes, petistas tentam Manuela para vice de Lula

Proposta será formalizada em reunião nesta sexta-feira e esperança do PT é que o PCdoB retire candidatura a presidente

Manuela D’Ávila durante evento de pré-campanha realizado em João Pessoa. Foto: Reprodução/Twitter

A pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, Manuela D’Ávila (PCdoB-RS), é o novo alvo dos petistas para a disputa eleitoral deste ano. Uma reunião solicitada pela presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), servirá para a formalização do convite, nesta sexta-feira (3). Aos dirigentes da sigla comunista, com autorização do ex-presidente Lula, os dirigentes petistas pedirão que Manuela retire sua candidatura e dispute o pleito na vaga de vice do ex-presidente. O convite está sendo formulado depois da frustrada tentativa de convencer o presidenciável Ciro Gomes (PDT) a assumir a suplência na disputa. Com o movimento, os petistas completam o isolamento do pedetista.

A possibilidade de deixar a disputa foi reconhecida por Manuela D’Ávila durante palestra em João Pessoa, na semana passada. Ela defendeu a criação de uma frente de esquerda e disse que, para isso, não se oporia a uma eventual retirada da candidatura dela. O ex-presidente Lula está preso há mais de 100 dias por causa da condenação no caso do tríplex do Guarujá, no litoral paulista. Ele foi condenado pelo juiz Sérgio Moro sob acusação de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Os petistas vão fazer a inscrição da chapa mesmo assim, apesar da condenação do ex-presidente também na segunda instância. A confirmação da condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região faz com que o postulante corra o risco de ser alcançado pela Lei Ficha Limpa.

O PCdoB é o segundo partido que os petistas tiram do radar de Ciro Gomes nas eleições deste ano. O primeiro foi o PSB, em um movimento que gerou grande divisão dentro do partido em vários estados. Em Pernambuco, por exemplo, os petistas retiraram a candidatura de Marília Arraes ao governo do Estado. A medida foi para beneficiar a reeleição do governador Paulo Câmara (PSB). Em contrapartida, em Minas Gerais, a operação seguiu no caminho de retirada da candidatura do socialista Márcio Lacerda, para que o partido apoie a reeleição do governador Fernando Pimentel (PT). Caso o PCdoB atenda ao pedido de Lula, a retirada da candidatura de Manuela D’Ávila, aprovada em convenção na última quarta-feira (1°), será retirada.