Manoel Júnior inicia movimento para “sufocar” dissidência no PMDB

Manoel Júnior (D) posa para fotos ao lado de Ricardo Marcelo. Foto: Divulgação

O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PMDB), deu início a um movimento forte de busca de apoios para tentar sufocar as lideranças dissidentes dentro do partido. O peemedebista quer evitar o crescimento do movimento interno que visa levar a sigla para a base de apoio ao governador Ricardo Coutinho (PSB) e, com isso, para a composição que visa a sucessão do socialista. O gestor trabalha para garantir que o seu partido apoie uma eventual disputa ao governo pelo prefeito Luciano Cartaxo (PSD), em 2018, abrindo espaço para que ele assuma a titularidade no cargo.

Júnior, dentro deste contexto, se reuniu na semana passada com o senador José Maranhão, presidente estadual do partido, e com o suplente de senador Roosevelt Vita. O cardápio, durante o almoço, foi a política de alianças para a disputa eleitoral de 2018. O movimento foi complementado na última segunda-feira (13), quando ele se encontrou com o deputado estadual Ricardo Marcelo. O parlamentar é um antigo adversário do governador Ricardo Coutinho, mas vem recebendo assédio de aliados para que ele reforce a dissidência interna no partido.

O movimento de Manoel Júnior ocorre paralelo à cobrança do deputado federal Venziano Vital do Rêgo por uma nova reunião da executiva do partido, para iniciar a discussão sobre as alianças. Veneziano engrossa o coro dos peemedebistas alinhados com o governador. Ele recebeu de Maranhão a promessa de que o encontro ocorrerá após o Carnaval, mas sem data fixa. São a favor de uma discussão mais ampla em relação a 2018 os deputados estaduais Nabor Wanderley e Raniery Paulino, além do deputado federal Hugo Motta e do senador Raimundo Lira.

 

Os parlamentares dissidentes, vale ressaltar, tentaram uma composição alinhada com o governador, em 2016, mas foram vendidos no embate interno. Entre as exigências para o apoio em Campina Grande e Patos, por exemplo, Ricardo Coutinho cobrava a saída de Manoel Júnior da disputa em João Pessoa. Não houve acordo.

Superintendente da Caixa alerta sobre falsos sites de consulta ao FGTS

Marcus Vinícius é o atual superintendente da Caixa Econômica. Foto: Divulgação/Secom-PB

O superintendente da Caixa Econômica Federal, na Paraíba, Marcus Vinícius, vem alertando a população para o risco oferecido por falsos sites e aplicativos que prometem acesso direto aos saldos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Muitos usuários têm apresentado dúvidas sobre e-mails enviados com promessas de facilitar o acesso ao crédito e, inclusive, oferecendo premiação para quem fizer o acesso através deles. Durante entrevista à CBN João Pessoa, o dirigente desaconselhou o acesso através de sites e aplicativos “alternativos”.

A recomendação de Marcus Vinícius é que as pessoas façam a consulta exclusivamente através do site oficial da Caixa Econômica, pelo endereço www.caixa.gov/contasinativas. Há riscos para os usuários de, ao entrar no programa ou baixarem os aplicativos sugeridos, baixar também vírus no computador ou celular utilizado para a consulta. “A Caixa é um banco público oficial e não faz determinados tipos de utilização para que o cidadão ganhe prêmios ao fazer uma consulta”, ressaltou.

Vinícius também sugeriu que as pessoas fiquem atentas ao calendário para o recebimento e explicou que 45 agências vão funcionar em horário especial, abrindo duas horas mais cedo, desta quarta até sexta-feira (15, 16 e 17). Além disso, no sábado, seis agências bancárias da Caixa estarão com as portas abertas das 9h às 15h. A oportunidade será para que os usuários saibam se têm ou não dinheiro disponível para saque nas contas inativas do FGTS. O alerta feito pelo superintendente da Caixa é que quem consultar no site, não precisa ir á agência. A informação é única.

Calendário

Os saques serão realizados entre 10 de março e 14 de julho. Para reforçar os atendimentos, a Caixa vai abrir as agências também nos primeiros sábados dos cronogramas mensais de pagamento (com exceção de abril, mês que a data coincide com a Semana Santa). As datas serão 18 de fevereiro, 11 de março, 13 de maio, 17 de junho e 15 de julho. Os beneficiários também podem acessar o aplicativo FGTS para saber se têm saldo em contas inativas, mas é necessário lembrar que os saques só podem ser feitos em contas que foram desativadas até 31 de dezembro de 2015.

Os beneficiários terão quatro opções para recebimento dos valores. Quem tem conta-corrente na Caixa poderá pedir o recebimento do crédito em conta pela internet. Não há restrição de valores. Para quem tem poupança, o crédito em conta será feito automaticamente. O saque também pode ser feito em caixas eletrônicos, desde que o valor não ultrapasse R$ 3 mil. Para valores até R$ 1,5 mil, é possível sacar o benefício apenas com a senha do Cartão do Cidadão. Para créditos até R$ 3 mil, o saque no caixa eletrônico deve ser feito com o Cartão do Cidadão e a respectiva senha.

Ricardo participa de reunião de governadores no Senado

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, recebe os governadores dos estados nesta quarta-feira (15) em audiência marcada para as 15h. Na pauta estão questões como as crises financeira e de segurança enfrentadas pelos governos estaduais, que serão discutidas pela manhã no fórum de governadores organizado pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg.

Até a noite desta terça-feira (14) já estavam confirmadas a presenças da governadora Suely Campos (RR) e dos governadores Beto Richa (PR), Confúcio Moura (RO), Fernando Pimentel (MG), Geraldo Alckmin (SP), Jackson Barreto (SE), José Ivo Sartori (RS), Luiz Fernando Pezão (RJ), Marcelo Miranda (TO), Marconi Perillo (GO), Paulo Câmara (PE), Paulo Hartung (ES), Pedro Taques (MT), Raimundo Colombo (SC), Reinaldo Azambuja (MS), Ricardo Coutinho (PB), Robinson Faria (RN), Rodrigo Rollemberg (DF), Simão Jatene (PA), Tião Viana (AC), Waldez Góes (AP), Wellington Dias (PI).

Da Agência Senado

 

Menos de dois meses após ser entregue, viaduto do Geisel já passa por reforma

Fotos: Reprodução/Facebook

Entregue com grande pompa em dezembro, pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), o viaduto do Geisel, ou Eduardo Campos, já começa a apresentar problemas. O governo do Estado tem feito recapeamento no asfalto em áreas que dão acesso ao empreendimento, apontado pelo gestor como vital para resolver o gargalo do trânsito na BR-230, na altura dos bairros do Geisel e Cristo Redentor. As queixas de motoristas já começam a circular nas redes sociais. A obra, no ano passado, virou alvo de um cabo de guerra entre governo e oposição. Esta última acusada de articular com o governo federal a suspensão dos repasses de recursos para a conclusão dos trabalhos.

O viaduto custou R$ 38,9 milhões aos cofres públicos e motivo de orgulho dos socialistas, que a usam como referência para acusar o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSB), de lento, por apenas nesta semana estar entregando parte da ponte na Avenida Beira Rio. A inauguração do Viaduto do Geisel foi feita com show do cantor e compositor paraibano Chico César, que ganhou notoriedade dias antes por criticar o nome do viaduto. A via interliga os bairros das zonas Sul e Sudeste da capital paraibana.

A obra possui 1,75 km de extensão na parte superior, e 9 km, se somadas as quatro alças e os desvios construídos com o objetivo de adequar as interseções com a BR-230. A liberação das vias da obra foi feita em três etapas. O primeiro trecho foi liberado em julho deste ano, o segundo em setembro e o último no início de dezembro.

Com a palavra, a Secretaria de Infraestrutura, Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia.

 

 

Hackfest contará com experiências da ONU na área de cidadania

Reunião no Ministério Público da Paraíba tratou sobre a nova edição do evento. Foto: Suetoni Souto Maior

As experiências acumuladas pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) vão ser compartilhadas com os organizadores do ‘Hackfest de Combate à Corrupção’. A parceria entre a instituição ligada à Organização das Nações Unidas (ONU) e o grupo responsável pelo evento (Ministério Público da Paraíba, Rede Paraíba de Comunicação e Universidade Federal de Campina Grande) foi acertada durante encontro na tarde desta terça-feira (14), na sede do Ministério Público. O know how da instituição será apresentado para os programadores que vão participar do evento, com o objetivo de municiá-los com informações voltadas para a área de cidadania.

O hackfest é uma maratona de programação na qual hackers se reúnem por longos períodos, com o objetivo de explorar dados abertos, desvendar códigos e sistemas lógicos, além de discutir novas ideias e desenvolver projetos de software ou até mesmo de hardware. Tudo isso para disponibilizar ferramentas para que a população possa fiscalizar a aplicação do dinheiro público. A próxima edição do Hackfest vai ocorrer entre os dias 9 e 11 de junho deste ano, no Espaço Cultural, e terá abrangência nacional. Será, também, mais ampla que as anteriores, com espaço para iniciativas como a Feira contra a Corrupção, Mostra de Cinema, Palestras e Oficinas, além de Food Trucks, Teatro Infantil e Contação de Histórias.

O Hackfest conta desde a sua primeira edição (esta é a terceira) com o apoio do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União (CGU) e, neste ano, contará com apoio também do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê). O acordo de intenções para o apoio do Pnud foi acertado em reunião com a participação do diretor do Pnud no Brasil, Didier Trebucq; a residente assistente Maristela Baioni; o assessor sênior Haroldo Machado; a oficial de Programa do Pnud, Leva Lazareviciute; e a analista Inalda Beder. No encontro, os coordenadores do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da CGU, Octávio Paulo Neto e Gabriel Aragão, respectivamente, fizeram explanações sobre as edições anteriores do evento e o que está sendo planejado para a nova edição.

Sustentabilidade

Durante o encontro, Didier Trebucq ressaltou que o Pnud tem o objetivo de firmar uma ampla aliança para concretizar os objetivos de sustentabilidade. E foi isso que trouxe os representantes da instituição à Paraíba, onde eles participaram de encontros com representantes da Assembleia Legislativa e do governo do Estado. Para ele, o Hackfest se enquadra no objetivo 16, entre os Objetivos do Milênio. Justamente o que trata de “Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis”.

“Creio que o ingresso da ONU, por meio do Pnud, no hackfest revela a convergência da iniciativa com alguns pontos para o desenvolvimento sustentável, entre os quais a cidadania responsável, por meio da efetiva participação das coisas e negócios públicos”, ressaltou o coordenador do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPPB, Octávio Paulo Neto. Ele acrescentou ainda que o evento é uma grande conjunção de saberes e propósitos, todos direcionados para uma melhor compreensão de nosso papel na sociedade. “Sempre no viés do exercício da cidadania consciente”, acrescentou.

Já o coordenador da CGU, na Paraíba, Gabriel Aragão, ressaltou a conexão cidadã pretendida pelo Hackfest, não apenas pensando no municiamento da população com informações que possam subsidiá-la na fiscalização da aplicação do dinheiro público, mas também pensar em estratégias de comunicação para popularizar o projeto. As ferramentas desenvolvidas durante o Hackfest são disponibilizadas para a população no site www.eufiscal.org.

Ricardo dá mostras de que não confia na vice-governadora

O governador Ricardo Coutinho (PSB) tem dado todas as provas de que não confia na vice-governadora Lígia Feliciano (PDT). Cotado para disputar uma das vagas no Senado, no pleito de 2018, ele deixa claro que poderá permanecer no cargo até o último dia do seu governo. As declarações de Coutinho que desagradam a pedetista vêm se multiplicando nos últimos meses, a ponto de ela demonstrar desconforto em alguns eventos. A desconfiança vem das pretensões eleitorais de Lígia, que trabalha para ser candidata à reeleição, caso assuma o cargo em uma eventual renúncia do governador para poder disputar a vaga no Senado.

Coutinho vê risco no afastamento dele, por entender que uma vez no cargo, nada impedirá Lígia Feliciano de disputar as eleições deste ano. Isso fragmentaria a sua base, minando apoios para os deputados estaduais Gervásio Maia e Estela Bezerra, ambos do PSB e cotados para a disputa com o aval do governador. “Na hora certa, eu vou e decido. Agora, eu só saio para disputar o que quer que seja se efetivamente houver a devida proteção ao projeto que eu represento. O projeto está acima de qualquer cargo que eu represento”, ressaltou o governador, alegando que também vai conversar com seus apoiadores. Ele, no entanto, não demonstrou pressa para que isso ocorra.

Lígia Feliciano foi abordada pela reportagem e deu um jeito de fugir das especulações. O secretário de Comunicação do Estado, Luís Torres, por exemplo, diz acreditar que Coutinho vai concluir o mandato. “Eu não vi as declarações, mas estou junto do governador. Desde que assumi como vice-governadora, estarei com ele até o último dia do meu mandato. Eu faço parte de uma nova geração de políticos, que vê a política de uma forma diferente. No caso de 2018, vou deixar para comentar em 2018”, disse.

 

 

Hackfest recebe apoio da ONU e ganhará abrangência nacional

Eduardo Carlos (E) conversa com Octávio Paulo Neto e Gabriel Aragão sobre o Hackfest. Foto: Cógenes Lira

No momento em que o ‘Hackfest de Combate à Corrupção’ recebe o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), os seus organizadores anunciam que a próxima edição do evento, prevista para ocorrer entre 9 e 11 de junho deste ano, no Espaço Cultural, terá abrangência nacional. O projeto, promovido em parceria pelo Ministério Público da Paraíba, Rede Paraíba de Comunicação e Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), deve ser incluído pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) no rol das iniciativas alinhadas com o desenvolvimento sustentável.

O apoio da ONU ao Hackfest será formalizado durante reunião na tarde desta terça-feira (14), às 15h30, na sede do Ministério Público. O alto comissariado da entidade está na Paraíba deste esta segunda-feira com o objetivo ver formalizado o compromisso do estado com a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável. A lista de reuniões incluem encontros com representares da Assembleia Legislativa, Governo da Paraíba, Ministério Público e Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União (CGU).

A programação também inclui participação no seminário gestão recursos hídricos, em Campina Grande, que tem como base a agenda dos Objetivos do Milênio (ODS). Ao todo, são 17 os objetivos do milênio, além de 169 metas a serem alcançadas até 2030. No caso do Hackfest, a iniciativa conta com o apoio também do  Ministério Público e Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria Geral da União (CGU) e do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê).

Acordo

Vão estar presentes à reunião o diretor do Pnud no Brasil, Didier Trebucq; a residente assistente Maristela Baioni; o assessor sênior Haroldo Machado; a oficial de Programa do Pnud, Leva Lazareviciute; e a analista Inalda Beder. Eles serão recebidos pelo procurador-geral de Justiça do MPPB, Bertrand Asfora, pelo empresário Eduardo Carlos, da Rede Paraíba de Comunicação, e pelo coordenador do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPPB, Octávio Paulo Neto, responsável pela realização do Hackfest.

“Creio que o ingresso da ONU, por meio do Pnud, no hackfest revela a convergência da iniciativa com alguns pontos para o desenvolvimento sustentável, entre os quais a cidadania responsável, por meio da efetiva participação das coisas e negócios públicos”, ressaltou Octávio Paulo Neto. Ele acrescentou ainda que o evento é uma grande conjunção de saberes e propósitos, todos direcionados para uma melhor compreensão de nosso papel na sociedade. “Sempre no viés do exercício da cidadania consciente”, acrescentou.

Utilidade do Hackfest

Outra novidade é que o Hackfest deste ano será o evento master e contará com vários outros satélites. Também chamado de hack day ou codefest, o hackfest é uma maratona de programação na qual hackers se reúnem por longos períodos, com o objetivo de explorar dados abertos, desvendar códigos e sistemas lógicos, além de discutir novas ideias e desenvolver projetos de software ou até mesmo de hardware. Por ser um evento público, a maratona dá visibilidade e transparência a essas atividades, além de divulgar os novos produtos gerados.

Em 2016, o MPPB realizou, de forma pioneira, duas edições do ‘Hackfest de Combate à Corrupção’. A primeira delas ocorreu em agosto, nas dependências da sede do MPPB em Campina Grande, em parceria com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). A segunda, no mês de outubro, foi realizada com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa.

Veneziano cobra de Maranhão reunião para discutir crise no PMDB

Veneziano Vital protocolou ofício pedindo nova data para reunião. Foto: Reprodução/Facebook

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo enviou ao senador José Maranhão, nesta segunda-feira (13), um ofício cobrando a marcação de uma reunião para discutir a crise interna no partido. O desconforto surgiu quando a direção estadual decidiu ocupar a trincheira oposta ao governador Ricardo Coutinho (PSB) nas eleições de outubro do ano passado, contrariando várias lideranças. O grupo, que tem como um dos expoentes o senador Raimundo Lira, quer discutir a revisão da política de alianças do partido para o próximo ano.

A aliança com o governador Ricardo Coutinho foi rompida meses antes da eleição, no ano passado, notadamente por causa da candidatura de Manoel Júnior na chapa encabeçada pelo prefeito Luciano Cartaxo (PSD), que conseguiu a reeleição. Na trincheira oposta, contrários à ruptura, ficaram lideranças como Lira, Veneziano e o deputado estadual Nabor Wanderley. Os dois últimos concorreram ao cargo de prefeitos de Campina Grande e Patos, respectivamente, e foram derrotados por candidatos do PSDB.

Outro grupo familiar que pretende ver discutida a aliança é o do ex-governador Roberto Paulino e do deputado estadual Raniery Paulino. O grupo também sofreu derrota para o PSDB na cidade de Guarabira, com Fátima Paulino ficando em segundo lugar na disputa com o atual prefeito, Zenóbio Toscano. A última reunião ocorreria no mês passado, mas acabou sendo adiada. Veneziano cobra a marcação de uma nova data para que assunto seja colocada na mesa. Eles reivindicam um alinhamento do PMDB com o projeto político do governador.

MBL volta às ruas e agora cobra o fim do desarmamento

Brasília – Vestidos com camisetas nas cores verde e amarelo, manifestantes se reúnem em Brasília a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff (Valter Campanato/ Agência Brasil)

O Movimento Brasil Livre (MBL) vai promover manifestações em todo o país no dia 26 de março. A convocação foi divulgada pela direção do movimento que, acreditem, revelou dificuldade para fechar uma pauta. O grupo ganhou notoriedade nos últimos dois anos por denunciar corrupção no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e do ex-presidente Lula (PT). O tema corrupção, vale ressaltar, foi varrido do mote atual das manifestações, pensadas, segundo os dirigentes, para “para lembrarmos à classe política que O POVO ACORDOU”.

Veja os temas definidos:

  1. Brasil Sem Partido, pois não queremos um STF que se dobre às vontades deste ou de qualquer outro governo, agindo com lentidão para salvar os que têm Foro Privilegiado, utilizando-se dele para escapar da justiça;
  2. Não queremos interferência política na Lava Jato, nem tampouco que o Estado nos imponha o desarmamento enquanto os bandidos, armados até os dentes, matam nossos familiares;
    Queremos menos Estado e menos impostos;
  3. Queremos reformas que mudem verdadeiramente o país, com autonomia para os municípios e com flexibilização da CLT e a simplificação tributária;

Mesmo sem falar nas denúncias de corrupção dos agentes que integram o governo do presidente Michel Temer (PMDB), com muitos deles citados na operação Lava Jato, o MBL deixa um recado, se colocando como agente principal do impeachment de Dilma: “É hora de a classe política entender que ou seguem a voz das ruas, ou sofrerão as consequências. O impeachment foi um aviso a todos os políticos”.

Desembargador diz que Lobão na CCJ é prenúncio de “leis indecorosas”

Edson Lobão (E) conversa com Renan Calheiros e Romero Jucá. Todos são citados na Lava Jato. Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

O desembargador paraibano Márcio Murilo da Cunha Ramos decidiu verbalizar, nas redes sociais, um sentimento que se tornou comum a várias autoridades do judiciário nos últimos dias. Para ele, a escolha pelo Senado de Edison Lobão (PMDB-MA) para a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) servirá para que os seus apoiadores elaborem “leis indecorosas para abafar a Lava Jato e ‘perseguir’ o juiz brasileiro”, diz o magistrado, encerrando a frase com um enigmático “Quem duvida?”

O nome de Edison Lobão foi escolhido na semana passada para a presidência da principal comissão da Casa, suplantando a postulação do paraibano Raimundo Lira. Lobão é citado nas delações premiadas colhidas no bojo da operação Lava Jato. Para chegar ao cargo, ele contou com as indicações dos poderosos ex-presidentes do Senado, Renan Calheiros (AL) e José Sarney (AP), ambos do PMDB e ambos também citados em delações premiadas. Lobão, inclusive, em entrevista, confessa que “caixa 2” é constitucional.

Confira a postagem

Foto: Reprodução/Facebook