Coordenador do Gaeco da Paraíba, Octávio Paulo Neto vai auxiliar Aras na PRG

Promotor ficou conhecido por seu trabalho em Operações como Calvário, Xeque-mate e Andaime.

 

Octávio Paulo Neto diz que se mantém à frente do Gaeco. Foto: Fábio Hermano/CBN

Principal condutor da Operação Calvário, no âmbito do Ministério Público da Paraíba, o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Octávio Paulo Neto, foi nomeado para atuar junto à Procuradoria-Geral da República (PGR). Conforme portaria, publicada no último dia 24 de dezembro, o promotor vai atuar como membro colaborador do gabinete do procurador-geral da República, Antônio Augusto Aras.

Na prática, Octávio Paulo Neto vai trabalhar na Secretaria de Perícia, Pesquisa e Análise da PGR, mas a função extra não deve comprometer a suas atribuições no Ministério Público do Estado da Paraíba, conforme disciplina a portaria, datada de 20 de dezembro, três dias após a deflagração da sétima fase da Operação Calvário, batizada de Juízo Final, que decretou a prisão do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), da prefeita Márcia Lucena (PSB), da deputada estadual Estela Bezerra (PSB), além de outros supostos envolvidos no esquema investigado.

A portaria prevê que a atividades a serem desempenhadas pelo paraibano será “sem prejuízo de suas atribuições no Ministério Público do Estado da Paraíba e com ônus para o Órgão cedente”.

Octávio Paulo Neto

Promotor de Justiça, coordenador do Núcleo de Gestão do Conhecimento do Ministério Público da Paraíba, Octávio Paulo Netotem em seu currículo a passagem como Secretário-Geral do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC – 2009/2012); Colaborador do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) – Membro da ENCLA (indicação do CNMP); Membro do Grupo interinstitucional de Trabalho do Projeto Bidal/OEA (Projeto Bidal – Proyecto de Administración de Bienes Incautados y Decomisados en América Latina); Diploma de Mérito do COAF – 2014 (portaria COAF/MF nº 05, de 13 de março de 2014); Membro do Conselho da ENACC – Estratégia Nacional de Combate a Cartéis (2008/2012); Instrutor da Escola Nacional do Ministério Público; Um dos idealizadores do Hackfest Contra a Corrupção e do FOCCO.

 

*Por Angélica Nunes, do Jornal da Paraíba

 

Por erro, prefeita Márcia Lucena é nomeada presidente do PSB da Paraíba

Deputado Gervásio Maia vai comandar a legenda no lugar de Ricardo Coutinho.

 

Apesar de o deputado federal Gervásio Maia (PSB) ter sido anunciado nesta quarta-feira (9) como novo presidente do diretório estadual do PSB da Paraíba, no sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o nome da prefeita de Conde, Márcia Lucena, é em quem figura como presidente da legenda. A nova composição do partido vale até 31 de dezembro.

O secretário de Finanças do PSB, Fábio Maia, explicou que tudo não passou de um equívoco no momento de cadastrar a nova composição da Executiva na Justiça Eleitoral. “Foi um equívoco na hora da digitação. Saiu ela como Presidente e ele como vice. Mas era o contrário. Foi encaminhado à correção devera já sair amanha”, afirmou.

Além de Fábio Maia, constam como membros do novo diretório a deputada estadual Cida Ramos (secretária-geral), os deputados estaduais Jeová Campos e Buba Germano, ambos como secretários especiais, além da ex-secretária de Estado, Cassandra Figueiredo (primeira secretária).

Gervásio Maia vai substituir o ex-governador Ricardo Coutinho, que sem ocupar cargos públicos, tem dedicado o tempo a sua defesa, nas acusações da Operação Calvário. Apesar de afastado da presidência, conforme a nota do PSB, Ricardo deve continuar suas atividades na Fundação João Mangabeira, além de continuar como militante do partido para as eleições 2020.

 

Confira a nota do PSB:

Em virtude da necessidade estatutária de renovação da comissão provisória do Estado da Paraíba, comunicamos que o nosso sempre Presidente Ricardo Coutinho, a partir deste novo momento, concentrará suas atividades mais especificamente na Presidência da Fundação João Mangabeira. No entanto, continuará como Presidente de Honra do Partido no Estado e na Executiva Nacional, contribuindo como militante nas eleições 2020, na luta das ruas e nos debates e desafios que juntos enfrentaremos. Agradecemos a tarefa cumprida nesse período de transição interna do PSB paraibano, quando duplicamos as Comissões Executivas Municipais. Agora, o PSB-PB será presidido pelo Deputado Federal Gervásio Maia, que dará continuidade ao trabalho que faz do partido a grande força política transformadora na Paraíba.

Adelante!

PSB Paraíba.

 

*Por Angélica Nunes, do Jornal da Paraíba

 

Saúde vai fazer varredura nos contratos da Cruz Vermelha e Acqua no Hospital de Trauma

Tomada de contas tenta investigar denúncias da Operação Calvário.

 

 

Apesar de ter encerrado com o modelo de gestão terceirizada da saúde, o governo da Paraíba resolveu fazer uma varredura em como foi gasto o dinheiro repassado às duas Organizações Sociais que administraram o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, entre 2011 a 2019. Nesta quarta-feira (8), o secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, determinou a instauração de uma Tomada de Contas Especial.

A portaria, publicada no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (9), explica que o trabalho será realizado para apurar fatos relativos aos contratos de gestão do Trauma de João Pessoa, firmados entre a Secretaria de estado da Saúde com a Cruz Vermelha e o Instituto Acqua. O objetivo é investigar eventuais irregularidades e identificação dos responsáveis, quantificação do dano e obtenção do ressarcimento ao erário.

Para investigar os contratos, foi criada uma comissão, presidida pela servidora Maria Auxiliadora de Brito Veiga Pessoa. O grupo terá o prazo de 90 dias para realização dos trabalhos e apresentação de relatório conclusivo.

Calvário

Os contratos do governo da Paraíba com Organizações Sociais são o ponto central de uma série de investigações realizadas no Rio de Janeiro, que acabou desencadeando a deflagração da Operação Calvário na Paraíba.

Segundo investigações do Ministério Público, através do Gaeco, no período de 2011 a 2019, somente em favor das OS contratadas para gerir os serviços essenciais da Saúde e da Educação, o Governo da Paraíba empenhou 2,4 bilhões de reais, tendo pago mais de 2,1 bilhões, sendo que destes, 70 milhões de reais teriam sido desviados para o pagamento de propina aos integrantes da Organização Criminosa.

> Confira tudo sobre a Calvário

 

*Por Angélica Nunes, do Jornal da Paraíba

Após avanço da Calvário, PSB troca Ricardo por Gérvasio Maia na presidência do partido

Em nota, partido diz que ex-governador atuará “como militante nas eleições 2020”.

O deputado federal Gervásio Maia é o novo presidente do diretório estadual do PSB da Paraíba. Ele assume o posto deixado pelo ex-governador Ricardo Coutinho, que sem ocupar cargos públicos, tem dedicado o tempo a sua defesa, nas acusações da Operação Calvário. O anúncio foi feito pelo partido na tarde desta quarta-feira (8), através das redes sociais do partido.

Em nota, o PSB paraibano afirma que Ricardo permanecerá na Executiva Nacional e no comando da Fundação João Mangabeira (entidade que pertence ao partido), além de herdar o título de ‘presidente de honra do partido’ no estado. O partido tira o ex-governador de uma possível disputa nas eleitoral este ano, pois afirma que ele estará na condição de “militante nas eleições 2020”.

As investigações da Operação Calvário colocam Ricardo como o líder da organização criminosa que desviou miilhões em recursos públicos da Saúde e da Educação do Estado através de contratos com organizações sociais. O ex-governador foi preso na 7ª fase da ação, denominada de ‘Juízo Final’, no dia 19 de dezembro. No entanto, acabou sendo libertado dois dias depois após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Delatores como o empresário Daniel Gomes, a ex-secretária Livânia Farias e o ex-secretário Ivan Burity citam a participação direta do ex-governador nos crimes investigados. Daniel inclusive apresentou áudios nos quais Ricardo aparece supostamente negociando propina com o delator.

O ex-governador afirma que a Operação Calvário é fruto de uma perseguição política para destruir a reputação dele e que as provas apresentadas estão fora de contexto.

Confira a nota do PSB:

Em virtude da necessidade estatutária de renovação da comissão provisória do Estado da Paraíba, comunicamos que o nosso sempre Presidente Ricardo Coutinho, a partir deste novo momento, concentrará suas atividades mais especificamente na Presidência da Fundação João Mangabeira. No entanto, continuará como Presidente de Honra do Partido no Estado e na Executiva Nacional, contribuindo como militante nas eleições 2020, na luta das ruas e nos debates e desafios que juntos enfrentaremos. Agradecemos a tarefa cumprida nesse período de transição interna do PSB paraibano, quando duplicamos as Comissões Executivas Municipais. Agora, o PSB-PB será presidido pelo Deputado Federal Gervásio Maia, que dará continuidade ao trabalho que faz do partido a grande força política transformadora na Paraíba.

Adelante!

PSB Paraíba.

 

*Por Raniery Soares e Jhonathan Oliveira, do Jornal da Paraíba

STJ mantém afastamento de vereador de Cabedelo alvo da Operação Xeque-Mate

Moacir Dantas argumentou que está sendo prejudicado pelo fato de o mandato se aproximar do fim.

 

A composição da Câmara Municipal de Cabedelo foi quase que totalmente modificada. Foto: Divulgação

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, negou um pedido do vereador de Cabedelo Moacir Dantas (PP) para reassumir o cargo na Câmara da cidade. O parlamentar está afastado do cargo desde abril de 2018, quando foi deflagrada a Operação Xeque Mate, que desarticulou um esquema de corrupção que funcionava no Executivo e no Legislativo da cidade. A decisão foi divulgada nesta quarta-feira (8).

Moacir Dantas recorreu ao STJ, no final de 2018, por conta do desmembramento do processo (levado ao tribunal em função do suposto envolvimento do conselheiro do Tribunal de Contas, Fernando Catão). No entanto, o relator da ação penal na corte determinou o retorno dos autos à Justiça estadual, em dezembro do ano passado, sem que o pedido do vereador tivesse sido analisado.

Com isso, Dantas apresentou um mandado de segurança com pedido de liminar no STJ, argumentando que estava sem resposta da Justiça, o que prejudicaria seu direito de exercer o mandato para o qual foi eleito e que está prestes a terminar.

“Para a comprovação do perigo de dano irreparável, não basta a alegação de que o mandato eleitoral é conferido a prazo fixo, findando no ano vindouro, não sendo possível a sua prorrogação pelo tempo em que o seu detentor esteve afastado, caso obtenha um provimento judicial favorável”, afirmou o ministro João Otávio de Noronha na decisão que negou o pedido.

O ministro disse que, no presente caso, o pedido de liminar confunde-se com o próprio mérito da impetração, cuja análise será feita posteriormente pela Corte Especial, sob relatoria do ministro Herman Benjamin.

 

*Por Jhonathan Oliveira, do Jornal da Paraíba

Vetado projeto de Efraim que liberaria prefeituras para contratar advogados e contadores sem licitação

Proposta vetada pelo presidente Jair Bolsonaro foi publicada no Diário desta quarta (8).

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou um projeto de lei, de autoria do deputado Efraim Filho (DEM), que pretendia liberar as prefeituras municipais de realizar licitação para contratação de contadores e advogados. O veto foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira (8). A inelegibilidade de licitação para contratação desses profissionais é uma demanda antiga dos prefeitos e vem sendo combatida pelo Ministério Público da Paraíba.

Ao justificar o veto, Bolsonaro relatou que a propositura, ao considerar que todos os serviços advocatícios e contábeis são, na essência, técnicos e singulares, viola o princípio constitucional da obrigatoriedade de licitar. O presidente destaca que a contratação de tais serviços por inexigibilidade de processo licitatório só é possível em situações extraordinárias, cujas condições devem ser avaliadas sob a ótica da Administração Pública em cada caso específico, conforme entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF).

Durante o período da tramitação da proposta, a Federação das Associações dos Municípios da Paraíba (Famup) chegou a fazer campanha em Brasília para que a matéria fosse aprovada. À época, o presidente da Famup, George Coelho, afirmou que a matéria seria “de extrema importância para nós prefeitos, pois vai deixar claro que a contratação desses profissionais pode ser feita por inexigibilidade de licitação”.

Mobilização

Após tomar conhecimento do veto, a Famup iniciou uma mobilização junto à bancada federal paraibana e o Congresso para derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro. A ação conta com o apoio dos prefeitos, Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Conselho Regional de Contabilidade da Paraíba (CRC-PB), Associação Paraibana de Contadores Públicos (APCP-PB) e a Associação Paraibana de Advocacia Municipalista (Apam).

George Coelho explicou que o projeto não trata de dispensa de licitações como alega o veto presidencial. “Esse projeto é importante para os municípios e sua sanção é uma reivindicação dos prefeitos de todo o País. Ele não trata de dispensa do processo de licitação como alega o motivo do veto do presidente Jair Bolsonaro. Essa é uma pauta prioritária da CNM por um pedido da Paraíba e vamos lutar pela derrubada desse veto no Congresso”, destacou.

Brunno Sitônio, presidente do CRC-PB, defendeu a mobilização e esclareceu que o trabalho do contador se assemelha a dos advogados pelo modo organizado de desempenhar com perícia suas atividades.  “Podemos destacar particularmente as obrigações das duas profissões devido a destreza peculiar dos seus métodos de trabalho, tempo de estudos, da experiência, do aparelhamento necessário e equipe técnica, além de tantos outros atributos. E para que o nosso trabalho seja desempenhado junto aos municípios é fundamental a derrubada desse veto”, observou.

Para o presidente da APCP-PB, Alexandre Aureliano Farias, a sanção do projeto é importante para garantir que os contadores prestem seus serviços de forma tranquila e sem perseguições. “É necessário promover essa mudança, para desfazer dúvidas e impedir a tentativa de criminalizar a atuação dos contadores que atuam de forma correta junto aos municípios”, disse.

MP

A parte ao movimento municipalista, o Ministério Público da Paraíba vem emitindo, desde o início de 2019, recomendação aos municípios para que rescindam os contratos com advogados e contadores através do procedimento licitatório de inexigibilidade.

Segundo o coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, o promotor de Justiça Leonardo Quintans, até o momento já foram celebrados 192 TACs em 88 municípios paraibanos sobre a matéria.

 

*Por Angélica Nunes, do Jornal da Paraíba

Para inibir ‘fantasmas’, Câmara de João Pessoa terá que implantar ponto eletrônico até maio

Corujinha firmou compromisso e tem tomado medidas para solucionar o problema.

 

Foto: Olenildo Nascimento/CMJP

Após exonerar em uma só canetada todos os servidores comissionados da Câmara Municipal de João Pessoa, o presidente, vereador João Corujinha (DC), terá quatro meses para implantar o controle de frequência eletrônico do servidores da Casa. É o que disciplina um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado entre o legislativo da capital e o Ministério Público da Paraíba, no último dia 19 de dezembro, disponibilizado apenas nesta quarta-feira (8), no Diário Oficial do MP. Em caso de descumprimento, a multa diária é de R$ 1 mil, podendo chegar a R$ 50 mil.

O acordo foi firmado após a instauração de inquérito civil baseado em denúncias de servidores efetivos da Câmara, que acusavam os servidores comissionados de não cumprirem expediente e assinarem o ponto de forma precária, manuscrita, em formulários físicos. Para o MP, além de insuficiente e inadequado, por permitir fraude, o formato também foi considerado “obsoleto e ineficiente em comparação com as soluções e equipamentos tecnológicos que permitem o registro e aferição automatizados e eletrônicos da frequência dos trabalhadores”.

Conforme o TAC, a Câmara teria que aprovar a regulamentação do sistema eletrônico e aferição de frequência dos servidores e concluir a licitação até o dia 31 de dezembro. O primeiro, foi realizado na sessão do último dia 26 de dezembro. Já a licitação foi concluída em novembro, mesmo antes do encontro no MP. Venceu a empresa Vladmir Matos Leitão, com contrato de R$ 15,8 mil, com dispensa de licitação.

O próximo passo é a preparação e instalação dos equipamentos e programas necessários ao funcionamento do sistema até o dia 28 de fevereiro. A Casa tem até o próximo dia 4 de maio para implantar a entrada em efetiva operação do sistema.

Nos autos do TAC, o MP destaca o esforço da Câmara em tomar medidas para resolver o problema, como o recadastramento dos seus servidores e a disposição em pactuar uma solução consensual com o MP para aperfeiçoamento do sistema registro, qual seja, a compra dos equipamento de controle de frequência.

 

*Por Angélica Nunes, do Jornal da Paraíba

 

João faz nova mudança na direção de hospital envolvido no esquema da Calvário

Mudança no Hospital de Trauma de João Pessoa saiu do DOE desta quarta.

 

Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa — Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

No intervalo de doze dias, o governador da Paraíba, João Azevêdo (sem partido), promoveu a segunda mudança na direção do Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. A unidade de saúde é um dos alvos da Operação Calvário, que investiga o funcionamento do pagamento de esquema de propina através da gestão terceirizada da saúde e educação.

A nomeação de Laércio Bragante de Araújo como diretor geral da unidade de saúde foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (8). Ele vai ocupar a vaga no lugar de Leonardo de Lima Leite, que havia sido nomeado para o cargo no dia 27 de dezembro.

No DOE desta quarta também foi publicada a decisão de afastar Emerson Oliveira de Medeiros do cargo de diretor-técnico do Hospital de Trauma. Para o cargo, quem assume é Luiz Gustavo César de Barros Correia. Além da nova função, ele vai continuar também respondendo pelo cargo de diretor da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos Para Transplante.

Segundo o secretário de Estado da Saúde,, Geraldo Medeiros, os gestores anteriores não puderam assumir em função da legislação, porque eles já tinham outros vínculos públicos, o que é ilegal. “não houve nenhum motivo para que eles não pudessem assumir, mas só o fato de já terem outros vínculos”, reiterou.

PB Saúde

A administração do Hospital de Trauma de João Pessoa está sob a responsabilidade direta da Secretaria de Estado da Saúde desde que o governo do Estado optou por romper contrato com a Organização Social Acqua, que geria a unidade desde o afastamento da Cruz Vermelha.

A expectativa do governo é que a administração do Trauma seja transferida para a PB Saúde, uma fundação estatal que aguarda o retorno dos trabalhos na Assembleia Legislativa da Paraíba para sua aprovação. Com isso, o decreto de criação sairia em março e já em abril os hospitais devem começar a ser incorporados. “É um marco de um novo processo, de uma nova rotina administrativa dentro da Saúde. Espero que 2020 seja um ano em que a gente possa construir muito mais alternativas”, declarou recentemente o governador João Azevêdo.

 

*Por Angélica Nunes, do Jornal da Paraíba.

De olho na vaga, Renato Martins diz que Zezinho não pode assumir cadeira na CMJP

Ex-vereador e segundo suplente na mesma coligação coloca Operação Cartola e ausência de prestação de contas do Gol de Placa como impedimento.

Renato Martins quer voltar ao legislativo da capital. Foto: Olenildo Nascimento/CMJP

A posse de Zezinho Botafogo (PSB) na Câmara Municipal de João Pessoa deixou outro ex-parlamentar de olho, na tentativa de sentar na mesma cadeira: Renato Martins. Segundo suplente na mesma coligação, ele afirmou que Zezinho não poderia assumir a vaga deixada por Tibério Limeira (PSB), já que tem implicações na justiça por causa da Operação Cartola e das supostas fraudes cometidas pelos clubes de futebol da Paraíba, além da ausência de prestação de contas, que culminaram com o fim do Programa Gol de Placa do Governo da Paraíba.

Para Renato, Zezinho Botafogo foi investigado enquanto dirigente do Botafogo da Paraíba nos dois casos. Inclusive na Operação Cartola, segundo Martins, o processo está sendo julgado e medidas cautelares impostas pelo Ministério Público da Paraíba não foram ‘relaxadas’.

“Eu acho que o Ministério Público deve se posicionar nos próximos dias. Na época, ele não estava vereador como está hoje e existem cautelares que não foram relaxadas. Uma delas, inclusive, impede que ele ocupe cargos públicos. Na ótica do Ministério Público, em pelo menos três artigos, o órgão solicita a condenação de Zezinho”, disse Renato.

Sobre cargos públicos, antes de voltar à Câmara Municipal de João Pessoa, Zezinho estava ocupando o cargo de Assessor de Gabinete no Departamento de Trânsito da Paraíba (Detran-PB) desde 25 de janeiro de 2017. Ele foi exonerado na terça-feira (7) e logo depois tomou posse como vereador.

O ex-parlamentar disse que o processo referente ao Gol de Placa envolve a falta de prestação de contas, o que para ele, tem influência direta na proibição de Zezinho assumir a cadeira na Câmara.

“O Gol de Placa envolve prestação de contas entre um ente privado, que é o Botafogo, e o Governo. Tem um envolvimento direto de recursos públicos e por isso é exigido que haja prestação de contas. E qual é a punição prevista para quem não presta contas ou desvia recursos públicos? Não assumir função pública. Questionei o Ministério Público, se mesmo com tudo isso, Zezinho tem condições de voltar à Câmara como vereador. Acredito que eles estejam mais a frente do que eu nas informações e principalmente se há condições para a posse ou não”, comentou.

Perguntado sobre uma possível ação de infidelidade partidária por parte do PSB, seu ex-partido, caso venha assumir uma vaga na Câmara de João Pessoa, Renato Martins se vale da jurisprudência criada recentemente pelo deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), que foi expulso do PSL.

“Eu fui expulso, não saí. Quando o partido expulsa, ele perde a autoridade sobre eleitos e suplentes, igualmente aconteceu com Alexandre Frota na saída do PSL para o PSDB. Sei que vão questionar, mas não tem fundamento”, ressaltou o suplente, que foi expulso do PSB em 2017, por ter se aliado ao então senador Cássio Cunha Lima (PSDB).

*Por Raniery Soares, do Jornal da Paraíba

Zezinho Botafogo toma posse na Câmara de João Pessoa após exoneração no Detran

Suplente do PSB assume vaga com saída de Tibério Limeira para cargo no governo.

 

Foto: Juliana Santos/CMJP

Após oficializar a saída dos quadros do governo do estado, o suplente de vereador José Freire da Costa, mais conhecido por Zezinho Botafogo (PSB) enfim tomou posse na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP). A rápida solenidade ocorreu no gabinete do presidente da Casa, João Corujinha (DC), na manhã desta terça-feira (7).

Zezinho foi convocado para retornar à Câmara de Vereadores após o pedido de licença do vereador correligionário Tibério Limeira (PSB), que foi convidado pelo governador da Paraíba, João Azevêdo (sem partido), para assumir o cargo de secretário de Estado do Desenvolvimento Humano.

Apesar de estar no parlamento mirim, Zezinho Botafogo já disse que vai seguir a cartilha do executivo estadual. Em entrevista ao Jornal da Paraíba, o socialista disse que sua postura será alinhada com as orientações do governador João Azevêdo, para continuar fortalecendo os projetos do grupo na capital. O foco do grupo, pós racha entre João e o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), é sobreviver no poder após as Eleições 2020.

“A postura que vou seguir vem das orientações do grupo que eu faço parte, que é comandado por João Azevêdo. Eu votei nele, trabalhei para ele na campanha eleitoral e se ele disse que é pra sair, eu saio do PSB. Ele como governador é o nome mais forte e por isso é quem determina as regras. O mandato que estamos assumindo vai continuar seguindo a mesma linha, assim como Tibério estava trabalhando”, disse.

Apesar de Tibério Limeira ter sido nomeado para a pasta do Desenvolvimento Humano desde o último dia 3 de dezembro, Zezinho Botafogo só tomou posse nesta terça-feira pois aguardava a exoneração do cargo que estava ocupando no Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB). O pedido, assinado no mesmo dia pelo diretor-superintendente do Detran, Agamenon Vieira, só foi publicado no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (7).

 

*Por Angélica Nunes, do Jornal da Paraíba