Pâmela Bório em vias de se transformar na nova Nicea Pitta

Todo mundo lembra do desfecho. Uma separação, muito descontentamento e declarações que levaram o ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta (já falecido), para o purgatório da política e, posteriormente, para a cadeia. O caminho para isso foi Nicea Pitta, que, como uma metralhadora, fez denúncias contra o então ex-marido que desencadearam na operação Operação Satiagraha. Na Paraíba, nos dias de hoje, a agora ex-primeira dama, Pâmela Bório, segue o mesmo roteiro.

Reprodução

Reprodução

Nesta sexta-feira, ela postou nas redes sociais a capa do Jornal da Paraíba, com a manchete sobre a abertura de nova investigação do escândalo que ficou conhecido como Jampa Digital. Segundo investigação da Polícia Federal, parte dos recursos supostamente desviados do programa de instalação de internet sem fio gratuita em João Pessoa na época em que o atual governador, Ricardo Coutinho (PSB), era prefeito da capital teria sido desviado para financiar a campanha dele, em 2010, para o governo do estado.

Depois de postar a capa do Jornal da Paraíba no seu Instagram, Pâmela Bório relacionou o escândalo à morte do jovem Bruno Ernesto, que foi sequestrado e assassinado em julho de 2013. Ele trabalhava como diretor de Infraestrutura e suporte de rede da Prefeitura de João Pessoa na época do incidente e não demorou para surgir quem relacionasse o caso com uma suposta queima de arquivo. Só que, até hoje, essas ilações não tinham vindo de alguém tão próximo a Ricardo.

Tem muita água para passar por baixo dessa ponte.

Em tempo de crise, postura discreta do ex-presidente em visita a Pernambuco

Quem acompanhou nesta sexta-feira (17) o ex-presidente Lula fazer a defesa do PT e do governo Dilma Rousseff durante evento em Pernambuco, pôde perceber um certo abatimento no modo de falar, apesar do usual otimismo no discurso. Diante de João e Eduarda, filhos do ex-presidenciável pernambucano, Eduardo Campos, falecido no ano passado, o petista apostou na derrota dos pessimistas e garantiu que o Brasil vai voltar a crescer.

ITAIPAVA2

O ex-presidente participou de um evento motivacional destinado a 2 mil profissionais de uma cervejeira inaugurada ano passado no estado vizinho. Dois dias depois da prisão do agora ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, Lula disse em alto e bom som, apesar de evitar citar nomes, “que prendam quem roubou”. O petista, apesar do prazo elástico para 2018, é trabalhado pelos colegas de partido para tentar voltar ao poder.

Dentro do projeto de retorno ao Palácio do Planalto, Lula tem feito a defesa de Dilma Rousseff publicamente, apesar dasr críticas em reserva. Também tem adotado uma postura mais discreta para não ter seu nome relacionado aos escândalos puxados pela investigação decorrente da operação Lava Jato, que apura pagamento de propinas ao PT com recursos desviados de contratos da Petrobrás com empreiteiras.

Ontem Lula demonstrou o carisma e a disposição de sempre, mas sabe que o momento é de não se aproximar dos holofotes.

Instituto Lula cria site para desmentir “boatos” sobre o ex-presidente

No mesmo dia em que retomou as viagens pelo Brasil, com um retorno a Pernambuco, seu estado natal, o ex-presidente Lula divulgou no portal do Instituto Lula uma ferramenta de defesa “dos boatos” espalhados contra ele. Fazendo uso de uma linguagem voltada para a internet, com hastegs prontas para serem compartilhadas, o texto fala sobre “as mentiras que há muitos anos” têm o petista como alvo.

Instituto Lula

“Muitas informações falsas circulam na internet sobre Lula ser um bilionário, sobre a saúde dele, sobre o ex-presidente ter sido aposentado por invalidez, além de mentiras sobre empresas, fazendas, aviões do seu filho. Visite institutolula.org/mitossobrelula, conheça e espalhe a verdade sobre estes e outros temas.”, diz o texto.

Os mitos relacionados na postagem são os seguintes: “Lula saiu na capa da Forbes e é um dos homens mais ricos do Brasil (LOL)”, “O filho do Lula é dono da Friboi, de um avião, da Torre Eiffel e da Casa Branca”, “Lula está com câncer no pâncreas, no pulmão e até já morreu”, “Lula recebe aposentadoria por invalidez”, “Lula deu sorte e já pegou a economia bombando” e “Lula não criou o Bolsa Família: ele já pegou tudo pronto!”.

Confira

Ruy Carneiro convida Raoni, Lucas e Renato para se filiarem ao PSDB

A bancada do PSDB na Câmara Municipal de João Pessoa poderá ganhar mais três vereadores nos próximos dias. O presidente estadual da sigla tucana fez convite recentemente a Lucas de Brito (DEM), Raoni Mendes (PDT) e Renato Martins (PSB) para ingressarem no partido e disputarem a eleição do próximo ano pela legenda. Os três vereadores de João Pessoa têm externados aos colegas de bancada insatisfações com seus atuais partidos.

Lucas de Brito é assediado também pelo PSL

Lucas de Brito é assediado também pelo PSL

Lucas de Brito, inclusive, é assediado pelo PSL, do deputado estadual Tião Gomes, que ofereceu ao vereador a possibilidade de disputar a prefeitura de João Pessoa pela sigla, no próximo ano. Ruy Carneiro figurou como vice na chapa encabeçada pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB), na eleição do ano passado. Aos parlamentares, segundo um tucano de alta patente, Ruy falou sobre a intenção de fortalecer a legenda no próximo ano para enfrentar o prefeito Luciano Cartaxo (PT).

O fator que tem aproximado o PSDB dos três vereadores de João Pessoa é o fato de eles fazerem oposição firme ao prefeito Luciano Cartaxo, mas não haver certeza nos seus partidos de que eles estarão na oposição ao gestor no próximo ano. O PSDB elegeu três vereadores na eleição de 2012. Foram eles Marcos Vinícius (atual secretário de Comunicação de João Pessoa), Eliza Virgínia e Luiz Flávio.

Um encontro de governadores e três políticos se escalando como “pais da criança”

O encontro dos governadores com a bancada nordestina ocorreu ontem (15), em Brasília, teve uma pauta extensa, pouco resultado prático, mas muita gente para figurar como “pai da criança”. A reunião foi realizada para que os gestores apresentassem a deputados e senadores da região (178 no total) uma lista de 25 projetos que podem ajudar ou causar dano às finanças dos estados. Mas uma coisa chamou muito a atenção após o evento: três dos participantes se colocaram como os articuladores do evento.

15.04.15 ricardo_reuniao_bancada_nordestina (2)

A lista dos articuladores, pelo menos na Paraíba, é encabeçada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB). Ele esteve à frente da primeira reunião de governadores do Nordeste, ocorrida na Paraíba, no ano passado. Mês passado foi apresentado como o articulador do encontro com a presidente Dilma e também como a pessoa que puxou o encontro com a bancada nordestina. Isso, pelo menos, foi o divulgado pelos governistas e aliados mais próximos.

Na mesma linha se escala o governador da Bahia, Rui Costa (PT), que foi apresentado pelos baianos como o destaque na reunião com Dilma Rousseff, no mês passado, e no encontro de ontem como o articulador entre os governadores e a bancada do Nordeste (confira). Outro que se escalou como articulador do encontro foi o deputado Júlio César (PSD-PI), que coordena a bancada do Nordeste. O site da Bancada do Nordeste, inclusive, diz que ele coordenou o encontro ao lado de Rui Costa (confira).

E é porque o encontro ainda não teve resultado prático?

Ricardo Coutinho e o reincidente fantasma do “Jampa Digital”

Ao passo que ainda responde a processo criminal no Superior Tribunal de Justiça (STJ), o governador Ricardo Coutinho (PSB) se vê diante de uma nova investigação relacionada ao escândalo Jampa Digital. Ontem, o Ministério Público Federal abriu inquérito civil para apurar a possível prática de improbidade administrativa pelos envolvidos no caso. O assunto foi abordado em matéria exclusiva na edição desta quinta-feira (16) no Jornal da Paraíba.

Foto: Francisco França

Foto: Francisco França

A investigação cível foi instaurada para evitar o decurso do prazo prescricional, segundo explicou o procurador da República Sérgio Pimentel. “O MPF procederá a apuração da possível prática de improbidade administrativa antes mesmo de finalizado o inquérito policial, utilizando-se, inclusive, das provas já colhidas até o momento”, afirmou. O inquérito policial foi enviado em setembro de 2014 ao STJ, tendo em vista o envolvimento de autoridades com foro privilegiado.

A investigação feita pela Polícia Federal apontou indícios de que houve desvio de recursos do programa Jampa Digital, implantado pela Prefeitura de João Pessoa para a criação de uma rede de internet sem fio gratuita na capital. O projeto foi implantado na época em que o atual governador, Ricardo Coutinho (PSB), era prefeito de João Pessoa. A apuração da PF concluiu que parte dos recursos supostamente desviados foram usados na campanha eleitoral vitoriosa do socialista.

A investigação do caso Jampa Digital teve início após reportagem veiculada pelo Fantástico da TV Globo no dia 23/03/2012, que noticiou indicativos de irregularidades na aplicação de recursos federais oriundos do convênio nº 01002000/2009, celebrado no dia 13 de outubro de 2009, entre o Ministério da Ciência e Tecnologia e a prefeitura de João Pessoa, no valor de R$ 6.256.000,00, para fins de criação da plataforma de convergência social e digital de João Pessoa.

O inquérito policial teve como objetivo apurar irregularidades na aplicação de recursos repassados mediante convênio celebrado com o Ministério da Ciência e Tecnologia, tendo por objeto a criação de plataforma de convergência social e digital de João Pessoa. As irregularidades referem-se ao procedimento licitatório e à execução do contrato firmado com a empresa Ideia Digital, vencedora do certame, realizado em 2009.

Contatado pela reportagem, o procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, se mostrou tranquilo. “Todas as defesas já foram patrocinadas no âmbito do processo. A licitação foi aprovada pelo TCE e a execução do projeto foi de responsabilidade, à época, da Secretaria de Ciência e Tecnologia e quando deixamos a Prefeitura de João Pessoa, em 2011, o projeto estava funcionando na praia”, disse.

Durval Ferreira descarta Manoel Júnior e diz que PP estará com PT e PSB em 2016

O presidente da Câmara Municipal de João Pessoa e do PP da Capital, vereador Durval Ferreira, defendeu a manutenção da aliança do seu partido com o PT e PSB para as eleições municipais de 2016. Ele informou que, como presidente municipal da legenda, desautoriza quem quer que seja a falar em nome do PP sobre possíveis apoios e coligações para a disputa da prefeitura.

Durval Ferreira

As declarações foram feitas após o deputado federal Manoel Júnior (PMDB) se apresentar como opção para a disputa da prefeitura de João Pessoa e ter citado o PP como possível aliado.
“Eu acredito que a tendência é que essas três legendas (PT, PSB e PP) caminhem juntas para o processo eleitoral do ano que vem. E eu defendo essa tese”, ressaltou Durval.

O parlamentar afirmou que não foi procurado, até hoje, por nenhum representante de partidos, que não fazem parte dessa aliança, para dialogar sobre questões políticas ou eleitorais que fujam da sua tese de manter o PP, PT e PSB unidos. O tema foi abordado pelo Jornal da Paraíba em reportagem sobre os partidos que podem abandonar a base aliada do prefeito Luciano Cartaxo (PT).

O presidente Durval Ferreira defendeu ainda que, além do PP, PT e PSB, as demais legendas que também compõem a aliança permaneçam coligadas. “Apoio e concordo com a manutenção do diálogo com todos os partidos da coligação. Não concordo com outro pensamento foram dessa possibilidade. Nós continuaremos fortes e firmes”, avisou Durval.

Sindicalistas cobram dos deputados paraibanos a fatura pela terceirização

O protesto contra o projeto de lei 4330/2004, que disciplina a contratação de profissionais terceirizados foi marcado também por um protesto contra os 10 deputados federais paraibanos que votaram a favor da matéria. Eles foram retratados em faixas e painéis com adjetivos que vão de “mercenários” a “traidores”. Dos 12 parlamentares da bancada paraibana, apenas Luiz Couto (PT) e Damião Feliciano votaram contra o PL.

Foto: Jaine Alves

Foto: Jaine Alves

A manifestação foi puxada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e contou com a participação da Associação dos Docentes da Universidade Federal da Paraíba (Aduf), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Sindicato dos Bancários e movimentos estudantis. A manifestação teve início no Parque Solon de Lucena, às 9h30. De lá, os sindicalistas saíram em passeata pelo anel interno da Lagoa e foram para a Praça dos Três Poderes.

A Assembleia Legislativa reforçou a segurança, para evitar que houvesse invasão ou depredação no prédio. Ontem, a Câmara dos Deputados começou a votar os destaques que foram apresentados pelos parlamentares. A sessão terá continuidade nesta quarta-feira e a expectativa do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é que a votação seja encerrada hoje. No primeiro dia de votação dos destaques, eles reduziram as regras da terceirização à contratação de pessoal nas empresas privadas.

Após ser liberado para mentir na CPI, Vaccari terá que falar a verdade na cadeia

Uma semana depois de depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, resguardado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao direito de não falar a verdade, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, foi preso hoje em novo desdobramento da operação Lava Jato. O dirigente, com isso, impõe mais um constrangimento ao Partido dos Trabalhadores, que havia recomendando a sua licença do cargo. Além disso, em depoimento, terá que falar a verdade. Também foi presa a cunhada dele, Marice Correa, também denunciada.

Foto: Marcelo Camargo/ABr

Foto: Marcelo Camargo/ABr

Vaccari Neto é apontado pelos delatores do esquema que fraudava licitações na Petrobras como o encarregado de recolher a propina paga pelas empresas beneficiadas nos contratos. O esquema era operado pelo diretor de serviços da empresa, Renato Duque, que também chegou a ser preso durante a operação. Vaccari foi denunciado também pelo ex-gerente da Petrobas, Pedro Barusco.

Barusco, por meio de delação premiada, revelou à Polícia Federal que parte do dinheiro pago a título de propina ficava com Vaccari Neto e o restante ia para o PT. Com a prisão do tesoureiro do partido, a investigação entra de vez no Partido dos Trabalhadores e se aproxima da presidente Dilma Rousseff (PT), que não é alvo da investigação até o momento. A oposição tenta ligar a petista ao esquema, para fundamentar uma ação de impeachment.

Vaccari é o segundo tesoureiro do PT preso após escândalo de corrupção. O primeiro foi Delúbio Soares, que foi preso após condenação no Supremo Tribunal Federal. Ele foi considerado culpado por ter agenciado o pagamento de propina aos partidos aliados em troca de apoio político. O esquema, ocorrido durante o primeiro mandato do presidente Lula, ficou conhecido como escândalo do Mensalão.

Passados 4 dias, Eduardo Cunha ainda monopoliza debates na Assembleia

O nome Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi o mais ouvido nesta terça-feira (4) na Assembleia Legislativa da Paraíba, quatro dias depois da polêmica passagem do presidente da Câmara dos Deputados pela Paraíba. Não houve matéria ou evento que chamasse tanta atenção dos deputados estaduais. De um lado, Frei Anastácio (PT), Anísio Maia (PT) e Estela Bezerra (PSB), sob uma só bandeira, vociferaram contra o peemedebista que, na última sexta-feira, acusou petistas e socialistas de terem “armando” um protesto para impedir que ele falasse na Casa. Do outro, Dinaldinho Wanderley (PSDB), que defendeu Cunha.

prostesto_na_assembleia__na_visita_do_deputado_Eduardo_cunha_-_anisio_maia_pag.Pagina_2_cad.Caderno_1_Rizemberg_Felipe_428500

Cunha veio à Paraíba para debater a reforma política, mas foi surpreendido na Assembleia Legislativa por um protesto puxado por entidades de classe e integrantes do movimento LGBT. Na oportunidade, acusou Estela e Anísio de terem organizado a manifestação. De quebra, culpou o governador Ricardo Coutinho (PSB) por não ter criado as condições para a manutenção da sua segurança. A postura foi criticada por Ricardo por meio de nota e em pronunciamento.

A resposta mais dura de Ricardo Coutinho de crítica a Eduardo Cunha foi elogiada até por Frei Anastácio, notabilizado pela oposição feita ao socialista na Assembleia Legislativa. Estela Bezerra também prometeu processar o peemedebista. Dinaldinho Wanderley aproveitou para novamente criticar a falta de segurança durante a sessão que, segundo ele, gerou risco para o presidente da Câmara dos Deputados. Dinaldinho disse que o governador deveria ter mandado a tropa de choque retirar os manifestantes das galerias da Assembleia Legislativa.