Rômulo Gouveia é chamado de golpista em São João do Cariri

O deputado federal Rômulo Gouveia (PSD) viveu uma saia justa sem tamanho na última sexta-feira (24). Durante evento em São João do Cariri para debater a reforma da previvência, ele foi chamado ao palanque pelo deputado estadual Jeová Campos (PSB). Ao ser convidado, resistiu ao convite enquanto era chamado de golpista, golpista e vaiado pelo público presente. As críticas ocorreram por conta do voto a favor da flexibilização da terceirização, dado na mesma semana. Rômulo foi um dos cinco deputados federais paraibanos que votaram a favor da proposta.

Confira:

Em contato com o blog, o deputado Rômulo Gouveia minimizou o ocorrido. Segundo ele, o grupo que o vaiou era formado por um pequeno contingente, ligado a centrais sindicais. Disse também que houve descontentamento da maioria do público presente com o protesto.

Confira vídeo do momento em que Lula se banhou nas águas da transposição

A solenidade prevista para banho do ex-presidente Lula (PT) nas águas do “Velho Chico”, no ato político para festejar a “Inauguração Popular da Transposição, neste domingo (20), quase acabou em tragédia. Sem organização, o petista sentiu o calor humano dos eleitores em um tom além do que esperava. Confira:

Lula e Temer usam vídeos para travar briga pela paternidade da transposição

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual, Michel Temer (PMDB), estão travando uma intensa guerra pela paternidade das obras de transposição, apesar de o peemedebista ter dito, na Paraíba, que não brigaria por isso e que a obra é do povo, construída com o dinheiro público. E tem razão, pelo menos no discurso oficial. Na prática, a briga tem sido travada, sim, seja em artigos distribuídos com os jornais, seja em vídeos e postagens nas redes sociais. Seguem dois exemplos clássicos:

1. Lula postou nas redes sociais vídeo em que um artista paraibano canta música sobre a chegada das águas, agradece ao petista, enquanto aparecem imagens de pessoas comemorando a chegada das águas.

2. No vídeo institucional, o locutor diz que em dez meses o governo de Michel Temer (o nome não é explicito), as obras foram aceleradas e há a promessa de que o Eixo Norte seja entregue até o fim do ano.

 

Peemedebista manda recado a Cartaxo: “não há indexação entre 2016 e 2018”

O deputado estadual Raniery Paulino (PMDB) tem aproveitado o racha interno no seu partido para defender que a sigla tenha candidatura própria para a disputa do governo do Estado, em 2018. O partido está dividido entre os defensores da manutenção da aliança com o PSD do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, e com o PSDB do senador Cássio Cunha Lima ou mesmo o retorno ao esquema eleitoral do governador Ricardo Coutinho (PSD). Paulino defende o caminho em faixa própria.

A discussões sobre o projeto próprio surgiu depois que o senador Raimundo Lira, defensor da composição com o PSB, deu entrevistas alegando que o senador José Maranhão confidenciou a ele o desejo de ser candidato. Apesar de assegurar não ter conhecimento do desejo do parlamentar, Paulino lembrou outros nomes viáveis, na visão dele, para a disputa, a exemplo do deputado federal Veneziano Vital do Rêgo e do senado Raimundo Lira. Sobre a aliança com Cartaxo, ele garante que não há indexação de uma eleição para a outra.

“(A aliança) em João Pessoa foi feita para o município de João Pessoa. Essa mesma aliança não foi reproduzida em Campina Grande ou em Guarabira. Então, não existe indexação do partido a nenhum outro projeto, porque quando aconteceu a aliança na disputa estadual, o governador cobrava a reprodução desta aliança para os municípios”, ressaltou Raniery Paulino, que é filho do ex-governador Roberto Paulino. Ele ressalta ainda que a aliança foi interessante e teve o seu momento, mas sua opinião é de que o partido precisa lançar candidatura própria.

Ator Wagner Moura grava vídeo com críticas à reforma da previdência

Vídeo divulgado nas redes sociais cobra mobilização da população contra a proposta de Reforma da Previdência enviada ao Congresso. Imagem: Reprodução/YouTube

O ator Wagner Moura, consagrado no Brasil e no exterior, tem emprestado a voz para uma mobilização feita pela frente Povo Sem Medo nas redes sociais contra a Reforma da Previdência. O vídeo está sendo compartilhado pelas principais lideranças do PT no Congresso, a exemplo dos senadores Lindbergh Farias (RJ) e Gleise Hoffmann (PR). No áudio, ele diz que a proposta enviada pelo presidente Michel Temer (PMDB) ao Congresso Nacional “tem vários ataques aos nossos direitos”. Entre as mudanças, cita a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria e lembra que em várias regiões do Norte e Nordeste a expectativa de vida ao nascer é menor do que isso. “Vão transformar o INSS em uma funerária, onde as pessoas vão se aposentar no caixão”, diz.

No quesito idade mínima, Wagner Moura lembra que Temer se aposentou aos 55 anos, ganhando mais de R$ 30 mil por mês. Ele também critica a aposentadoria de homens e mulheres com a mesma idade, ressaltando que a maioria delas tem dupla jornada. Para completar, critica na proposta a exigência para que as pessoas recebam a aposentadoria integral só depois de contribuírem 49 anos. O ator lembra que para se conseguir a aposentadoria com o benefício integral aos 65 anos, a pessoa precisaria iniciar a vida profissional aos 16 anos em trabalho formal e nunca ser demitida na vida. Para completar, pede que os internautas iniciem uma mobilização para encher os e-mails e redes sociais dos deputados e senadores para que eles rejeitem a proposta encaminhada pelo presidente Temer ao Congresso.

O Provo Sem Medo é uma frente de mobilização composta por mais de 30 movimentos nacionais. O grupo tem adotado a mesma estratégia da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), que também divulgou vídeo com animação. No caso dos auditores, eles alegam existir farsa do governo federal e alegaram não haver rombo nas contas públicas. Confira em matéria publicada anteriormente dois vídeos, um dizendo não haver prejuízo e outro alegando que eles existem.

 

Como ‘estranho no ninho’, Ricardo impõe saia justa para Michel Temer

Monteiro (PB) – Presidente Michel Temer durante cerimônia de chegada das Águas do Rio São Francisco à Paraíba (Beto Barata/PR)

Em meio a um campo minado, com pucos aliados por perto, o governador Ricardo Coutinho (PSB) fez um discurso efusivo de defesa dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, ambos do PT, e ainda do ex-ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes (PDT-CE), durante a inauguração das obras da transposição. A solenidade ocorreu nesta sexta-feira (10), em Monteiro, com a presença do presidente Michel Temer (PMDB). O discurso, não transmitido pela estatal NBR por problemas técnicos, foi no sentido contrário ao do seu desafeto político, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), e também de Temer, que se restringiu a classificar como elogiável o trabalho dos que vieram antes dele.

No caso de Cássio, ele elogiou desde o imperador Pedro II até os ex-ministros Cícero Lucena e Fernando Catão. Ambos se dedicaram ao projeto durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Não deixou, vale ressaltar, de citar as importâncias de Lula e Dilma, mas lembrou que a petista atrasou a obra. Ainda aliviou o pé nas críticas ao governo petista, atribuindo o atraso a fatos externos, para não melindrar o ministro da Integração Nacional durante o governo dela, o hoje senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), que estava a poucos metros dele no palanque. Isso não o impediu de chamar de corrupto o governo que antecedeu Temer.

Manifestantes foram mantidos longe do palco. Foto: Josusmar Barbosa

Já Ricardo lembrou que Lula nasceu em Pernambuco, mas que sempre foi um parceiro da Paraíba. A Ciro também se referiu como um grande brasileiro e que lutou pela transposição. Lula e Ciro, vale ressaltar, são virtuais candidatos a presidente da República, em 2018. Sobre Dilma, ele lembrou que o governo dela foi responsável pelo pagamento de 70% da obra. Recordou também que o principal ator da transposição foi o povo nordestino. Entre os personagens, recordou do padre Djaci Brasileiro, que foi várias vezes a Brasília com a tradicional cruz de lata cobrar a retirada do projeto da transposição da gaveta.

Protesto

Do lado de fora, longe da solenidade, centenas de pessoas se espremeram nas barreiras de contenção, com cartazes em que se lia volta Lula e gritavam “Fora Temer”. Os gritos eram ouvidos em vários momentos do discurso e foram recepcionados pelo presidente Temer como manifestação e exemplo de democracia. Cássio Cunha Lima descreveu os manifestantes como “inocentes úteis”, sugerindo que eles foram mobilizados pela militância simpática ao ex-presidente.

Temer usa o Twitter para elogiar mulheres após discurso polêmico

O presidente Michel Temer (PMDB) usou as redes sociais nesta quinta-feira (9) para tentar remediar discurso polêmico feito durante solenidade para marcar o Dia Internacional da Mulher. No evento, realizado para anunciar medidas para humanizar o parto normal e reduzir intervenções consideradas desnecessárias, o gestor relacionou a capacidade feminina de aferir distorções na economia a, segundo ele, suas atividades domésticas.

 

“Tenho absoluta convicção, até por formação familiar, por estar ao lado da Marcela (Temer), o quanto a mulher faz pela casa. O que faz pelo lar, o que faz pelos filhos e, portanto, se a sociedade de alguma maneira vai bem, quado os filhos crescem, é porque tiveram uma adequada educação e formação em suas casas e, evidentemente, isso quem faz não é o homem, quem faz é a mulher”, disse o gestor.

Temer continuou: “Na economia, também, a mulher tem uma grande participação. Ninguém mais é capaz de indicar os desajustes de preços nos supermercados do que a mulher. Ninguém é capaz de melhor detectar as flutuações econômicas do que a mulher, pelo orçamento doméstico maior ou menor”. As declarações acabaram gerando muita polêmica e memes nas redes sociais.

Nesta quinta-feira, ele mudou o tomem duas postagens:

“Que as mulheres tenham direitos iguais em casa e no trabalho. Não vamos tolerar preconceito e violência contra a mulher”.

“Estamos na Semana da Mulher. Meu governo fará de tudo para que mulheres ocupem cada vez mais espaço na sociedade”.

Sem impedimentos jurídicos, águas da transposição chegam à Paraíba

Túnel da transposição, em Monteiro, já recebendo água. Imagem: Reprodução/YouTube

As águas da transposição já estão chegando à Paraíba e desde a madrugada desta quinta-feira (9) chegam à cidade de Monteiro, onde vai encher o reservatório Poções e, ao mesmo tempo, através de um rasgo, lançar parte das águas também no rio Paraíba, fazendo o caminho rumo ao Açude Epitácio Pessoa. A notícia surge um dia antes da solenidade de inauguração da estrutura, com a presença do presidente Michel Temer (PMDB), e logo depois de um acordo envolvendo os ministérios Públicos Federal e Estadual e os órgãos responsáveis pela obra.

 

Nesta quarta, durante reunião no período da tarde, o Ministério Público Federal na Paraíba firmou uma agenda de compromissos voluntários com vários órgãos envolvidos na transposição do rio São Francisco no estado, com o objetivo central de garantir a segurança das obras e a qualidade da água. O acordo foi firmado na sede da Justiça Federal em Monteiro (MO). Depois do rompimento da barragem Barreiro, em Pernambuco, o MPF expediu recomendação que cobrava segurança na obra e ameaçava acionar a Justiça para suspender a obra.

Durante as mais de três horas de reunião, foram discutidos cinco eixos centrais: segurança de barragem, qualidade da água, caminho da água, gestão da água e saúde e segurança do trabalho. Todos os pontos discutidos e os compromissos firmados estão disponíveis na ata da reunião. A procuradora do MPF em Monteiro, Janaína Andrade, disse que o objetivo de construir uma solução, levando-se em consideração a precaução em matéria ambiental, foi atingido.

“O ato de o MPF participar desta solução conciliatória não significa renúncia ao direito potestativo de discussão judicial do seu objeto. Cuida-se de um empenho de, naquilo que for passível de acordo, obter por meio consensual a solução dos conflitos”, alertou a procuradora da República. Na reunião, o secretário de Infraestrutura Hídrica do Ministério da Integração Nacional, Antônio da Pádua, ressaltou que, apesar da água estar chegando à Paraíba, as obras complementares da transposição no estado ainda não foram concluídas.

Pádua destacou ainda que foi priorizado o caminho da água com mais celeridade, em virtude da urgência, mas que o ministério continuará atento aos ajustes e adequações. O representante da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), João Fernandes, garantiu que a gestão das águas do São Francisco, após a inauguração da obra, será de inteira responsabilidade da agência.

Participaram da reunião, representantes do MPF/PB; Ministério Público da Paraíba (MPPB); Ministério Público do Trabalho (MPT); Ministério da Integração Nacional; Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa); Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs); Advocacia-Geral da União (AGU); Prefeitura de Monteiro; Funasa, Cagepa e empresas envolvidas.

Senadora convoca manifesto e sugere abstenção sexual no Dia da Mulher

Senadora Gleisi Hoffmann fez discurso em defesa da mulher no parlamento e convocou a manifestação. Imagem: Reprodução/TV Senado

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) convocou as senadoras e servidoras do Senado para se reunirem na frente do Congresso Nacional, nesta quarta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, em uma manifestação contra os retrocessos nos direitos das mulheres. Ela informou que a data será marcada por greves, passeatas, mobilizações nas escolas, bloqueio de estradas e, inclusive, abstenção sexual.

Gleisi Hoffmann informou que na quarta-feira não haverá votações no Plenário do Senado. “Vai ser um dia de greve em todos os lugares, de marcha, de bloqueio de estrada, de pontes, de praças, de abstenção do trabalho doméstico, de abstenção dos cuidados, de abstenção sexual, denúncia de políticos e empresas misóginas. E aqui, no Congresso, nós também vamos nos manifestar”, afirmou a senadora. “É isso, as mulheres vão parar por um dia, como ocorreu na Finlândia”, enfatizou.

Auditores negam rombo na Previdência e sugerem ‘farsa’ do governo

Na semana em que voltam com muita força as articulações do governo federal para fazer aprovar a Reforma da Previdência, a Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip) vêm reforçando a campanha para desmentir o que chamam de farsa em relação ao ‘rombo’ nas contas da Previdência Social. Uma manifestação está sendo programada em todo o país para o dia 8 de março, data em que se comemora o Dia da Mulher. Eles alegam que grande parte do déficit é causado por isenções concedidas a empresários, além da Desvinculações de Recursos da União (DRU). Segundo a Anfip, o rombo de R$ 85,8 bilhões em 2015 divulgado pelo governo é fruto de uma manipulação de números.

Confira o que o vídeo contra a reforma:

Tramitação

A Comissão Especial da Reforma da Previdência, que analisa e discute o mérito da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287, fará três audiências públicas ao longo da semana. Na terça-feira (7), serão discutidas as aposentadorias de profissionais envolvidos em atividades de risco, como os policiais. Na quarta (8), será a vez dos professores e dos trabalhadores que atuam em atividades que prejudicam a saúde. Na quinta (9), a discussão será sobre as novas regras de aposentadoria para servidores públicos.

Confira o vídeo favorável à reforma: