Veja, com detalhes, o que volta a funcionar com a flexibilização em João Pessoa

Transporte público voltará a funcionar depois de uma semana para a fase de preparação

Cartaxo fez a apresentação das medidas nesta sexta-feira. Foto: Divulgação/ Secom-JP

Na próxima segunda-feira (29), João Pessoa entra em uma nova fase do Plano Estratégico de Flexibilização. Os protocolos estabelecem a volta dos escritórios de profissionais liberais, como advogados, contadores e arquitetos, além dos treinos para atletas profissionais. Lojas de materiais de construção, que só funcionavam por delivery e drive thru, também poderão reabrir de acordo com regras de proteção sanitária.

O transporte público volta a circular na Capital na segunda-feira, dia 6 de julho, quando será concluída a etapa preparatória, a exemplo da imunização contra a gripe e testagem do novo coronavírus para todos os profissionais de transporte. O anúncio foi feito pelo prefeito Luciano Cartaxo, nesta sexta-feira (26), que apresentou avaliações técnicas e científicas que permitiram que a Capital avançasse para a segunda etapa do Plano.

De acordo com os estudos da Secretaria Municipal de Saúde, que segue protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS), João Pessoa segue com queda na taxa de ocupação de leitos de UTI, em relação aos últimos 15 dias, o que aponta para uma redução no número de pacientes graves. A pressão hospitalar nas UPAs Covid-19 também vem apresentado queda, acompanhada pela diminuição na média diária de óbitos da doença.

“Os números apontam que podemos avançar para o passo seguinte, mas precisamos seguir vigilantes. Não podemos baixar a guarda. O isolamento social segue decisivo para seguirmos salvando vidas. Por isso, toda esta retomada vem sendo norteada por medidas de segurança que nos permitam avançar para os passos seguintes”, explicou o prefeito Luciano Cartaxo.

Com a nova etapa de flexibilização, as lojas de material de construção poderão funcionar com a permanência simultânea de um cliente a cada 10m² de área do estabelecimento, a fim de evitar aglomeração de pessoas, priorizando os serviços de delivery ou drive-thru, caso realizem. Os profissionais liberais podem regressar suas atividades respeitando o distanciamento de 1,5m e priorizando reuniões remotas ou previamente agendadas, mas sem aglomeração. Atletas profissionais dos times de João Pessoa serão testados para a Covid-19 pelas equipes de saúde da Prefeitura da Capital e podem retomar a etapa de treinos, observando as medidas de prevenção. Já as atividades religiosas seguem liberadas com 30% da capacidade das igrejas, mantendo os critérios da primeira fase.

O transporte público será reaberto dentro de uma semana, depois da etapa preparatória que prevê a vacinação de motoristas e cobradores, junto com testes do novo coronavírus. Outra medida adotada será a higienização de veículos, terminais e paradas de ônibus com maior fluxo de pessoas. As ações preventivas foram acordadas com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Sintur). Ao longo desta semana, os coletivos seguem funcionando apenas para o deslocamento dos profissionais de saúde, como já vem ocorrendo.

Planejamento estratégico – A Prefeitura de João Pessoa informou que a reabertura gradual se dará em quatro fases. A data da terceira etapa do Plano de Flexibilização está prevista para o dia 13 de julho, sempre a partir da análise de critérios epidemiológicos de controle da doença. Na primeira fase foram liberados setores econômicos como a construção civil, concessionárias, revendas e locadoras de veículos, além de salões de beleza, desde que o atendimento seja feito com hora marcada. Bares, restaurantes, shoppings, centros comerciais e estabelecimentos de varejo podem funcionar por delivery e drive thru.

 

Covid-19: Prefeitura de Cabedelo anuncia a abertura do comércio

Cidade está entre as quatro com maior número de casos registrados na Paraíba desde o início da pandemia

O prefeito de Cabedelo, Vítor Hugo (DEM), anunciou para a próxima segunda-feira (29) a abertura da atividade econômica na cidade. De acordo com o gestor, todo o comércio varejista poderá funcionar com 50% da capacidade, enquanto que o atacadista com 70%.  Haverá limitação para a entrada no estabelecimento, de acordo com o tamanho da loja. Os protocolos foram incluídos no site da prefeitura. Cabedelo é a quarta cidade no Estado com maior quantidade de casos do novo Coronavírus. São 1.657.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o prefeito lembrou que a construção civil já está com 100% da atividade funcionando. Os bares e restaurantes foram liberados para funcionar com 30% da capacidade. Já os salões de beleza e as academias de ginástica vão funcionar, mas com atendimento agendado.

O prefeito justificou a medida com o argumento de que a cidade atingiu o platô (estabilidade), em relação aos contágios e começa a experimentar a redução dos casos. Diz ainda que não foram registrados mortes nos últimos 15 dias e que 80% das pessoas que contraíram a Covid-19 foram curados. Vale lembrar que a cidade não tem unidades de saúde equipadas com Unidade de Terapia Intensiva (UTI) credenciada para o atendimento aos pacientes mais graves.

Covid-19: Prefeitura libera ônibus, mas mantém shoppings, lojas e praias fechados

Medidas restritivas adotadas pela prefeitura de João Pessoa são, no geral, mais rigorosas que as estaduais

Luciano Cartaxo vai detalhar o plano de reabertura da economia nesta sexta-feira. Foto: Divulgação/Secom-JP

A prefeitura de João Pessoa vai colocar em prática na próxima segunda-feira (29) o novo protocolo de flexibilização das medidas adotadas por causa do novo Coronavírus. Pelas novas regras, o sistema de transporte urbano volta a funcionar, porém, com uso de protocolos para restringir a lotação dos veículos. O detalhamento será apresentado às 10h, nesta sexta-feira (26), pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV). Há discussões sobre permitir lotação máxima não superior a 60% do especificado pelo fabricante.

Quem estava esperando a abertura dos shoppings e do comércio, formal e informal, terá que esperar um pouco mais, para a terceira fase da flexibilização. Pelas regras estabelecidas anteriormente, também estarão fechadas as praias, praças e parques, além das feiras livres, academias, museus, cinemas, teatros e atividades educacionais. Os serviços públicos não essenciais também terão restrições.

A boa notícia neste momento é para os profissionais liberais. Advogados, contabilistas e outros profissionais chegaram a entrar na Justiça para garantir o funcionamento e tiveram as atividades barradas. Agora, eles poderão abrir as portas para o atendimento ao público com o atendimento de protocolos de segurança. A alimentação em bares e restaurantes continuarão ser feita através de delivery e drive thru. O mesmo vale para o varejo e os shoppings.

As atividades religiosas também poderão progredir, mas para parâmetros que ainda serão anunciados pelo prefeito. Todas as outras atividades terão que esperar a progressão prevista para a terceira e a quarta fases programadas pela prefeitura. De acordo com informações de auxiliares do prefeito, as restrições de agora são para garantir que não haja segunda onda na capital. Os exemplos citados são os de capitais do Sul, como Curitiba (Paraná) e Porto Alegre (Rio Grande do Sul).

Os números de casos do novo Coronavírus, na capital, continuam altos. Apesar disso, nas últimas duas semanas, a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) caiu de mais de 80% para 56,4%. A ocupação das enfermarias, hoje, é de 49,3%.

Paraibano assume a Divisão de Repressão à Corrupção da Polícia Federal

Delegado responsável pela operação Xeque-Mate, em Cabedelo, foi nomeado pelo diretor-geral da Polícia Federal

Fabiano Emídio vai comandar órgão nacional responsável pelo enfrentamento da corrupção: Divulgação/CBN

O delegado paraibano Fabiano Emídio vai assumir a chefia da Divisão de Repressão à Corrupção da Polícia Federal. O órgão, ligado à Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado, é responsável pelas ações da PF em todo o Brasil. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (25) e foi assinada pelo atual diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza.

Emídio foi o responsável pela condução das investigações que resultaram na ruidosa operação Xeque-Mate, em Cabedelo. A ação resultou na prisão do ex-prefeito Leto Viana (PRP), do ex-presidente da Câmara, Lúcio José, além de outros quatro vereadores, inclusive a então primeira-dama, Jacqueline França (PRP). Outros cinco vereadores foram afastados do cargo.

Reprodução

Covid-19: TCU classifica de ineficiente o Comitê de Crise do governo federal

Ministro paraibano Vital do Rêgo Filho critica medidas “incoerentes” e falta de médicos no corpo técnico

Vital do Rêgo determina que o governo divulgue atas das reuniões do Comitê de Crise/ Foto: Reprodução/G1

Imagine um grupo escalado para enfrentar um incêndio sem um bombeiro. É mais ou menos esta a lógica do Comitê de Crise criado pelo governo federal para enfrentar os efeitos da Covid-19. Não há, sequer, um médico no grupo comandado pelo ministro da Casa Civil, general Braga Neto. As constatações fazem parte do relatório de auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU). O documento, relatado pelo ministro paraibano Vital do Rêgo Filho, se notabilizou por chamar as coisas pelo nome das coisas e “ineficiente” foi o adjetivo mais leve.

Isso pelo fato de o comitê não ser conseguido, sequer, estabelecer as diretrizes do governo para o enfrentamento da crise. Não custa lembrar que os números oficiais falam em quase 54 mil mortes causadas pelo contágio com o novo Coronavírus. No relatório, o ministro afirma que a auditoria na atuação do comitê de enfrentamento da crise “não identificou a definição de diretrizes estratégicas capazes de estabelecer objetivos a serem perseguidos por todos os entes e atores envolvidos”.

O relatório aponta para o risco de desperdício do dinheiro público e mortes causadas pela Covid-19. A falta de médicos na equipe é apontada como um problema grave pelo ministro, que é formado em medicina. Sem fazer referência à militarização do Ministério da Saúde, ele lembrou que o órgão é comandado há mais de um mês de forma interina por um general de formado. Trata-se de Eduardo Pazuello. Vital lembra que “os cargos-chave do Ministério da Saúde, de livre nomeação e exoneração, não vêm sendo ocupados por profissionais com essa formação específica.”

Vital do Rêgo recomendou, também, a inclusão, como membros permanentes do Comitê de Crise da Covid-19, dos presidentes do Conselho Federal de Medicina, da Associação Médica Brasileira e do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, com direito a voz e a voto. Entretanto, como se trata de uma recomendação, o governo não é obrigado a cumpri-la. O ministro criticou, também, a tentativa do governo federal de mascarar a divulgação dos dados oficiais.

O relatório do ministro paraibano foi aprovado por unanimidade. Outra exigência estabelecida foi que, dentro de 15 dias, as atas das reuniões passem a ser publicadas. É o mínimo a ser exigido do governo.

Campina Grande tem o maior índice de propagação do novo Coronavírus na Paraíba

Depois de viver pré-colapso, João Pessoa tem apresentado quadro menos grave

Reprodução

A cidade de Campina Grande é, hoje, a que apresenta o maior índice de propagação do novo Coronavírus na Paraíba. De acordo com levantamento da Secretaria Estadual de Saúde, cada pessoa infectada na cidade contamina pelo menos mais 2,19 outras. O índice é bem maior que o de João Pessoa, que era até bem pouco tempo o epicentro dos contágios no estado da Paraíba.

A cidade tem, atualmente, 5.557 pessoas diagnosticadas com o novo Coronavírus. Deste montante, 76 faleceram. A boa notícia é que, apesar do potencial de contaminações, o número de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ainda é relativamente confortável. São 59% de ocupação dos leitos disponíveis para as pessoas que desenvolvem os casos mais graves da doença.

Inspiram cuidados, também, as cidades de Patos, com índice de propagação de 2,01, e Guarabira, com 1,99. A situação de João Pessoa tem melhorado e o índice de propagação na capital, hoje, é de 1,5. A cidade já liderou o ranking paraibano. A preocupação, agora, é que os índices indicam um ritmo acelerado na interiorização da doença. Atualmente, apenas oito cidades não têm casos registrados no Estado.

Flexibilização

O fato de ter melhorado os números é um indicativo, para os profissionais de saúde, de que a capital poderá progredir primeiro para a faixa amarela. Se isso ocorrer, a flexibilização dos serviços e da atividade econômica poderá ser ampliada. A prefeitura prevê para a próxima etapa de flexibilização o retorno dos transportes públicos na capital.

Paraíba recebe os 84 respiradores retidos pelo Ministério da Saúde

Foi preciso uma decisão judicial para que o governo federal devolvesse os equipamentos comprados pelo Estado

Respiradores serão usados para o atendimento às vítimas da Covid-19. Foto: Divulgação

O Governo da Paraíba recebeu, nesta segunda-feira (22), os 84 ventiladores pulmonares adquiridos pela Secretaria de Estado da Saúde para ampliação de leitos de UTI para as vítimas do Covid-19 e que estavam retidos pelo Ministério da Saúde desde o mês de março. Desta forma, a Paraíba poderá concluir todo o plano de expansão de leitos previsto no Plano Estadual de Contingência para o Covid-19.

Foram investidos R$ 4,3 milhões na compra dos equipamentos, porém foram requisitados de forma administrativa pelo Ministério da Saúde, para atender aos estados em situação crítica e só após ação do Ministério Público Federal foi determinada a entrega para o Governo da Paraíba.

“Nós fizemos a compra e a Justiça determinou, por meio de uma ação dos Ministérios Públicos Federal e Estadual, que a empresa fizesse a entrega. Os 84 respiradores darão um alívio extraordinário para toda a rede hospitalar porque vamos praticamente fechar o nosso Plano de Contingência, fazendo com que o percentual de ocupação dos leitos de UTI caia ainda mais, oferecendo mais segurança à população”, destacou o governador João Azevêdo.

O Secretário estadual de saúde, dr. Geraldo Medeiros destacou que “nenhum paciente paraibano ficou em lista de espera aguardando leito de UTI. Isso demonstra a eficiência do plano de contingência, criado ainda no fim de janeiro, nos primeiros indícios que a pandemia atingiria o nosso estado”. O Plano Estadual de Contingência para o Covid-19 prevê a criação de 412 leitos de UTI em hospitais de gestão estadual, municipal e federal.

Com informações da Secom-PB

Cartaxo anuncia volta do transporte público para a segunda fase de flexibilização

Plano para a flexibilização foi entregue nesta segunda-feira e prefeitura vai analisar protocolos

Luciano Cartaxo diz que os protocolos serão analisados para o retorno da atividade. Foto: Roberto Firmino/Secom-JP

A prefeitura de João Pessoa anunciou para a segunda fase de flexibilização o retorno do transporte público de passageiros. O anúncio foi feito pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV) após reunião com representantes do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Sintur). O gestor ressaltou que o funcionamento terá que obedecer os parâmetros estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O encontro ocorre depois de vários protestos de motoristas, que cobram o retorno da atividade.

“Recebemos todo o material proposto pelo setor de transportes com relação às novas normas, ao protocolo que está sendo sugerido. A Prefeitura tem feito esse acompanhamento passo a passo para que possamos fazer o retorno seguro e sem jogar fora todo o esforço que foi feito não só pela nossa gestão, mas também pelo povo de nossa cidade. Nossa ideia é dar passos seguros que garantam a preservação da vida e saúde de nosso povo”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

Segundo o prefeito, a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) irá avaliar as propostas do setor e alinhá-las às normas de segurança estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e aos protocolos estabelecidos na Capital pela Secretaria de Saúde (SMS), feitos por médicos e sanitaristas. Todas as ações a serem adotadas no retorno da circulação dos ônibus, assim como de outros setores, se dará mediante análise de avaliação de risco.

A progressão vai depender da evolução do município no esquema de faixas estabelecido pelo governo do Estado. Atualmente, João Pessoa está classificada com faixa laranja. Para progredir, terá que evoluir para a faixa amarela, o que pode ocorrer já na semana que vem. Ao todo, a cidade conta 8.336 infectados pelo novo Coronavírus e 315 pessoas morreram até agora.

Desde o mês de março, o transporte público teve as atividades paralisadas dentre as ações adotadas para evitar aglomerações e os ônibus passaram a circular apenas para o transporte de profissionais e trabalhadores da área da saúde, que estão na linha de frente das ações de combate à pandemia. Durante todo este período, o distanciamento social segue como a principal medida para conter a propagação da Covid-19. Mesmo com o início do Plano Estratégico de Flexibilização, a orientação para que as pessoas permaneçam em casa e só saiam em caso de necessidade, segue como válida. No espaço público, o uso de máscara também segue como obrigatório.

Famup articula criação de protocolo para volta do trabalho presencial nas prefeituras

Contaminações já são registradas em 95% das cidades e pelo menos 766 pessoas morreram

George Coelho diz que a Famup dará contribuição para a reabertura. Foto: Divulgação/Famup

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) está iniciando uma discussão com os prefeitos paraibanos para a retomada do trabalho presencial dos servidores públicos. A meta, com isso, é observar os parâmetros para o retorno dos serviços oferecidos à população. Ainda não há um plano acabado para a retomada.

O órgão definiu que vai buscar a contribuição das administrações municipais para a formulação de um protocolo. As diretrizes vão ditar o ritmo da flexibilização. Um dos parâmetros é obedecer o regramento das bandeiras instituídas por decreto estadual.

“Temos que discutir também como ficará a administração pública e os mais diversos atendimentos e obrigações que devem ser cumpridas. Vamos iniciar uma discussão com os gestores para saber como poderemos formular um protocolo de funcionamento e retorno das atividades presenciais nas repartições públicas”, disse o presidente da Famup, George Coelho.

De acordo com dados da Secretaria de Saúde da Paraíba, os casos confirmados estão distribuídos por 213 municípios. As cidades de Camalaú, São Domingos do Cariri e Zabelê confirmaram o primeiro caso de Covid-19 na última terça-feira (16). Já as cidades de Bayeux e Mamanguape ultrapassaram a marca de 600 casos confirmados da doença.

O Plano ‘Novo Normal Paraíba’ indica os segmentos autorizados a retomar atividades com mudanças no formato de funcionamento. O plano foi desenvolvido pela Secretaria de Saúde e pela Controladoria Geral do Estado e é baseado em indicadores como a quantidade percentual de novos casos, letalidade (óbitos), ocupação da rede hospitalar da região e percentual de isolamento social.

Cada município recebe uma bandeira de cor, que varia de vermelho ao verde, de acordo com índices de propagação do vírus e risco para a população com relação à assistência hospitalar. Com esta informação, observa-se quais tipos de negócios podem ser abertos e como devem funcionar. Será com base nessas bandeiras e fases que a Famup montará um protocolo de retorno das atividades administrativas.

Polícia prende suspeitos de roubar prefeitos usando nome do presidente do TCE

Falsários usavam nome do presidente do TCE para pedir dinheiro emprestado aos gestores

O conselheiro Arnóbio Alves foi vítima dos golpistas. Foto: Divulgação/TCE-PB

Dois homens foram presos em Natal, no Rio Grande do Norte, acusados de aplicar golpes na Paraíba. Eles usavam o nome do presidente do Tribunal de Contas do Estado, Arnóbio Viana, para pedir dinheiro a prefeitos. Do ano passado para cá, pelo menos 16 gestores alegaram ter sido vítimas do golpe.

Eles foram presos em ação conjunta dos gabinetes militares dos Tribunais de Contas da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Eles identificaram dois homens que tinham forjado um perfil falso com o nome do presidente do TCE para aplicar os golpes.

O coronel da Polícia Militar, Souza Neto, assessor militar do TCE-PB, participou das investigações. Os suspeitos foram encaminhados por uma guarnição da Polícia Militar do Rio Grande do Norte para Delegacia de Plantão Zona Sul de Natal, no sábado.

Segundo o termo de declaração tomado na Delegacia da Policia Civil de Natal, os suspeitos foram identificados como Magno Lacerda da Costa e Enock Santos Lima Júnior. Um deles confessou a participação no golpe.

O golpe consiste em telefonemas, em nome do presidente do TCE, para gestores públicos então solicitados a retornar as ligações. Ao assim proceder, a vítima é informada de que deve fazer transferência de dinheiro para uma conta da Caixa Econômica Federal com agência em Natal. Nos perfis falsos aparecia a foto dos conselheiros, mas o número de telefone usado não era dessas autoridades.

Mesmo o TCE-PB tendo informado por circular que esses estelionatários continuavam agindo e investindo contra gestores paraibanos. As investigações devem continuam para desbaratar outras células dos golpistas. Com suspeitos foram apreendidos dois aparelhos celulares e um extrato de conta bancária.