Executivo 15:35

Interventor do PT pede exoneração do Estado e põe retirada da candidatura de Anísio como meta

Interventor do PT diz que a única saída para o campo progressista será se unir em torno da candidatura de Ricardo

Gleisi Hoffmann defende a candidatura do ex-governador Ricardo Coutinho. Foto: Divulgação

 

O presidente da Comissão Interventora nomeada para o comando do Diretório Municipal do PT, em João Pessoa, Cícero Gregório de Lacerda Legal, estabeleceu a retirada da candidatura de Anísio Maia (PT) como meta. O grupo foi nomeado pelo Diretório Nacional da sigla com o objetivo de tentar “salvar” a aliança com o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB).

O Diretório Nacional bancou a aliança com os socialistas, mas o Municipal decidiu manter a candidatura própria, que tem o empresário Percival Henriques (PCdoB) como vice. O movimento feito em João Pessoa é similar ao que ocorre em São Paulo, onde Jilmar Tatto (PT) poderá ter a candidatura retirada para fortalecer o nome de Guilherme Boulos (PCdoB), que se encontra na frente nas pesquisas.

“Vamos tentar fazer com que eles (do Diretório Municipal) entendam que o momento é de fortalecer o campo progressista, reforçando a candidatura de Ricardo Coutinho que é o único neste momento capaz de fazer o enfrentamento com a direita e a extrema direita em João Pessoa”, disse Gregório, citando o avanço dos candidatos bolsonaristas na capital paraibana.

O discurso segue no mesmo sentido do adotado pela presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann, que, recentemente, acusou Anísio de ser o candidato do “governador (João Azevêdo) e da direita de João Pessoa”. O comentário incomodou o candidato que, nesta quinta-feira (15), em entrevista à CBN, disse que a dirigente vai se arrepender no futuro desta declaração.

A nomeação de Cícero Gregório fez com que os petistas ligados a Anísio compartilhassem, mas redes sociais, a ligação próxima dele com Luiz Couto, que é secretário de Agricultura Familiar do Estado. Isso faria com que, na visão destes petistas, o interventor é quem fosse próximo do governador. O dirigente, no entanto, negou a ligação e anunciou o pedido de exoneração do Estado.

A estratégia da Comissão Interventora do PT vai ser esperar a decisão da Justiça Eleitoral em relação ao recurso que visa a retirada da candidatura de Anísio Maia. O Diretório Nacional já perdeu a queda de braço na primeira e na segunda instância. Agora, recorre para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Anísio diz que o grupo dele vai lutar para manter a candidatura.

O Diretório Nacional indicou, por outro lado, o ex-vereador Antônio Barbosa para a chapa de Ricardo Coutinho. O nome dele, no entanto, foi retirado por decisão judicial. Atualmente, a vice é ocupada pela ex-vereadora Paula Frassinete (PSB). Caso seja viabilizada, a coligação incluirá PSB, PT e PCdoB.

Veja a nota do Diretório Nacional

Reprodução

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *