Executivo 17:48

Pandemia: diante de Onyx Lorenzoni, João Azevêdo faz cobranças ao governo Bolsonaro

A COVID-19 já matou 2,8 mil pessoas na Paraíba desde o início da pandemia

João Azevêdo e Onyx Lorenzoni assinaram convênio para a aquisição de alimentos. Foto: Hebert Araújo/CBN

 

O governador João Azevêdo (Cidadania) fez duras críticas à postura do governo federal no enfrentamento ao novo Coronavírus. As queixas foram feitas diante do ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, que esteve na Paraíba, nesta terça-feira (29), para assinatura de convênio com o governo do Estado. O ato foi para assinatura do Termo de Adesão que visa garantir mais recursos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

As cobranças não tiveram a ver com o programa, que foi motivo de agradecimentos. A crítica, na verdade, foi motivada pela postura omissa do governo federal frente ao enfrentamento da Covid-19. O gestor paraibano lembrou a postura errádica do mandatário, que seguiu no sentido contrário às orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e defendeu que a atividade econômica funcionasse da mesma formal.

“Faltou coordenação do governo federal para enfrentar (a pandemia) e (faltou) dizer que tem que ser assim. Para todo mundo seguir junto naquela direção, que teria sido mais fácil para todo mundo. Essa situação gerou problema. Cada Estado seguiu numa direção”, disse o governador, lembrando que a questão, agora, diz respeito à disponibilização da vacina contra a Covid-19.

“É o apelo que faço para que Vossa Excelência (Onyx) leve para o presidente, para o ministro da Saúde (Eduardo Pazuello). Não vamos deixar agora que se precisa da vacina, que o governo federal deixe acontecer como da outra vez. O governo federal tem que puxar para si a responsabilidade de dizer: as vacinas serão distribuídas pelo governo federal. Vacina não tem partido político, vacina não tem ideologia, não é de direita, não é de esquerda, não interessa em que país foi feita”, disse João Azevêdo.

O governador paraibano lembrou que tem estado comprando a vacina, por ter mais dinheiro. A referência foi a São Paulo, estado governado por João Dória (PSDB). “A vacina tem que ser distribuída para todo o mundo. Para não acontecer como ocorre hoje. Estado tal, que tem mais dinheiro, está comprando vacina. O estado lá não sei da onde está fazendo convêncio para comprar vacina. E os outros?”, questionou o gestor.

Até o momento, 120.654 pessoas já contraíram a doença na Paraíba. Delas, de acordo com os dados oficiais, 2.816 faleceram. A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 34%.

Quer receber todas as notícias do blog? Basta clicar no link abaixo e se cadastrar para receber notícias automáticas no WhatsApp.

https://chat.whatsapp.com/LjSHneKlLUKKzBM0oa0Lpd

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *