Judiciário 12:41

Ministério Público quer multa de R$ 20 mil para quem fizer convenções presenciais

Promotora alega falta de condições sanitárias por causa da pandemia do novo Coronavírus para a realização dos eventos

Convenções em vários municípios da Paraíba têm terminado em festa. Foto: Reprodução/Youtube

 

As coisas não andam bem, nos municípios do interior, para os pré-candidatos interessados em realizar convenções de forma presencial. A promotora eleitoral da Comarca de Ingá, Cláudia Cabral Cavalcante, ingressou com uma representação eleitoral contra PDT, PSL, MDB, PROS, PV, PSDB e PP. Caso o pedido seja atendido, os postulantes destes partidos que insistirem em realizar convenções presenciais, poderão ser multados em R$ 20 mil.

Ingá é uma das sete cidades onde o Ministério Público Eleitoral vem defendendo sanções contra postulantes que ignorarem as regras de distanciamento. Além de Ingá, houve recomendações para a realização de convenções virtuais em Sapé, Mari, Riachão do Poço, Sobrado, Santa Rita e Lucena. Nestas duas últimas cidades, a recomendação é que haja, inclusive, a prisão dos responsáveis pelos eventos que descumpram o distanciamento social.

Ingá

Na ação, a representante do Ministério Público argumenta sobre a representação: “Estamos diante de um evento de saúde mais grave e mortífero dos últimos 102 anos que no Brasil. Até 25 de agosto de 2020, haviam sido contabilizados no Brasil 3.669.995 contaminados e 116.580 mortos, segundo dados oficiais divulgados pelo Ministério da Saúde. E no Estado da Paraíba os números continuam elevados. Até 30 de agosto de 2020, 18h, foram 105.661 contaminados e 2.435 mortos”.

Cláudia Cabral frisou, ainda, a situação no Município de Ingá que, até 8 de setembro (última terça-feira), tinha confirmado 1.415 casos e 16 mortes. “Dados que fizeram com o Governo do Estado da Paraíba, ao atualizar seus dados e determinar os níveis necessários de isolamento para cada cidade, na 7ª avaliação com início da vigência em 7 de setembro de 2020, atribuir o status de ‘bandeira amarela’ para este menor ente federativo, ou seja, ficará definido que a mobilidade deve ser reduzida, de forma que atualmente nos encontramos no terceiro nível mais rígido de distanciamento e isolamento social, justamente pelas informações que se colhem nos levantamentos diários e da estrutura limitada de saúde que esta urbe proporciona”, destacou.

Mais Notícias

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *