Covid-19: morte do prefeito de Ingá “encerra” disputa política com o vice

Robério Burity assumiu o cargo interinamente em meio a protestos e deve ser efetivado no cargo

Prefeito de Ingá, Manoel da Lenha, morre por Covid-19, na Paraíba — Foto: Reprodução/Facebook

A morte do prefeito de Ingá, Manoel Batista Chaves Filho (PSD), o Manoel da Lenha, encerrou um confronto político acirrado com o vice, Robério Burity. Os dois romperam politicamente pouco depois da posse, em 2017. Nesta quarta-feira (15), antes da confirmação da morte do gestor, Burity foi empossado interinamente no cargo, em meio a protestos e muita gritaria em frente à Câmara.

Manoel da Lenha estava internado no Hospital Santa Clara, em Campina Grande. A morte foi confirmada na manhã desta quinta-feira. A sobrinha dele, secretária adjunta de Saúde de Ingá, Ezilãene Chaves, não soube confirmar se a morte aconteceu na noite da quarta-feira (15) ou já nesta quinta-feira. Em nota, nas redes sociais, o prefeito empossado lamentou a morte do ex-aliado. Manoel da Lenha tinha 64 anos.

Em contato com o blog, a assessoria de imprensa do ainda gestor interino disse que foi decretado luto oficial de três dias na cidade. Ele assegurou que as divergências entre os dois eram de cunho político e não pessoais. O mesmo foi dito por Burity em publicação nas redes sociais. A assessoria assegurou, também, que “não haverá caça às bruxas” e que não há previsão, ainda, de reforma administrativa.

Manoel da Lenha estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do hospital desde o dia 5 deste mês. Durante a posse do prefeito, nesta quarta-feira, os aliados de Manoel da Lenha criticaram Burity, que foi acusado de manobrar para tomar posse antes do prazo legal de 15 dias de afastamento. Ainda não há data para a posse em definitivo do interino.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *