Após negar rompimento com Cartaxo, Diego se encontra com Cícero e Aguinaldo

Menu da reunião desta sexta contou com vinho e troca de ideias sobre a disputa eleitoral deste ano

Diego Tavares se encontra com Cícero Lucena e Aguinaldo Ribeiro. Foto: Francisco França

O ex-secretário de Desenvolvimento Humano da prefeitura de João Pessoa, Diego Tavares, sentou à mesa nesta sexta-feira (31) com Cícero Lucena e Aguinaldo Ribeiro, ambos do PP. A conversa, segundo interlocutores, ocorreu em uma casa da Região Metropolitana. Diego foi acompanhado do pai, Reginaldo Tavares. A conversa foi “regada” a vinho e muitas elocubrações sobre a disputa eleitoral deste ano. Cícero é pré-candidato a prefeito da capital.

Diego era um dos contados pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV) para a disputa eleitoral deste ano, mas foi preterido na disputa interna. A escolhida por Cartaxo foi Edilma Freire. Sem esconder a mágoa pelo ocorrido, Diego silenciou por uma semana. Nesta sexta, deu declarações e divulgou nota dizendo que não iria romper com o prefeito.

O encontro dele com os progressistas, no entanto, é emblemático. Diego é suplente da senadora Daniella Ribeiro, irmã de Aguinaldo, e tem bom trânsito com Cícero. O ex-auxiliar da prefeitura marcou para a semana que vem uma reunião com Luciano Cartaxo. Há quem diga que o roteiro da conversa vai ser profundamente influenciado pelo diálogo de hoje. Façam suas apostas…

Galdino recebe sinal verde da nacional para comandar o Avante na Paraíba

Ainda filiado ao PSB, por causa da lei eleitoral, Adriano Galdino escala a mulher, Eliane, para a presidência estadual

Adriano Galdino, Eliane e Tibé estiveram reunidos para discutir a sucessão no comando do partido. Foto: Divulgação/Avante

O presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB), vai comandar o Avante, na Paraíba. O compromisso foi assumido pelo presidente nacional do partido, Luís Tibé. Os dois se encontraram nesta sexta-feira (31) e fecharam a questão. Como o parlamentar ainda não pode deixar a sigla socialista, por causa da lei eleitoral, a mulher dele, Eliane Galdino, foi escalada para a missão. Ela vai disputar a prefeitura de Pocinhos neste ano. A cidade é o berço político da família.

Em visita à Paraíba, Tibé disse que a sigla será protagonista na disputa eleitoral deste ano no estado. Sob o comando do ex-deputado Genival Matias, na última eleição, o partido elegeu a segunda maior bancada da Assembleia. Matias faleceu há duas semanas, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico. A reunião contou com a participação, também, do prefeito de Juazeirinho, Bevilacqua Matias, irmão de Genival, além de lideranças políticas e familiares do ex-deputado.

No encontro, a escolha de Eliane para o comando do partido foi unânime. Galdino disse que vai mudar de sigla assim que houver a abertura da janela partidária, em 2022. Quando isso acontecer, assumirá o comando do partido. O presidente da Assembleia Legislativa disse que antes mesmo de falecer, Genival Matias já o havia convidado para se filiar ao partido, com a promessa de que ele teria o comando da sigla.

Prefeitura de João Pessoa: “Procura-se Socorro Gadelha desesperadamente”

Depois de confirmar volta para a Secretaria de Habitação, Socorro Gadelha não aparece, desliga o telefone e “abandona grupo dos secretários”

Socorro Gadelha não apareceu na Secretaria e deixou o grupo de secretários. Foto: Arquivo Pessoal

A posse de Socorro Gadelha na Secretaria de Habitação de João Pessoa não aconteceu nesta sexta-feira (31). O nome dela foi anunciado pelo prefeito Luciano Cartaxo (PV) e a posse confirmada pela assessoria do governo municipal nas primeiras horas da manhã. A surpresa entre os cartaxistas é que ela não compareceu e desligou o celular e abandou o grupo de secretários no WhatsApp poucos minutos após ser inserida. Os outros secretários dizem não entender o que está ocorrendo.

Socorro Gadelha foi escalada pelo prefeito como candidata a pré-candidata para as eleições deste ano. Ela integrou o rol de nomes que incluía Daniella Bandeira (Planejamento), Diego Tavares (Desenvolvimento Humano) e Edilma Freire (Educação). Edilma foi a escolhida para a disputa. Diego Tavares decidiu não voltar para o antigo cargo. Daniella Bandeira voltou para o Panejamento e Socorro era esperada na Secretaria de Habitação.

Socorro Gadelha abandona o grupo de secretários da Prefeitura de João Pessoa. Foto: Reprodução/WhatsApp

Socorro entrou em contato com a Secretaria de Comunicação na manhã desta sexta-feira, pediu a inclusão de obras no roteiro de entregas da prefeitura para o aniversário da cidade, mas não apareceu para o trabalho. Na prefeitura, ninguém informa o paradeiro da secretária. A assessoria do prefeito Luciano Cartaxo nega que a secretária tenha “desaparecido”. Entre os colegas secretários, no entanto, o otimismo em relação ao retorno dela não é grande. Todos, no entanto, demonstram surpresa.

Há quem diga que o fato de ela ter sido inserida no grupo pela Socorro Gadelha (homônima) e ter abandonado o grupo em seguida diz muito sobre o futuro da secretária. “Ela parece que estava amuada”, disse em reserva um secretário. Façam suas apostas…

 

Deu o esperado: Romero Rodrigues cancela o São João de Campina Grande

Prefeito alega prolongamento da pandemia do novo Coronavírus para cancelar o São João

Romero Rodrigues citou casos de outros estados para justificar a decisão. Foto: Reprodução/Instagram

Depois de meses analisando o cenário e o nível de propagação da pandemia do coronavírus, o prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSD) decidiu cancelar a realização do São João da cidade este ano. A festa, que havia sido adiada de junho para outubro, estava sendo projetada pelo município a partir da adoção de protocolos de segurança.

A prefeitura manteve por alguns meses o intuito de realizar a festa, mas o prolongamento da pandemia fulminou quaisquer perspectivas de realização do evento. Ano passado o São João de Campina Grande fez circular R$ 290 milhões na cidade.

O anúncio do cancelamento foi feito na manhã de hoje, através das redes sociais. ” A curva da doença na cidade tem caído, mas estamos falando de um evento de âmbito nacional e internacional. Com tristeza, a gente anuncia que não será possível realizar o evento este ano. O que a gente pode é desejar toda sorte do mundo para o próximo ano”, informou o prefeito Romero Rodrigues.

A decisão segue uma postura já adotada por outras cidades brasileiras, que também realizam eventos importantes. O Rio de Janeiro, por exemplo, já cancelou a realização do réveillon no modelo tradicional, com grande público. São Paulo adiou, inclusive, o carnaval de 2021 por conta da pandemia. No Nordeste a prefeitura de Caruaru também decidiu, há tempos, cancelar as festividades no formato convencional.

Campina Grande já registrou 9.775 casos de covid-19, com 227 mortes – conforme informações da Secretaria de Saúde do município.

Do blog Pleno Poder, do jornalista João Paulo Medeiros, do Jornal da Paraíba

Diego Tavares não rompe com Cartaxo, mas também não volta para a prefeitura

Ex-secretário não esconde desconforto com escolha de Edilma Freire para a disputa da prefeitura, mas evita polêmica

Diego Tavares diz que não vai romper com o prefeito Luciano Cartaxo. Foto: Francisco França

O ex-secretário de Desenvolvimento Social de João Pessoa, Diego Tavares (PV), negou nesta sexta-feira (31) a intenção de romper com o prefeito Luciano Cartaxo, do mesmo partido. Ele não esconde de ninguém o desconforto com a escolha de Edilma Freire para a disputa da prefeitura. O ex-auxiliar sonhava com a indicação do grupo para disputar a sucessão do prefeito. Ele, inclusive, compôs o rol de nomes apontados como virtuais candidatos da sigla.

Diego revela que preferiu o recolhimento no momento em que entendeu que a escolha tinha sido feita. O limiar foi a última terça-feira (28), quando o secretário de Desenvolvimento Urbano, Zennedy Bezerra, fez defesa pública de Edilma. Vale lembrar que em 2018 foi o próprio Zennedy que tornou pública a indicação de Lucélio Cartaxo, irmão do prefeito, para a disputa do governo do Estado. O secretário, para muitos, funciona como porta-voz do prefeito.

Tavares diz que agora vai se dedicar à atividade empresarial. Pessoas próximas a ele dizem que o agora ex-virtual candidato a prefeito vai se afastar da disputa eleitoral. Havia conversas de bastidores indicando rompimento com Cartaxo e adesão dele à pré-candidatura de Cícero Lucena, do PP. A sigla abriga a senadora Daniella Bandeira, que tem Diego Tavares como primeiro suplente na Casa Alta. Houve especulação, inclusive, de que ele venha a assumir a vaga no Senado por alguns meses.

Diego Tavares ficou de divulgar nota nesta sexta-feira. Ele disse que vai se encontrar com Luciano Cartaxo na semana que vem, quando discutirá sobre as eleições deste ano. Ao blog, ele disse entender que o momento é de Edilma e ele não pretende rivalizar com isso. O prefeito Luciano Cartaxo anunciou o retorno, nesta sexta, de Daniella Bandeira e Socorro Gadelha para as pastas de Planejamento e Habitação, respectivamente.

Diego, Daniella e Socorro compuseram o grupo de candidatos a pré-candidatos do partido que foram retirados da gestão em junho para figurarem como reserva técnica.

Justiça mantém decisão e manda Cássio devolver mais de R$ 1,1 milhão recebidos indevidamente do erário

Ex-senador acumulou por quase quatro anos montante acima do teto do funcionalismo relativo à soma de pensão e subsídios pagos pelo Senado

Cássio Cunha Lima durante sessão no Senado Federal. Foto: Divulgação/Senado

O ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) terá que devolver mais de R$ 1,1 milhão ao erário por conta do recebimento de salários acima do teto constitucional por quase quatro anos. Ele havia sido condenado pela juíza pela Wanessa Figueiredo dos Santos Lima, da 2ª Vara Federal da Paraíba, em janeiro, porém, a defesa interpôs embargos. A magistrada, no entanto, manteve a decisão nesta semana em todos os pontos do pedido do Ministério Público relativo à devolução do dinheiro.

De acordo com a denúncia, o ex-senador acumulou entre janeiro de 2013 e maio de 2018 o pagamento dos subsídios da pensão que era paga aos ex-governadores e os relativos ao salário de senador. Para o efeito de cobrança, no entanto, o lapso temporal contado começa em novembro de 2014, por ter sido quando o ex-senador foi denunciado pelo MPF. A soma superava o teto do funcionalismo em vigor na época, equivalente ao salário do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Ou seja, R$ 33,7 mil. Este era o valor recebido pelo ex-parlamentar no Senado, que era acrescido da pensão de R$ 23,5 mil.

O excedente recebido pelo ex-senador no período foi de R$ 26,723,13 mensalmente. O curioso desta história foi que quando chegou ao Senado, em ofício encaminhado ao governo, o senador abriu mão corretamente dos valores que superavam o teto. O problema é que anos depois ele pediu e voltou a receber o benefício. O tema, inclusive, foi usado politicamente contra ele na campanha eleitoral daquele ano. A justificativa do parlamentar era que o recurso ia para a ex-mulher, a título de pensão.

Em maio de 2018, a mesma magistrada já havia decidido sobre a ilegalidade do pagamento do benefício. Na época, ela determinou que os subsídios pagos a título de salários ao ex-senador fossem reduzidos a R$ 10.262,18, o equivalente ao necessário para se atingir o teto de R$ 33.763,00. Antes disso, o parlamentar acumulava R$ 57.263,82 de salários, contanto que ele recebia integralmente os valores pagos pelo governo do Estado e pelo Senado.

Em nova decisão, esta de janeiro, atendendo pedido do Ministério Público Federal, o ex-senador foi condenado pela magistrada a restituir os valores pagos em excesso. No recurso impetrado pela defesa de Cássio, era alegado, entre outros pontos, que os valores pagos pelo governo do Estado cuidava-se do “instituto da pensão especial, que não se confunde com a pensão previdenciária, porquanto esta última decorre da aplicação das normas previdenciárias, quer pela natureza contributiva e solidária do regime próprio dos servidores públicos (art. 40 da CF), quer pela aplicação das normas do regime trata a análise da regularidade do recebimento da pensão de ex-governador de modo superficial, portanto, obscuro, aduzindo apenas que ‘não está em questão nesta demanda a regularidade dessa vantagem’ (ao se referir a pensão especial), presumindo-se, ainda, que ‘tal vantagem é legítima’.”

Os argumentos não foram acatados pela magistrada, que lembrou, na sua decisão, a Ação Direta de Inconstitucionalidade encarada pelo Supremo Tribunal Federal em 2018 e que decidiu pela inconstitucionalidade da lei que vigorava na Paraíba. Ainda cabe recurso para instâncias superiores. O blog entrou em contato com o ex-senador Cássio Cunha Lima, mas ainda não obteve resposta.

Após escolha de Edilma: Cartaxo empossa Daniella e Socorro na prefeitura. Diego silencia

Informações de bastidores dão conta de que ex-secretário de Desenvolvimento Social vai anunciar o rompimento com Cartaxo

Daniella Bandeira é uma das secretárias que voltam para prefeitura. Foto: Divulgação/Secom-JP

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), dá posse a Daniella Bandeira e Socorro Gadelha, nas secretarias de Planejamento e Habitação Social, respectivamente, nesta sexta-feira (31). As secretárias retornam à gestão para dar continuidade ao trabalho que vinham desenvolvendo na Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP).

As duas estiveram entre os secretários que deixaram a prefeitura em junho para colocar o nome à disposição para a disputa da prefeitura da capital. Os outros nomes foram Diego Tavares (Desenvolvimento Social) e Edilma Freire (Educação). Esta última, vale ressaltar, foi a escolhida pelo prefeito para disputar a sucessão municipal. Com isso, Tavares sobrou na curva. Enquanto Daniella e Socorro manifestaram apoio a Edilma, Diego silenciou e deve anunciar o rompimento nesta sexta.

Daniella Bandeira esteve à frente de projetos importantes e históricos na cidade, como as obras de proteção da Barreira do Cabo Branco e no planejamento e execução de outras intervenções como Largo de Tambaú e Avenida Passeio Epitácio Pessoa, bem como do João Pessoa Sustentável, em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Já Socorro Gadelha é responsável pela execução do maior programa habitacional da história de João Pessoa, com mais de 10 mil casas até o final deste ano, e ainda da entrega de títulos de regularização fundiária em diversos bairros da cidade, realizando o sonho da casa própria a milhares de pessoas.

Em live, Luciano Cartaxo confirma nome de Edilma Freire para a disputa da prefeitura pelo PV

Prefeito de João Pessoa fez balanço da gestão, ressaltando legado da Educação, pasta comandada até pouco tempo por Edilma

Luciano Cartaxo na live com a professora Edilma Freire. Foto: Reprodução/Instagram

Deu o esperado. O prefeito Luciano Cartaxo (PV) confirmou a professora Edilma Freire para a disputa da prefeitura de João Pessoa pelo Partido Verde. O nome dela era um dos quatro colocados para a disputa, mas desde o início era visto como o mais provável. Dois pontos eram elencados por pessoas próximas como essenciais: o legado de investimentos na Educação na cidade e os laços de parentesco. Este último ponto, no entanto, é sempre negado pelos cartaxistas como essencial.

A apresentação ocorreu durante uma live, que começou com Cartaxo fazendo um balanço da gestão. Ele falou do que foi feito para sanar as contas públicas e investimentos em obras, educação e saúde. A Educação foi apresentada como a área que mais avançou. “Ela (Edilma) fez uma verdadeira revolução silenciosa na Educação de João Pessoa”, ressaltou o prefeito, dizendo ter aprendido com Edilma que “a Educação é a mãe de todos os programas sociais”.

Convidada a falar, Edilma relembrou um pouco da origem dela e o trabalho na Educação. Lembrou também o fato de ter atuado como conselheira tutelar. Disse ainda ter percorrido a cidade para conhecer a realidade das escolas e as condições sociais das pessoas. “Fundamos a maior rede de creches da história desta cidade”, disse, destacando a importância da estrutura para as famílias que precisam trabalhar e deixar os filhos menores abrigados.

Com a escolha de Edilma, os ex-secretários Diego Tavares (Desenvolvimento Social), Daniella Bandeira (Planejamento) e Socorro Gadelha (Habitação) poderão voltar para a gestão. Eles se deixaram os cargos para colocar o nome à disposição para a disputa. Dos três, apenas Diego manteve o silêncio após tomar conhecimento no último fim de semana de que o nome de Edilma Freire tinha sido o escolhido. Restaria apenas a decisão ser tornada pública, o que ocorreu nesta quinta-feira.

Os três ex-secretários que foram preteridos na escolha foram elogiados pelo prefeito. Diego Tavares foi destacado, inclusive, como um nome que foi indicado, em 2018, para disputar a vaga de suplente de senador de Daniella Ribeiro (PP). “Hoje ele ocupa este cargo”, disse. As especulações são de que o ex-auxiliar, inclusive, deve anunciar o rompimento com o esquema do prefeito.

O prefeito, antes do anúncio, se reuniu com vereadores do PV e partidos aliados para pedir o empenho do grupo na disputa das eleições deste ano. A sigla agora parte para a escolha de um nome para a vaga de vice, que deverá sair de um dos partidos aliados.

Foto de Diego e Daniella Ribeiro: há quem diga representar mais que um #TBT

Preterido pelo PV, há quem diga que Diego Tavares poderá romper com grupo de Cartaxo

Os próximos capítulos da novela em que se transformou a escolha do candidato do PV, em João Pessoa, poderão trazer algumas surpresas. Uma delas é a saída de Diego Tavares da base aliada do prefeito Luciano Cartaxo (PV). O verde anuncia nesta quinta-feira (30), às 19h, em uma live, o nome escolhido para disputar a prefeitura de João Pessoa. Tavares nutria esperança de que ele fosse o escolhido, porém, a queda de braço foi vencida por Edilma Freire.

Dos três outros nomes cotados inicialmente para a disputa (Daniella Bandeira, Socorro Gadelha e Diego Tavares), Diego foi o único a não manifestar apoio à escolha de Edilma. Nas redes sociais, nesta quinta, a presidente municipal do PP, Vaulene Rodrigues, publicou foto dela ao lado da senadora Daniella Ribeiro (PP) e Diego Tavares (PV). A publicação, em ritmo de #TBT, lembra a campanha eleitoral de 2018, quando Diego foi guindado à condição de primeiro suplente de Daniella.

O PP vai lançar a candidatura do ex-senador Cícero Lucena em João Pessoa. Há quem diga, nos bastidores da política pessoense, que Diego Tavares se prepara para assumir a titularidade do mandato de senador por alguns meses. Tirem suas conclusões…

Ex-prefeito de Duas Estradas é preso por apenas “fingir” prestação de serviços à comunidade

Ex-gestor vinha apresentando comprovantes falsos de prestação de serviços à comunidade e foi preso pela PF em João Pessoa

Polícia Federal atendeu determinação da Justiça para a prisão. Foto: Kleide Teixeira

O ex-prefeito de Duas Estradas, Roberto Carlos Nunes, foi preso nesta quinta-feira (30), em João Pessoa, pela Polícia Federal. O ex-gestor já cumpria pena restritiva de direitos, mas decidiu abusar da confiança. De acordo com o Ministério Público Federal, ele vinha falsificando os comprovantes da prestação de serviços à comunidade imputada como pena. Por conta disso, o MPF ajuizou nova ação na Justiça Federal pedindo a prisão do suspeito.

O mandado de prisão foi determinado pela 12ª Vara da Justiça Federal, a pedido do Ministério Público Federal em Guarabira. O órgão pediu à Justiça a conversão da pena anterior em privativa de liberdade. O pedido foi aceito e o gestor foi condenado a 7 anos, 8 meses e 15 dias de reclusão (em regime fechado) e 336 dias-multa, cada um no valor de 1/10 do salário-mínimo vigente ao tempo do fato delituoso, pelos crimes de falsidade material de documento (artigo 297 do Código Penal), falsidade ideológica (artigo 299 do Código Penal).

A Justiça também determinou também a conversão da pena anterior em prisão e o respectivo cumprimento em regime fechado.