Covid-19: após recomendação, Vítor Hugo tenta convencer Ministério Público e manter flexibilização

Ministério Público da Paraíba recomendou que prefeitura de Cabedelo se abstenha de abrir o comércio fora do estabelecido pelo Estado

Vítor Hugo diz que vai conversar com o Ministério Público para apresentar razões para a flexibilização. Foto: Suetoni Souto Maior

O prefeito de Cabedelo, Vítor Hugo (DEM), iniciou um movimento para tentar convencer o Ministério Público da necessidade de manter o decreto municipal que flexibiliza parte da atividade econômica na cidade. O decreto municipal, editado pelo gestor, admite a aberturados de estabelecimentos comerciais como lojas, shoppings, salões de beleza e academias, em desacordo com o decreto estadual, baseado na classificação estabelecida por bandeiras. Cabedelo está classificada com a bandeira laranja, a segunda mais crítica na ordem de perigo de contaminações e mortes em decorrência da pandemia. Com base nisso, o promotor Francisco Bergson Gomes recomendou que o decreto municipal seja revisto.

O promotor disse, na recomendação, que considerando “que o Município de Cabedelo/PB ostenta a Bandeira-Classificação laranja (em que são permitidas apenas as atividades essenciais)” e que por isso seria veada “a concessão de atividades não inseridas na referida categoria”. A prefeitura, por outro lado, lançou plano que prevê, a partir desta segunda-feira (29), a abertura de setores como academias de ginásticas e similares, teatros, cinemas, templos e igrejas (50% da capacidade), parques públicos/turísticos, serviços de alimentação, com bares, restaurantes e lanchonetes (50% da capacidade).

A cidade de Cabedelo registra, hoje, 1.767 casos do novo Coronavírus, de acordo com o novo balanço divulgado pelo governo do Estado. A situação da cidade é mais grave porque todos os pacientes do município precisam ser atendidos em João Pessoa, já que a cidade não possui Unidade de Terapia Intensiva (UTI) referenciada para o atendimento aos pacientes da Covid-19. O prefeito, por outro lado, ressalta que os números têm melhorado e garante que tomou suas decisões com base na ciência. Ele alega, por exemplo, que não morre ninguém na cidade há duas semanas. Ao todo, 14 mortes foram registradas em Cabedelo como resultado de infecção causada pelo novo Coronavírus desde o início da pandemia.

“A recomendação do MP é vista com todo respeito. Cabedelo flexibilizou mediante a dados científicos e menores índices nesses últimos 15 dias, tanto de letalidade como novos casos. Cabedelo também apresenta um dos melhores índices de recuperados acima de 80%. Enviaremos amanhã (hoje) um oficio solicitando uma reunião em caráter de urgência presencialmente para apresentar todos os dados, medidas tomadas e números que levaram Cabedelo a tomar esta decisão”, disse Vítor Hugo.

Veja a recomendação do Ministério Público

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *