Executivo Vídeos 16:55

Prefeito defende primeira-dama que se cadastrou sem querer no auxílio emergencial

Prefeito de Alagoa Grande diz que a mulher decidiu testar o programa de cadastramento e recebeu dinheiro sem querer

A primeira-dama de Alagoa Grande, Adriana Karla de Melo Lima, precisa com urgência oferecer cursos com tutoriais para mais de 10 milhões de pessoas que tentaram, sem sucesso, receber o auxílio emergencial do governo federal. O benefício, que chega a R$ 1,2 mil no caso de mulheres chefes de família, foi criado para atender aos trabalhadores informais impedidos de trabalhar por causa da pandemia do novo Coronavírus.

Milhares de pessoas tentaram, em vão, se cadastrar e não conseguiram. A primeira-dama, porém, não encontrou dificuldade. Ela conseguiu receber duas parcelas de R$ 1,2 mil. O tema acabou gerando muita polêmica e dominou as discussões nas redes sociais na cidade. Foi preciso o prefeito Antônio da Silva Sobrinho (PSD) vir a público para dizer que tudo não se passou de um grande mal entendido.

De acordo com o prefeito, Adriana Karla, que é secretária de Ação Social do Município, acessou o programa do governo federal apenas para aprender como funcionava. O objetivo era ajudar outras pessoas a requisitar o auxílio emergencial. O prefeito jura de pés juntos que primeira-dama não finalizou o cadastro. Mesmo assim, ele assegura, o programa concedeu o benefício.

Aí você pode perguntar: mas por que ela recebeu duas parcelas do dinheiro sabendo que era errado? O prefeito responde dizendo que ela tentou devolver a primeira parcela, mas nem na Caixa Econômica se conseguiu informação sobre como fazer a devolução. Ele alega que foi constituído um advogado que, depois de novo contato com a Caixa Econômica, orientou a devolução do dinheiro.

Essa é toda a história contada pelo prefeito. Bom vai ser convencer o eleitor.

Mais Notícias

COMENTÁRIOS

  1. Avatar for Suetoni
    revolta

    enquanto isso eu e muitos pais de familia impedidos de trabalhar esperam por uma eterna análise. pergunto mais uma vez onde andam os deputados operadores da justiça governador prefeito que não encampam a luta dos desassistidos do nosso estado.casos como este é um escárnio pra quem ta passando necessidade. ate quando esperar a plebe ajoelhar esperando ajuda de Deus

  2. Avatar for Suetoni
    Thiago Nunes

    Não conheço o Professor Sobrinho, mas, por informação de pessoas que com ele conviveram quando esteve no sertão, Patos, salvo equívoco, como ex sócio de uma Faculdade e também como seu professor , além de ser um bem-sucedido construtor na engenharia civil na terra do saudoso Ernani Sátyro, quando por lá estivera por um bom tempo lecionando e trabalhando na construção civil informam de que o atual prefeito de A Grande é um exemplo de retidão. Trata-se uma criatura simples e sem rodeio no trato e sobretudo de postura séria e de muita aptidão. Informam de que o mesmo jamais necessitaria disso, tanto que, abriu mão – coisa dificílima de alguém fazê-lo – de seu emprego como um excelente professor concursado, catedrático e titular da faculdade de Agronomia em Areia, onde por lá no passado se formara e a posteriori viera ser seu Professor da conceituada e renomada instituição federal implantada pelo memorável Ministro José Américo de Almeida quando servira a Getúlio Vargas como Ministro da Aviação e Obras Públicas na década de 30. Pelo que ouvi, o professor Sobrinho fez esse gesto inusitado tão somente para seguir sua vida profissional como um hábil empresário da construção civil. Dizem que até mesmo em Brasília operou no seu mister por um certo período na qualidade de um exímio construtor implantando na área que abrange o DF algumas dezenas de unidades de lares. O mesmo conhece bastante da Física científica e da Matemática universal e pura no seu mais sentido. Ajudou a muita gente por onde passou e, por ser atualmente muito bem sucedido financeiramente, está, meramente por capricho, vontade e desejo pessoal servindo a sua terra natal na qualidade de edil, eleito que fora. Imagino que deva mesmo ter havido sem dúvida equívoco no tal cadastro de auxílio emergencial. Sua consorte pela realidade e evidência dos fatos não necessita de jeito algum disso, tentou, como bem dissera o prefeito, aprender para poder ensinar e eis que por ironia do destino e sem conhecimento técnico do roteiro da informática, inclusive também de quem a orientando estava, findou se cadastrando involuntariamente no programa. O prefeito demonstrou no seu argumento que está envidando esforços, inclusive com ajuda de advogado, para, junto à instituição da CEF proceder de maneira célere nos trâmites para a devida e rápida devolução . Não houve, como se lê no texto do prefeito, dolo nem culpa, pois, a culpa, em direito, se caracteriza por imperícia, negligência e imprudência. Não existiu, jamais, acredito, da parte da respectiva consorte vontade de buscar pra si o auxílio emergencial. A mesma conforme afirmara seu esposo é secretária na área social, e, como é de conhecimento amplo e explícito de quem os conhece , o casal em pauta se trata, de há muito tempo ou décadas, de pessoas muito bem resolvida financeiramente.

  3. Avatar for Suetoni
    Antonio Toscano

    Chamo isso de vergonha nacional uma primeira dama se passar pra isso pra mim não justifica a defesa por
    além de tudo receberam. acredito que Policia Federal vai cair em campo. pense nuns ladrões esses políticosdo
    do nosso dinheiro publico.

  4. Avatar for Suetoni
    Antonio Toscano

    Lucena está com muita sorte recentemente foi denunciado pelo tribunal de contas o empenho de
    R$ 18.000 dividido em 3 de 6.000 pelo aluguel de um Jipe Compass pelo Prefeito Marcelo pense numa
    vergonha tenho nojo desses políticos que entram pobres e saem podre de ricos roubando e desviando os
    recursos que não lhe pertence.

Comente
O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados com *