Governo da Paraíba exclui cloroquina e hidroxicloroquina dos protocolos para tratar a Covid-19

Exclusão tem como base as pesquisas recentes que mostram ineficiência da droga para combater o coronavírus

Geraldo Medeiros diz que alterou protocolos após consulta a pesquisas científicas. Foto: Reprodução/Secom-P

A Secretaria de Saúde do Estado da Paraíba (SES-PB) excluiu dos protocolos médicos de enfrentamento à Covid-19 o uso da Cloroquina e da Hidroxicloroquina. A decisão foi tomada após as últimas pesquisas científicas publicadas apontarem a ineficiência da droga para o tratamento dos efeitos do novo Coronavírus. As duas medicações, recomendadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), eram utilizadas na Paraíba para o tratamento de quadros mais graves da doença.

Reprodução/Protocolo/Covid-19

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiros, atribuiu a decisão às pesquisas mais recentes. “O estudo publicado na revista The Lancet, com mais de 96 mil pessoas testadas mostrou a ineficiência da droga”, ressaltou, lembrando dados da pesquisa que apontam riscos de morte por grupos de pacientes que ingeriram a medicação. As pesquisas mostram que as pessoas com problemas cardíacos podem morrer com o uso do medicamento.

A decisão da Paraíba segue na mesma linha do que foi decidido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e no sentido contrário do que foi decidido pelo Ministério da Saúde. O protocolo nacional foi implantado após dois ministros se recusarem a fazê-lo e pedirem demissão dos cargos. A missão, então, coube ao interino general Eduardo Pazuello, que não é médico. O Conselho Federal de Medicina (CRM) diz que os médicos podem receitar, mas com o consentimento do paciente.

Antes de tomar a decisão sobre as mudanças nos protocolos paraibanos, a Secretaria de Saúde recebeu, também, orientação do Comitê Científico do Consórcio Nordeste. A pesquisa publicada na revista The Lancet também serviu para orientar a OMS. Foram analisados os casos de 96 mil pacientes no mundo todo. O estudo mostrou que não só não há benefícios no uso desses medicamentos contra o vírus SARS-CoV-2, como há um risco aumentado de morte para os pacientes.

10 comentários - Governo da Paraíba exclui cloroquina e hidroxicloroquina dos protocolos para tratar a Covid-19

  1. Fabio Disse:

    Planos de saúde e hospitais particulares oferecendo Cloroquina. O pobre fica sem. Governador Fraco!

  2. Guaracy Medeiros de Assis Disse:

    Politicagem imbecil

  3. Sérgio Disse:

    As mortes no sistema público só tendem a aumentar, pois que indicação não é do Bolsonaro, mas de grande parcela de médicos e pesquisadores que veem tendo resultados expressivos já no início do tratamento, resultando a diminuição flagrante da necessidade inclusive de internações, um desserviço à sociedade.

  4. Osmar de Oliveira Aguila Disse:

    Governo Paraíba , coerente. Só falta agora,começar a realizar concursos. Está um pouco atrasado, pois a constituição federal, aquela que o ministério público da Paraíba deveria obrigar a cumprir, obriga a realização de concursos públicos desde 1988.

  5. Elidenal Disse:

    ABSURDO! Boicotar um remédio apenas por ser ele recomendado pelo Presidente. Bolsonaro apenas deseja dá ao pobre (atendido pelo SUS) o mesmo direito q já é dado ao ricos. (da rede privada)

  6. Hilda Disse:

    li o comentario do medico Roberto lacerda por que o governo nao entra em comtato cõm ele Quem salvar vidas agora ganha eleicao

  7. José Augusto Maropo Disse:

    Estudos feitos com pacientes em UTI, fase inflamatória ou com insuficiência respiratória avançada não valem. Onde estão os estudos na fase de replicação viral? Quero a ver a IVERMECTINA também. Todos que tratei evoluíram em 48 horas.

  8. LENIRA PIRES Disse:

    Pois eu acredito que na fase inicial, tanto a cloroquina como a Hidroxicloroquina, aliados à outros medicamentos, como ivermectina, zinco têm feito a diferença no estado do Maranhão, etc…, pois ninguém está sendo hospitalizado. O que estão fazendo é crime, tirando a possibilidade de cura do povo! Absurdo!!!!!!!!!

  9. Eidsom Disse:

    Se não há tratamento específico como uma vacina caso eu contrai a doença vou tomar o que está disponível com centenas de depoimentos e testemunhos o conjunto de medicamentos que uma hidroxicloroquina Azitromicina posso dizer que são medicamentos que apliquei muito para malária quando muito jovem em que em farmácias nos primeiros sintomas da convide eu indico coração Tome um conjunto de medicamentos é muito melhor do que não tomar mais nada esperar a morte chegar

  10. Eidsom m. Iguchi Disse:

    Se não há tratamento específico como uma vacina caso eu contrai a doença vou tomar o que está disponível com centenas de depoimentos e testemunhos o conjunto de medicamentos que uma hidroxicloroquina Azitromicina posso dizer que são medicamentos que apliquei muito para malária quando muito jovem em que em farmácias nos primeiros sintomas da convide eu indico coração Tome um conjunto de medicamentos é muito melhor do que não tomar mais nada esperar a morte chegar

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *