Alvos da Xeque-Mate, suplentes reassumem mandato em Cabedelo

Retorno dos suplentes ocorre após serem decorridos os 120 dias do afastamento determinado pela Justiça

A composição da Câmara Municipal de Cabedelo foi quase que totalmente modificada. Foto: Divulgação

Os quatro suplentes de vereadores afastados do cargo no ano passado, em Cabedelo, reassumiram os mandatos na Câmara Municipal. Eles foram alvos da operação Xeque-Mate, desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, e pela Polícia Federal. O grupo, empossado na última terça-feira (7), é acusado de ter recebido R$ 200 mil das mãos do ex-prefeito Leto Viana, em 2016.

Benone Bernardo da Silva (PRP), Josimar de Lima Silva (PRP), Janderson Bezerril de Brito (PSDB) e Jonas Pequeno dos Santos (PSDB) tiveram os mandatos reintegrados pela presidente da Câmara, Graça Rezende. A justificativa foi a de que o afastamento determinado pela Justiça foi de 120 dias e o prazo já foi transcorrido, sem que o Ministério Público pedisse prorrogação.

Os quatro afastados na sexta fase da Xeque-Mate não estavam na relação dos dez vereadores alvos da primeira etapa da operação, desencadeada em abril de 2018. Eles se tornaram suplentes nas eleições de 2016 e teriam recebido das mãos do então prefeito Leto Viana vantagem indevida naquele pleito. Cada um teria recebido R$ 200 mil para integrar a chapa governista (legislatura de 2017 a 2020).

De acordo com as investigações, os réus na ação teriam assumindo, com o recebimento do dinheiro, o “compromisso de satisfazer os interesses pessoais de Leto Viana, de seus aliados (membros da organização investigada), assim como os desejos anticoncorrenciais do empresário ROBERTO SANTIAGO”, diz trecho da investigação.

Os quatro respondem por acusações de corrupção passiva. O Ministério Público Estadual requereu, ainda, a reparação pelos danos materiais e morais praticados, entre outras medidas pertinentes.

2 comentários - Alvos da Xeque-Mate, suplentes reassumem mandato em Cabedelo

  1. Ora, se foi comprovada a culpa de todos os Suplentes no exercício do mandato e eles tinhas um pedido de mandato por 120 (cento e vinte dias) de afastamento do mandato e passados esse período sem que houvesse a renovação do pedido de afastamento pelo MP, é lógico que teriam que ser reintegrados ao Mandato. A culpa velada é do Ministério Público que nem pediu a inserção de todos no Processo, nem tampouco renovou o pedido de afastamento deles. A Justiça está mesmo dormindo no ponto em certas ocasiões. Estes políticos são de honestidade duvidosa, segundo investigações da Polícia Federal, e, não devem de maneira alguma permanecerem como representantes do povo de Cabedelo, e, além do mais legislando sobre recursos públicos. É mesmo uma pandemia Política em Cabedelo. Nem o HiodroCloroquina mata o vírus destes políticos. Que vergonhaaaaaaaaaaaaaa!

  2. BÓ LUCENA Disse:

    CONTRA A CORRUPÇÃO E A IMPUNIDADE =>

    FALTAM 174 DIAS PARA AS ELEIÇÕES DE 2020=>

    Cuidado com os “corruPTos-vírus & CIA” =>=>

    A PREVENÇÃO AINDA É O MELHOR REMÉDIO=>

    Diga não a indústria da ‘REELEIÇÃO PARA QUALQUER CARGO PÚBLICO ELETIVO MUNICIPAL NO VOTO!’=>

    Em todo o País => 5.570 prefeituras e 5.570 câmaras de vereadores.=>

    Na Paraíba => 223 municípios e 223 câmaras de vereadores.=>

    Nas próximas eleições, além de não reeleger ninguém, não vote em FILHOS, PARENTES e AGREGADOS de políticos que sejam ‘FICHA SUJA’; ou que estejam envolvidos em processos e denúncias de CORRUPÇÃO, desvio de RECURSOS PÚBLICOS, LAVAGEM DE DINHEIRO, TRÁFICO DE INFLUÊNCIA, ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA e outras FALCATRUAS.=>

    FAÇA VALER A HONESTIDADE PARAÍBA => BRASIL=>
    O respeito ao dinheiro público. =>

    A ESPERANÇA ESTÁ EM NÓS MESMOS =>

    SEU VOTO => TEM PODER

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *