Fabiano Gomes é acusado de extorsão e repasse de propina na 8ª fase da Operação Calvário

Além do mandado de prisão, operação deflagrada esta manhã cumpriu nove mandados de busca e apreensão

Por Larissa Claro

O radialista Fabiano Gomes foi preso na manhã desta terça-feira (10) durante a 8ª fase da Operação Calvário. De acordo com as investigações do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado do Ministério Público na Paraíba (GAECO/PB), o comunicador pode ter assumido a função de operacionalizar repasses ilícitos de dinheiro em espécie no esquema de lavagem de dinheiro investigado pela operação. No cumprimento do mandado de busca e apreensão, uma pistola foi encontrada na residência do radialista, que também responderá por porte ilegal de arma.

Fabiano Gomes ainda é acusado de extorsão. A investigação aponta que o comunicador teria feito uso de canais de imprensa no intuito de embaraçar as investigações empreendidas na “Operação Cálvario”, extorquindo terceiros que não aceitaram pagar vantagens indevidas e constrangendo-os sob a falsa promessa de revelação de conteúdo sigiloso.

A 8ª fase da Operação Calvário tem como base os produtos de buscas realizadas na 7ª fase da operação. O material apreendido aponta que Fabiano pode ter assumido a função de operacionalizar repasses ilícitos de dinheiro em espécie controlados, supostamente, pelo então governador Ricardo Coutinho, apontado pelo Gaeco como chefe da organização criminosa .

No material analisado, constam manuscritos da agenda pessoal do ex-governador que o veiculariam ao radialista, a partir da sigla “FG”. Estes registros teriam relação com os pagamentos ilícitos de propina operacionalizados por Fabiano.

A defesa do jornalista Fabiano Gomes informou que ainda não teve acesso a decisão do desembargador Ricardo Vital, mas acompanha a busca e apreensão e a prisão temporária do seu cliente. A defesa do radialista manifestou surpresa com a prisão “pois Fabiano até então não era investigado, citado ou sequer foi ouvido antes pelo Gaeco na Operação Calvário, a quem sempre se colocou e novamente se coloca à disposição para todo e qualquer esclarecimento”. Já a defesa do ex-governador Ricardo Coutinho ressaltou que o seu cliente não é alvo da 8ª fase da operação e foi apenas citado, assim não teve acesso à denúncia e, portanto, não vai se pronunciar sobre o caso no momento.

A 8ª fase da Operação Calvário foi deflagrada na manhã desta terça-feira pela Polícia Federal na Paraíba e o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado do Ministério Público na Paraíba – GAECO/PB, com apoio da Controladoria Geral da União – CGU. O objetivo é investigar indícios de lavagem de dinheiro de recursos desviados de organizações sociais da área da saúde, por meio de jogos de apostas autorizados pela Loteria do Estado da Paraíba.

A operação contou com a participação de 55 policiais federais e cinco auditores da CGU, sendo realizado o cumprimento de nove mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados, e no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, nas cidades de João Pessoa e Bananeiras, além do cumprimento de do mandado prisão do radialista Fabiano Gomes.

 

2 comentários - Fabiano Gomes é acusado de extorsão e repasse de propina na 8ª fase da Operação Calvário

  1. revolta Disse:

    lastimável quanto mais mexe mais embaraçoso fica.e nós pobres mortais que enfrenta ônibus lotado todo dia pra trabalhar fica náusea do enjoado com tanto desvio do Bosso suado imposto. ate quando esperar a plebe ajoelhar esperando ajuda de Deus.

  2. Deixa ver se entendi direito o lúcido artigo em pauta. Pelo lido, visto, exposto etc e tal assimilei de que o cidadão, âncora da Radiofonia da Paraíba, o Fabiano Gomes. Seria mais uma espécie de (Secretário de Arrecadação Pessoal de Propinas) do chefão da ORCRIM – o Mago de Jaguaribe. Eita diabos ! Vem-me logo de plano o maldito Slogan: Deixa o Mago trabalhar . . . !

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *